sexta-feira, 15 de junho de 2012

Passos Coelho e Luciana Abreu: a mesma luta

Pedro Passos Coelho não sabia que a MAC ia fechar este ano, porque o ministro da saúde não lhe disse nada. Confessou na AR que soube a notícia pelos jornais.
Luciana Abreu jurou aos jornalistas que não se iria divorciar de Yannick Djaló e o seu casamento era o melhor dos mundos. No dia seguinte, ao acordar, leu nos jornais um comunicado de imprensa do marido a dizer que se ia divorciar.
Lá diz o povo que o corno é o último a saber...
Espero é que as coincidências entre PM e Luciana Abreu  fiquem por aqui, porque a actriz/cantora confessou que não sabe do paradeiro de Djaló há duas semanas. Será que Passos Coelho também não sabe onde anda o ministro da saúde?

A pantera cor de rosa

O PCP vai apresentar uma moção de censura ao governo. António José Seguro apressou-se a dizer   que o governo merece ser severamente criticado mas,  recorrendo a uma nova versão da abstenção violenta, deixou claro que o PS se irá abster!
Não restam dúvidas. Seguro move-se em círculos...

Meti o pé na argola.Sorry!

Ontem, baseado numa notícia do jornal i, escrevi um post virulento contra a DGS.  Hoje, preparava-me para atacar a APSI que, de acordo com a notícia, teria sido a mentora de tal medida.  Graças à sempre atenta Shyznogud,  fiquei a saber que afinal a notícia era falsa e que a DGS só visitará os lares a pedido das famílias, como ela aqui explica
Peço desculpa aos leitores do CR por os ter induzido em erro e confesso que é com algum alívio que agora a desminto. Claro que isso não invalida a minha opinião de que "eles andam aí"... mas para já ainda mantêm  alguma discrição, o que só lhes fica bem. O que me  não fica nada bem é ter escrito um post com base numa notícia falsa, sem ter cuidado de a comprovar, pois o assunto era demasiado grave e devia ter tido alguma cautela antes de escrever aquele post.  Sorry!

Não sei se foi assim que aconteceu...



…mas podia ter sido.
Tarde de sábado chuvosa de um dia de Primavera.  Noémia está em casa a ouvir música.  Nada acontece por acaso, mas suponhamos que foi o acaso que a conduziu ao seu baú de recordações. Vai remexendo em cartas e fotos antigas, em cada uma relembra momentos de uma juventude que há muito deixou para trás.
 Uma das fotos retém-na mais prolongadamente. Foi tirada em 1962 e retrata jovens num campo de futebol. Reconhece-se num dos 21 rostos bem dispostos que se alinham em duas filas. Faz um esforço para identificar os restantes. Alguns não lhe oferecem dúvidas mas, para identificar os outros, pede a ajuda do seu amigo Raimundo.  
O que os uniu naquela  foto foi o amor ao desporto, mas a maioria era  estudante no Instituto Superior Técnico , todos foram activistas do movimento associativo estudantil, alguns exerceram funções dirigentes nos órgãos associativos, outros estiveram presos durante a ditadura.
Entre os retratados, nomes como Raimundo Narciso, António Alves Redol,  Fernando Rosas, Teresa Tito de Morais, Mário Lino, José Gomes de Pina, José Gameiro ou Joaquim Letria.
São conhecidos os percursos de todos estes jovens, alguns dos quais já falecidos, mas naquele tempo poucos sabiam que a maioria deles era militante do Partido Comunista Português. Muitos deles não se terão voltado a encontrar mas, quando Noémia Simões descobriu aquela foto no seu baú, as vidas  de oito  deles voltaram a reunir-se para um testemunho que tomou a forma de livro. 
Ao final da tarde de segunda-feira, no salão nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa, Jorge Sampaio  apresentou o livro  “A Foto e o Reencontro Meio Século Depois” e Carlos Mendes cantou. 
Alguns corações bateram mais depressa, outros ficaram mais pequeninos, mas ninguém ficou indiferente ao recuar 50 anos. Tempos que não vivi, mas que senti como se também lhes pertencesse. Tudo foi possível graças ao reencontro de uma personagem com a sua fotografia. Haverá coincidências?
Agora, se quiserem saber mais, vão ler aqui

À noite digo-vos por música

Hoje, esta canção não me saiu da cabeça. Mas não devo ter sido o único, pois não, Valérie?