quinta-feira, 28 de junho de 2012

E depois do adeus

ao Europeu, a vida continua...





Se tivéssemos ficado até à final, sempre se pouparia gasolina e umas emissões de CO2...

O bom aluno

Estou farto de exemplos de bons alunos que chumbaram no exame final. Vítor Gaspar parece ser um deles.  Muito aplicado no estudo do modelo, mas incapaz de analisar as suas variáveis, conduziu os portugueses à ruína, com o alto patrocínio de um coelho cabulão e de um homem do leme que confunde o palácio de Belém com uma marquise da Rua do Possolo.
É essa a diferença entre o aluno inteligente e o aluno marrão. Preferia ter gente inteligente a dirigir o país, do que marrões com vistas curtas.

Onde se fala de Ségolène Royal e Ronald Biggs




Durante uma conversa retrospectiva onde se comparava a Cimeira deste ano com a da 1992, alguém recordou as semelhanças entre a ausência de Bush (pai) e de Obama, como confirmação de que os EUA continuam renitentes em tomar medidas decisivas e peremptórias em defesa do ambiente. 
As conversas são como as cerejas e uma voz feminina lembra a presença de Ségolène Royal, à época ministra francesa  do ambiente. Estava grávida de sete meses e proferiu  uma frase que ficou no ouvido: 
“ Se soubesse que ia ser ministra, teria pensado duas vezes em ter este filho ( o quarto)”
O sultão do Brunei,  na altura o homem mais rico do mundo, que chegou no seu Boeing privado  também foi evocado, mas as gargalhadas eclodiram quando alguém  lembrou a presença no Rio de Janeiro de Ronald Biggs, um dos participante no assalto ao comboio correio de Londres em 1963 , considerado o roubo do século, que à época se dedicava a explicar as dez medidas fundamentais para evitar roubos!
 Hoje com 83 anos e uma saúde muito debilitada que o mantém amarrado a uma cama , poucos recordarão a vida aventureira deste célebre ladrão. 
Conseguiu evadir-se da prisão pouco tempo depois de ter sido condenado, andou fugido à justiça durante mais de 30 anos, mas acabou por se entregar em 2001. Na altura já estava muito doente e a  decisão de se submeter à justiça britânica, ficou a dever-se a um desejo que pretendia realizar: beber uma cerveja num pub inglês.
Condenado a 30 anos de prisão, acabou por ser libertado em 2009 por razões humanitárias. Em Novembro do ano passado apareceu na cerimónia de lançamento da sua biografia. Extremamente debilitado e sem voz, dialogou com a imprensa por meios mecânicos.

Foi por um pi...

Como diria o Catroga, perdemos por um pi...
Custa muito perder assim mas, na lotaria dos penalties, normalmente só ganhamos à Inglaterra. Ambas as equipas  fizeram o que lhes competia para estar na final. Os espanhóis foram mais felizes, os portugueses  foram valentes e lutaram com muita galhardia. Parabéns e obrigado, rapazes!
Agora, só a Itália poderá estragar as previsões a Platini. Forza Italia!
Em tempo: a esta hora o país deve estar mergulhado num silêncio de velório. Não é hora de amolecer. Foi só um jogo de futebol! Utilizem as forças que estavam guardadas para a final naquilo que é verdadeiramente importante. Evitar que o país seja vendido a retalho pelos lacaios da Merkel.