sexta-feira, 8 de junho de 2012

Nas termas



Estou há 48 horas a gozar a paz e silêncio das termas. É um refúgio que procuro quando preciso de me isolar, ou antes de um período que me exija bastante esforço intelectual. Desta vez, juntaram-se as duas circunstâncias...
O acesso à Internet não é fácil, jornais não quero ler e televisão só ligarei para ver no sábado o Portugal- Alemanha. Já perceberam, pois, que este post ( como os de ontem  e dos próximos dias, até domingo) foi pré agendado.
A última notícia que soube, antes de sair de Lisboa, foi que Pedro Passos Coelho tem compaixão de mim. Não precisa, senhor PM... mas se insiste, faço questão de lhe dizer que estamos quites. É que eu há já muito tenho compaixão da sua mãezinha. Por ter parido um traste como o senhor. Já se deve ter arrependido centenas de vezes, mas agora nada a fazer. Quem sabe se, neste momento, depois de ter sido informada da sua compaixão,não estará a dizer repetidas vezes:
" Bem aventurados os pobres de espírito que deles é o reino dos céus!"

E se tivessem um bocadinho de vergonha na cara?

Giro, giro, é ler nos blogs dos protegidos do Relvas os posts de alguns indignados com a promiscuidade entre políticos e jornalistas. Quem diria, hein?
É preciso ter muita lata, ou sofrer de amnésia, para esquecer que jornalistas que por lá escrevem andaram a papar almoços e jantares disfarçados de blogers e saíram das redacções directamente para gabinetes ministeriais (sendo que o do Relvas foi o maior recrutador) ou para cargos de direcção em Institutos públicos.
Tenham vergonha, meninas e meninos! Quanto mais se esforçam por proteger o Relvas, mais se enterram! A vocês e aos vossos mentores blogueiros...