segunda-feira, 5 de março de 2012

Erros de paralaxe

Lembro-me de ouvir Passos Coelho, durante a campanha eleitoral, bramir que com ele, cada euro gasto pelo governo seria bem gasto, para permitir o desenvolvimento e modernização do país. 
Lembro-me que uma das primeiras medidas do ministro da educação foi retirar dinheiro às escolas públicas, para aumentar as doações às escolas privadas onde, segundo a sua douta opinião, o dinheiro está melhor entregue.
Leio este estudo feito pela Universidade do Porto e constato que também o ministro da educação desconhece por completo a realidade do país e governa com base em convicções, desbaratando dinheiro público.

Pronúncia do Norte (36)


A Baixinha arranjou finalmente um emprego e foi trabalhar para o Norte no início do ano. Com os ensinamentos que lhe fui dando, ela lá se vai desenrascando, mas ainda lhe faltam alguns conhecimentos sobre o linguarejar nortenho.
Há dias enviou-me um mail,intrigada:
Olha lá. desde que aqui estou, várias pessoas me disseram que devia fazer umas repas. Eu respondo sempre que um dia vou pensar nisso, mas não faço a mínima ideia do que sejam repas.Podes dar-me uma ajuda?
Respondi-lhe:
Olha, Baixinha, se tivesses estado atenta às minhas explicações, sabias que repas é isto.
Mas, sinceramente, não me parece que devas seguir os conselhos dessas pessoas...

Violência doméstica


Há cerca de um ano, Sócrates justificava a crise com uma frase que lhe ficou colada à pele: "O mundo mudou!"
Alguma bloga hoje instalada no poder deleitou-se a escrever posts, escarnecendo da frase do então primeiro-ministro.
A verdade é que, um ano depois, ninguém contesta que o mundo mudou mesmo nos últimos anos. Piorou a qualidade de vida, aumentou o desemprego, desmantelou-se o estado social, fez-se tábua rasa dos direitos dos trabalhadores, instalou-se um novo modelo de escravatura, aumentaram as desigualdades, a democracia em alguns países não é mais do que adorno de dicionário.
Só a violência doméstica, que sempre tivera o macho como algoz e a fêmea como vítima, se desenha agora com novos contornos. Mais democráticos. Como se pode ler aqui
Há, no entanto, ainda um longo caminho a percorrer, até se alcançar a igualdade...

A invenção de Chico, ou como se mascara um frete de notícia

Não estava em Lisboa e a notícia passou-me ao lado. Ontem, a leitura da coluna do Provedor do DN, aguçou-me a curiosidade.
Coincidindo(?) com o dia da greve dos transportes, o DN  publicou uma notícia informando os leitores dos benefícios escandalosos dos funcionários da CP. O escândalo, presumo, terá sido geral e os trabalhadores da CP vilipendiados, por fazerem greve quando usufruem de benefícios que não são acessíveis à esmagadora maioria dos trabalhadores portugueses.
Depois de ler a coluna do Provedor do DN e constatar a falsidade da notícia que fez manchete do DN comecei a amarrar os cordelinhos. A notícia foi escrita por Francisco de Almeida Leite, editor de política do DN e confirmou aquilo que já suspeitava: os protagonistas do jornalismo de sarjeta, que durante um período se acolheram no blog Albergue Espanhol (encerrado depois de cumprir a sua missão, porque a maioria dos que lá escreviam foram presenteados por Pedro Passos Coelho com lugares no governo ou empresas do Estado)   está enfeudado ao governo e prolifera nos gabinetes ministeriais.
Não parei por aqui. Fui ler o blog do regime coordenado por Pedro Correia e constatei que por lá também se fazia eco da notícia do DN. 
Não me restavam dúvidas, mas esta coincidência permitiu-me perceber  melhor  o que foram fazer  para os gabinetes ministeriais  vários ex-editores do DN como Maria de Lurdes Vale( entretanto promovida para o Turismo de Portugal)  e Pedro Correia. E percebe-se, também, porque Francisco Almeida Leite, editor de política, anunciado como assessor de imprensa de Pedro Passos Coelho, permaneceu no jornal: para  fazer  fretes ao governo. Não há almoços grátis e os jornalistas que andaram a papar almoços a Pedro Passos Coelho, pagam agora a factura, publicando notícias falsas, para intoxicar a opinião pública. 
A história mete nojo e revela bem até onde chega a promiscuidade entre alguns  jornalistas do DN  e governo.
Se tiver estômago, conheça a história contada pelo Provedor do DN (aqui) e veja a radiografia e os antecedentes aqui

Duetos (19)