quinta-feira, 17 de maio de 2012

Há mais alegria na Praça

Reabre hoje as portas o mítico Ritz Clube, um cabaret emblemático da noite lisboeta e não só, desde nos anos 60  e que nas duas últimas décadas do século XX evoluiu para espaço de concertos onde as meninas más de famílias boas gostavam muito de ir. 
A reabertura é uma boa notícia, pois há alguns anos esteve condenado a desaparecer. Não terá o glamour de outros tempos, mas não deixarei de lá ir amanhã para ver e ouvir  o Jorge Palma, figura que se enquadra perfeitamente no espírito underground  daquele espaço.
 Faz falta a Lisboa uma sala como aquela.  Espero que tenha vida mais longa do que o recuperado Maxime, que voltou a encerrar as portas há meses.

Ai que bem cheiras, que bem cheiras...




Toda a gente sabe o que é uma blind date e já muitos conhecem o Poliamor de que vos falei aqui há tempos. Lembram-se?
O que talvez ainda poucos conheçam é o novo  método revolucionário de engate engendrado por Cupido que, em chegando a Portugal, irá certamente ser um sucesso e fará  grandes manchetes no CM e demais   papel impresso de matriz surrealista.
Imaginem vocês, que a mais recente coqueluche nos Estados Unidos são as “festas das feromonas” onde homens e mulheres procuram encontrar o par ideal.
Podia ler-se há umas semanas,  na  Revista  do “Expresso”,  que a experiência prática de uma jovem americana de 25 anos, atraída irresistivelmente para a cama por um tipo que lhe parecia repelente até ao momento em que lhe sentiu o cheiro, foi fundamental para o lançamento desta iniciativa. 
Como não quero que vos falte nada, adianto alguns passos sobre o funcionamento destas parties 
Assim:
Cada participante tem de comprar uma camisa de algodão e dormir com ela três dias seguidos. Depois  mete-a num saco de plástico ( azul ou rosa, consoante o sexo) hermeticamente fechado, que entregará no local da festa recebendo em troca um número.
Depois de abertos, os sacos são colocados  pela organização em  mesas, para que os participantes os possam cheirar. Quando alguém se sente atraído pelo cheiro de algum saco, pega nele e anuncia : É este! 
Encontrado o parceiro ideal, a organização promove o encontro e, a partir daí, o par que se desenrasque. Não faltam nos Estados Unidos motéis para a função...
Se quiserem saber mais terão de ir a este site onde ( escreve o Expresso, mas eu não tive tempo de confirmar) está tudo explicadinho: pheronomeparties.com
Quanto a mim,mal por mal prefiro o odor do perfume Patcholy.

Quinta-feira da Espiga


Imagem roubada aqui


Apesar de a minha rinite alérgica estar muito assanhada nos últimos dias, o cheiro a espiga  não me passou despercebido  logo pela manhã, porque a Isabel vinha  munida de três exemplares -um dos quais me era destinado- que se sobrepuseram ao odor do café fresquinho. 
Este ano até os trabalhadores do metropolitano celebraram a quinta-feira da espiga com  uma greve, obrigando muita gente a fazer a tradicional longa caminhada deste dia, desde casa até ao emprego. Provavelmente não terão ido a colher espigas pelo caminho, mas não terão deixado de pensar na grande espiga que é esta vida nos dias de hoje em Portugal.
Habituado a fazer  frequentemente  a caminhada desde minha casa até ao Saldanha, fingi  que cumpria a tradição, mas  só “colhi” a espiga num dos vendedores aqui do Saldanha que são muitos mais do que em anos anteriores.
Perguntarão alguns leitores: mas  se a Isabel  te tinha levado uma espiga para que foste comprar outra Carlos? 
Eu sou assim… em tempo de crise o melhor é ter espigas em dose dupla.
 Por falar nisso! Ainda vou ali num instante comprar outra para oferecer. Adivinhem a quem...
Estava-se mesmo a ver, não estava?

O que me separa de Merkel

Ela recebeu o primeiro aumento de salário em dois anos, mas o meu está a reduzir-se há dez!