terça-feira, 5 de junho de 2012

Artur, o indignado

Era um bebé muito calmo mas, no Natal, foi ao Brasil com a mãe conhecer os avós e veio de lá chorão.  Só se calou quando a mãe lhe prometeu que iriam viver para o Brasil. E é isso que vai acontecer no próximo mês! 
Fico na dúvida: será que ele tem uma costela do tio bisavô ( que sou eu...)  e adora viajar, ou quer ser  o mais jovem emigrante português a demandar terras de Vera Cruz?

Tiques

Duas notícias bem esclarecedoras sobre a atitude deste governo em matéria laboral.
Enquanto o ministro Relvas dialoga com os patrões,  é entregue a um subalterno secretário de estado, a tarefa de falar com os sindicatos

Um ano depois...


… da vitória eleitoral  do PSD, as perguntas que se impõe fazer:
 O país está melhor? Há mais estado social ? Os portugueses têm melhores serviços de saúde? A justiça é mais  célere, melhor e mais justa? A educação melhorou e é para todos?  A repartição dos recursos é mais equitativa? Diminuiu o desemprego? Diminuiu a pobreza? Diminuiu o fosso entre pobres e ricos? Os lóbis deixaram de exercer pressão sobre o governo? Deixou de haver  jobs for the boys?  Os portugueses vivem melhor? O governo cumpriu alguma das suas promessas eleitorais?
Parafraseando Relvas, todos responderão: Não, não, não, não ………… e não!
No entanto, leiam o que este marmanjo dizia no final do último debate da campanha eleitoral.

Bora lá, meu?

Eu (ou) vi, mas os jornais não transcrevem, estas palavras de Cristiano Ronaldo, dirigindo-se ao PR:
"Em nome da Selecção entrego-lhe esta camisola, e convidamos você para ir assistir a um jogo, tá?"
Ah, ganda Cristiano! Um dia destes ainda dás um calduço ao Aníbal e, com uma bola na mão, convidas:
" Bora lá dar uns toques, meu?"

Silêncio comprometido?

Maria José Oliveira demitiu-se. O "Publico" está em silêncio.