quinta-feira, 7 de junho de 2012

As avós


Provavelmente muitos leitores já conhecerão esta redacção mas, porque  acho este texto uma delícia, decidi partilhá-lo com quem não conheça. como era o meu caso. Na esperança de que tenha sido realmente escrito por uma criança e não por um daqueles adultos que trabalham em empresas criativas.


Confissão

Gosto de futebol, torço pelo sucesso da selecção mas, confesso, já não suporto ouvir falar do Euro-2012. Nas últimas semanas, cada vez que me sento diante do televisor, ganho destreza na arte do zappping, porque tudo o que é canal nacional tem sempre algo para nos mostrar sobre a vida de jogadores, treinadores e tudo o que gira à volta deles!
Com este tratamento de choque, ainda matam alguns doentes da bola.

Os Bichos




Se Portugal  fosse um Jardim Zoológico, como sugeriu D. Januário Torgal Ferreira ( uma das poucas vozes da Igreja que mantém a lucidez e a dignidade) poderia dizer-se que está entregue aos bichos.
Tem uma amiba como  presidente da república  , um primeiro-ministro invertebrado, um réptil  como líder da oposição, uma esquerda de língua bífida e um governo de avestruzes.
A maioria dos  animais deste Jardim Zoológico –  eufemisticamente  conhecida como Povo- é um rebanho de  carneiros dóceis que se apascenta de oportunismo e  migalhas de corrupção rejeitadas pelos animais nobres.
Há também alguns camaleões que vão sobrevivendo graças à capacidade em mudarem de pele, consoante o meio em que se movem  e alguns camelos que se esfalfam a trabalhar a troco de umas litradas de água.
Fauna cada vez mais rara é a dos cavalos selvagens. Cada vez que escouceiam, os gorilas  reprimem-nos à bastonada, porque para isso são pagos por camelos.
Neste Jardim Zoológico à beira mar plantado, o triunfo não será dos porcos. Será dos invertebrados e répteis que se associarão para dominar todos os outros animais. Apenas os camaleões terão o futuro garantido.

Em tempo: acabo de ouvir  a beataMaria João Avillez- uma espécie de Lili Caneças do jornalismo- desancar forte e feio em D. Januário. Ainda bem que a ouvi, pois tinha-me esquecido de falar dos cães, que costumam ser bons guardadores de rebanhos.MJA, no entanto, pertence a outro tipo de canídeos: as guardadoras de láparos.