domingo, 22 de abril de 2012

Uma viagem de Metro

Uma viagem de Metro conduziu-me a tempos recuados. A conversa levou-me a recordar esta profissão,  anunciada como profissão de futuro

Mais vale tarde do que nunca...


Ainda aqui não agradeci a Pinto da Costa, as alegrias que me proporcionou nos últimos 30 anos. Eu sei que o dirigente desportivo mais odiado pelos sulistas elitistas  ( Menezes dixit) não precisa de agradecimentos, porque os grandes homens são superiores a elogios.
É por isso que, nesta data festiva, lhe dirijo uma crítica. Disse PC que era seu objectivo preparar o FC do Porto para mais 30 anos de sucesso. 
Ó Presidente! Fiquei surpreendido com a sua ingenuidade… Então acredita mesmo que daqui a 30 anos ainda haja um país chamado Portugal? Eu sei que é um optimista, mas acreditar nisso é exagero!
Em 2042  o FC do Porto continuará a existir, certamente, mas estará impedido pelos descendentes da chancelarina alemã de participar em competições europeias, para não ofuscar o brilho dos clubes do IV Reich, fundado por Ângela Merkel, com o apoio entusiasmado de Pedro Passos Coelho que fará inveja a Brejvik, ao fazer a saudação nazi diante da  coveira da Europa.
Os alemães nunca lhe perdoarão, meu caro Pinto da Costa, as humilhações que lhes infligiu durante o período em que foi presidente e que tiveram o ponto mais alto quando, em 1987,  derrotou os sobranceiros bebedores de cerveja quente de Munique, derrotando-os numa final memorável onde, humilhação das humilhações, a vitória foi conseguida com o calcanhar de um peçonhento árabe chamado Madjer.
Meu caro presidente!
Está a perder qualidades. Já não consegue antever os perigos oriundos da nazi Merkel? Não se preocupe… No dia 26 de Abril estarei em Berlim  para uma estadia o mais curta possível.  Com a ajuda de alguns amigos, consegui agendar uma entrevista com a chanceler alemã e dar-lhe-ei conta das preocupações dos portugueses pelas atitudes xenófobas  que nos humilham diariamente. 
Um grande  abraço e o meu reconhecido OBRIGADO!
PS: Não quer trocar a sua brasileira pela Merkel? O país inteiro se ajoelharia a seus pés, reconhecido, por ter vergado à sua vontade a almôndega com pelos. Pense nisso, tá?
.

Sugestão da semana




A Universidade de Lisboa junta-se às comemorações do 38º aniversário da Revolução de 25 de Abril de 1974 e apresenta o ciclo de cinema “Projeções de Abril” que decorre nos dias    23, 24 e 25 de Abril, às 18h30 no Salão Nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa.
“Projeções de Abril” irá exibir curtas e longas metragens nacionais, de ficção ou documentais, que exploram, nas mais variadas perspectivas, os acontecimentos relacionados com a Revolução de 25 de Abril.
“48” de Susana Sousa Dias, “Fantasia Lusitana” de João Canijo, “Antes de Amanhã” de Gonçalo Galvão Teles são alguns dos filmes que compõe a programação de Projecções de Abril, em exibição no Salão Nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa de 23 a 25 de Abril às 18h30.
A entrada é livre.

Le premier bonheur du jour

O que vos apetece hoje para o pequeno almoço?

Midnight Express




Vejo, com frequência, os jornais da meia noite da RTP Informação, TVI 24 e SIC Notícias. Não tanto para ouvir as notícias do dia, mas sim para ver o Jardim das Notícias (na TVI) e as primeiras páginas dos jornais do dia seguinte.  
Nos dois primeiros canais, à breve súmula da leitura das primeiras páginas ( comentadas na RTP por jornalistas) segue-se a leitura de algumas notícias dos sites da imprensa internacional. A escolha é feita sem critério perceptível, mas acompanhar essa leitura é um momento hilariante que me deixa com boa disposição e esbate os efeitos de possíveis insónias.
Aqui ficam três exemplos, para não dizerem que sou sectário
Há dias, na TVI 24, João Maia Abreu  sobre  uma notícia do El Mundo,  traduziu “chino” por criança, o que no contexto da notícia deu lapso prenhe de humor.
Já uma jornalista da RTP, de seu nome Estela, tem como hábito- na tradução de jornais francófonos,  confundir o verbo “Vouloir”  com o verbo “Aller” . Assim, se Sarkozy “ Veut”  qualquer coisa, a jornalista  sistematicamente afirma que Sarkozy  “ Vai”, em vez de “Quer”. Já dei boas gargalhadas com os efeitos destas trocas...
A cereja no topo do bolo, porém, surgiu há dias na SIC  pela voz de Augusto Madureira. Desta feita, o jornal era português e falava de um festival de música a realizar em Portugal,onde se fazia uma comparação ( que me pareceu descabida) com  a presença de  jovens em Lloret del Mar durante as férias da Páscoa.
Augusto Madureira enredou-se durante uns segundos ( quiçá confuso com o paralelismo) e acabou por rematar “ Espera-se a presença de muitos jovens no concerto para ouvir os “Lloret del Mar”. Genial! Quem não vai dormir bem disposto depois de ouvir tanta alarvidade?