quinta-feira, 31 de maio de 2012

Tal pai tal filho...

Jardim tem a sucessão assegurada mas, pela frase lapidar na hora da despedida, o ídolo do mostrengo deve ser o Relvas.

Pequenos equívocos, sem importância

O governo enganou-se nas contas. Um pequeno erro de 238 milhões de euros, que agrava as perdas das receitas fiscais.
Quem não se enganou foi Pedro Passos Coelho ontem na AR, ao afirmar que Relvas será ministro enquanto quiser. Mas isso não é novidade, pois já todos sabíamos que PPC está refém de Relvas e não o pode demitir. Como irmãos siameses, estão ligados para o bem e para o mal. Embora ninguém arrisque dizer onde estão as  virtudes susceptíveis de os unir para boas causas.

Aproveitem a oportunidade!


Desde o início do ano, aumentou exponencialmente o número de pessoas com mochilas às costas. São novatos inexperientes que ainda não sabem como se devem comportar nos transportes públicos quando viajam com aqueles apêndices e, digo-vos, ando um bocadinho cansado de levar nas trombas com mochilas quando viajo de metro.
 É bem visível que o aumento do número de pessoas com mochilas às costas não se deve a um súbito interesse pelo ginásio ( até porque os preços elevados levaram muitos fãs a abandoná-los) , mas sim ao facto de as pessoas transportarem nas mochilas o almoço e os respectivos utensílios, bastante mais agressivos do que os fatos de treino.
Tendo em consideração a necessidade de preservar a minha integridade física, mas também a bolsa destes novos mochileiros, tenho uma sugestão a fazer. Recorram aos serviços desta empresa e dêem-me um bocadinho de paz,.
Juro que não tenho nada a ver com a empresa…

Assim, percebe-se melhor...

Muito curioso o conceito de mentira de Relvas... 
Não só pelo que revela da sua personalidade e forma de estar na vida, mas também pelo que permite inferir em relação à forma de actuar deste governo. Garantir em campanha que não se corta o subsídio de Natal e depois cortar também o de férias, não é mentir, é apenas uma correcção dos factos. Estamos esclarecidos...

Informação útil: a resposta à pergunta que vos fiz aqui é simples: só precisa de pedir factura com número de contribuinte, quem paga IVA. 

E agora? Vão experimentar o Tide?


Enquanto na Comissão Miguel Relvas fazia declarações que contrariavam as que fizera no mesmo local há duas semanas, no plenário Pedro Passos Coelho envidava todos os esforços para limpar a imagem do amigo que o catapultou para S. Bento.
Foi bonito ver a família Pinóquio da S. Caetano à Lapa unida em defesa de um dos seus e, em simultâneo, a preparar de forma muito engenhosa a opinião pública para a decisão da ERC sobre o caso das pressões à jornalista do "Público"  que, obviamente, não dará em nada pelas razões que já anteriormente aduzi.  Bonito, mas pouco eficaz. Ninguém acreditou nesta operação limpeza minuciosamente preparada nos gabinetes e Relvas estava tão baralhado que afirmou ter sido eleito para ministro. Desta vez, o OMO não lavou mais branco. Que tal experimentarem o Tide?
Razão tem Sá Fernandes quando afirma que o combate à praga do escaravelho não pode ser só feita em Lisboa