sexta-feira, 13 de abril de 2012

Mozart em Lisboa

Encontrei Mozart na Rua Augusta e fiquei a observá-lo.
A determinada altura, aproximou-se uma senhora portuguesa. Pediu para o fotografar. Ele acedeu com o mesmo  sorriso que dispensa a  qualquer turista . Depois... Bem se querem saber o melhor é lerem aqui..

Palavra da Salvação

Seria razão para sorrir, não se desse o caso de ser revelador da escroqueria deste governo. Ora leiam lá isto...

Olhós meus chouriços, Assunção!



Pedro Passos Coelho precisava de angariar mais receitas, mas tinha esgotado a imaginação e não conseguia encontrar uma ideia para lançar um novo imposto. Telefonou a Paulo Portas a pedir ajuda. O ministro fantasma prometeu tratar do assunto. Reuniu-se com Pedro Mota Soares e pediu-lhe que criasse mais um imposto disfarçado, reduzindo mais umas regalias, a pretexto de evitar as fraudes.
- Porque é que hei-de ser sempre eu, Paulo? – choramingou o ministro da Vespa que num passe de mágica se transformou num Audi.
- Está bem vou telefonar à Cristas- condescendeu Portas
“Ó Cristas, inventa lá  no teu ministério um imposto que não pareça imposto e dê ares de ser uma boa ideia!”
- Ok, Paulo, tu mandas. Dá-me só  uma horinha que eu já arranjo uma solução.

Uma hora depois ....

-Está lá, Paulo? Já descobri. Vou criar uma taxa sobre os alimentos!
-Tu estás louca Assunção ! Com os portugueses a passar fome e vens-me com a ideia de aumentar o preço dos alimentos? Deves querer correr comigo do governo. Isso não se faz, olha que fui eu que te arranjei esse  ministério de luxo.
- De luxo? Deves estar a gozar comigo, Paulo. Sabes lá o que eu tenho passado por aí! Até já tive de andar a espremer as tetas das vacas, imagina!
- Eu vi na televisão. Não tens lá muito jeito, mas um dia destes a gente encontra-se e eu ensino-te umas técnicas que aprendi nas feiras, para ultrapassar momentos delicados. Bem, mas vamos lá ao que interessa. Eu não quero...
- Calma, Paulo, calma...Não te preocupes! As pessoas  não vão perceber. Vou anunciar uma taxa sobre os comerciantes, dizendo que é para garantir a saúde e segurança dos alimentos e toda a gente vai achar bem. Se eles resolverem fazer incidir essa taxa sobre os consumidores, a culpa não é nossa, estás a ver?
- Bem visto, sãozita, bem visto. Eu sabia que tinha feito uma boa escolha quando te nomeei.Olha, mas faz-me um favor. Põe aí uma excepção na lei. Os estabelecimentos com menos de 400 m2 não pagam taxa.
- Porquê, Paulo?
- Eh, pá, é que o merceeiro lá do meu bairro, o sr.Casimiro, todos os meses me oferece uns chouriços e eu tenho receio que essa taxa o ponha mal disposto. E sabes bem como eu gosto de chouriços, não sabes?
-  Pronto, está combinado, Paulinho. Fica tranquilo que não te vou tirar esse prazer dos chouriços.

O Quebra Nozes


Seguro disse:
O Tratado Orçamental Europeu põe em risco a soberania de Portugal, blá, blá blá.
Prejudica gravemente os interesses dos portugueses, blá,blá, blá
O PS vai negociar com o governo a inclusão de uma adenda que blá,blá ,blá
Os partidos que apoiam o governo limparam o rabiosque à adenda, pegaram na vaselina, untaram o líder do PS com elogios e Seguro, não só aceitou votar a favor, como impôs disciplina de voto.
Perante este cenário, a minha pergunta é:
Seguro quer ser


Do governo

Ou pretende ser mesmo uma perna do



que sustenta este governo com atentados à nossa soberania e ao nosso crescimento e vai condenar os portugueses à austeridade eterna?
A resposta é absolutamente prescindível, porque Seguro é apenas uma noz  que vai acabar  triturada pelo
que o governo empunha diariamente, mas ainda não percebeu.



Como ganhar o Euromilhões sem apostar

Com esta recomendação, o governo  ainda compra outra vez o BPN! Como foi vendido por 40 milhões, PPC ainda nos vai dizer  que comprá-lo por 400 é um excelente negócio. 


Imagens de Abril


Hoje, recordo imagens e não vozes. Há uma justificação plausível para o fazer. Estreou esta noite, em Lisboa,  "Linha Vermelha" de José Filipe Costa. 
Trata-se de um documentário sobre um momento histórico da revolução de Abril: a ocupação da Herdade de Torre Bela. 
O original- que guardo em casa religiosamente- foi produzido pelo alemão Thomas Harlen durante os dois anos da ocupação da herdade abandonada, por agricultores sem terras e sem trabalho. José Filipe Costa foi reviver esses momentos, falando com protagonistas e com o realizador. Um documento único sobre a História de Abril, que muitos sonharam iria transformar Portugal definitivamente. 37 anos depois, veio um coelho e comeu tudo, mas ainda vamos a tempo de salvar alguma coisa.