segunda-feira, 30 de abril de 2012

Blog da semana

Fez esta semana três anos, este blog  que frequento quase diariamente. Aliás, conheci o seu autor ainda antes de ele criar o blog,. Encontrámo-nos na caixa de comentários de um blog colectivo onde eu então escrevia. Depois ele abandonou o Largo, onde também escrevia em colectivo, e criou o Folha Seca, que é o  meu  eleito para blog da semana.
Um grande abraço, Rodrigo

A pont(e)apé

Não sei se esta dupla ponte, gozada por muitos portugueses, terá ajudado o governo a perceber que a eliminação dos feriados é mais uma daquelas medidas decididas com os pés, sem quaisquer efeitos práticos e que a solução, para as evitar, seria encostar aos fins de semana os feriados que "caíssem" a terças ou quintas-feiras. Um governo com neurónios teria percebido isso sem precisar de exemplos práticos, mas estas azémulas insistem em ser apenas teimosas e recusam admitir o óbvio.
Sei, no entanto, que este  primeiro ministro que corta a eito feriados, argumentando com a necessidade de aumentar a produtividade, é o mesmo que ainda mal tinha sentado o rabiosque em Belém se pirou para férias ( a que não tinha direito) durante um mês.
Decidi, por isso,fazer ponte! Ou melhor...pontes, porque deixei Lisboa no dia 26 e só estarei de regresso amanhã.
A minha ausência deve-se, no entanto,a  uma boa causa. Fui entrevistar a Merkel, para lhe pedir um depoimento sobre a Cátia Janine cuja história começará a ser aqui narrada a partir de quarta-feira, 2 de Maio.

Leis boas para limpar o tutu


A Lei ( ainda em fase de estudo) que proíbe a venda de álcool a menores de 18 anos será mais uma para emoldurar no gabinete do Director Geral que a pariu, ou para limpar o rabiosque a algum membro da troika apanhado desprevenido com a falta de papel numa qualquer repartição do Estado.
Se os gajos que a engendraram saíssem  à rua, em vez de ficarem alapados nos gabinetes e usarem escolta para qualquer deslocação, já teriam percebido que apesar de a Lei em vigor proibir   a venda de bebidas alcoólicas a menores de 16 anos, é possível ver nas noites deste país, miúdos de 12, 13 e 14 anos podres de bêbados, porque não há quem fiscalize a aplicação da lei. Vão mas é trabalhar, em vez de andarem a brincar ao faz de conta!