domingo, 11 de março de 2012

Blog da semana

Conheci-o quando era Constantino. Agora é Vítor, mas continua  a ser o Guardador de Vacas que nos conta histórias deliciosas de Ismael. O Guardador de Vacas é o blog da semana

Amor em tempo de bola

Imagem  da Internet

O jogo terminara. Ele estava  eufórico com a vitória da sua equipa no campo do grande rival. A vitória no campeonato ficava assegurada. 
Olhou para ela, destroçada pela derrota, viu-lhe os olhos marejados de lágrimas. Sentiu a sua felicidade esmaecer. Pegou-lhe na mão. Afagou-lhe o rosto. Abraçou-a com força. Ela repeliu-o. Já há muito que não sentia aquele gesto de carinho e interpretou-o como compaixão, mas o que ele tinha era um sentimento de culpa, por a alegria dele ser causa da tristeza dela.
Abraçou-a com mais força e beijou-a com um desejo que há muito não sentia. Ela deixou de oferecer resistência. Ali mesmo, no sofá da sala onde tinham acabado de ver o jogo, fizeram amor, com uma intensidade que há muito não experimentavam. No final, ela tinha um sorriso de felicidade estampado no rosto e os seus olhos brilhavam como nos tempos em que se tinham conhecido. Agora, eram os olhos dele que estavam marejados de lágrimas. Feliz, por ter voltado a ver a felicidade estampada no rosto dela e sentido o prazer imenso de a amar, retribuído .
Cancelaram o compromisso com os amigos de quem sempre se rodeavam, porque há muito temiam a solidão de fins de semana a dois.
Foram cear a um restaurante romântico. Falaram com a alegria de outros tempos. No fim foram dançar.  Era já de madrugada quando regressaram a casa. Voltaram a fazer amor, como se fosse a primeira vez.
No dia segunte ele levantou-se, preparou o pequeno almoço e levou-lho à cama. Ela resmungou qualquer coisa e depois sorriu. Ficaram em casa todo o dia, recuperando o amor que estava há anos off side.

( Em tempo: as crónicas vão voltar ao CR com alguma regularidade. A partir de hoje, ao domingo, este espaço será ocupado com "crónicas de domingo" e durante a semana haverá outras crónicas, sem dia nem hora marcadas).

O Elo mais fraco

Meu caro Vítor
Mais cedo do que eu esperava- apenas uma semana depois de lhe ter pedido para se ir embora-  você confirmou que não é homem para estar à frente do F.C. do Porto. Não me surpreendi com o resultado desastroso com a Académica, que definitivamente nos arredou do título. As duas últimas vitórias no Dragão foram conseguidas a jogar contra 10 e a vitória na Luz foi fruto de alguma sorte, de um erro de arbitragem e de erros clamorosos de Jorge Jesus.
Este ano já não ganhamos nada. Por favor demita-se! 

Le premier bonheur du jour





Jean Laurent da La Hyre- Diana e as suas ninfas
"Nesta frescura tal desembarcaram
Já das naus os segundos argonautas,
Onde pela floresta se deixavam
Andar as belas deusas como incautas
Algumas doces cítaras tocavam
Algumas harpas e sonoras flautas
Outras, cos arcos de ouro, se fingiam
Seguir os animais que não seguiam
(…)
Duma os cabelos de ouro o vento leva
Correndo, e de outra as fraldas delicadas
Acende-se o desejo, que se cava
Nas alvas carnes, súbito mostradas" 
(...)
( Os  Lusíadas, Canto IX)

25 anos depois...


Ao marcar 5 golos ao Bayer Leverkussen, Lionel Messi gravou o seu nome na História da Liga dos Campeões, por ter sido até agora o único jogador a conseguir tal feito.
Mas a " manita" ( cinco golos  num só jogo) de Messi  confere também outro significado à "mão de Deus"  invocada por Maradona em 1986, após marcar um golo à Inglaterra com a mão. Vinte e cinco anos depois da "mão de Deus" a  "manita  de Messi não só entrará para a história da Liga dos Campeões, como conferirá ao super talentoso  jogador argentino,a terceira  Bola de Ouro, feito inédito na história do futebol mundial.