domingo, 4 de março de 2012

Blog da semana

É um blog que visito com alguma frequência e tem um nome bem apropriado ao país em que vivemos. O País do Burro é a minha escolha da semana.

Virtudes teologais...

Porque hoje é domingo convém lembrar a religiosidade deste governo.
Tem a Fé da Cristas e a Caridade do ministro da Vespa. Só falta a Esperança, mas isso é um problema do povo, algo que não preocupa o governo.

Carta de despedida



Lamento, mas não é por termos vindo vencer à Luz que mudo a minha opinião.
É bom que não esqueça, meu caro Vítor, que antes das arrojadas substituições que deram certo na Luz, fez muitas outras que se revelaram desastrosas e nos fizeram sofrer humilhações, como a eliminação da Liga dos Campeões. Desta vez teve sorte, mas não abuse dela…
Houve mérito na vitória, sem dúvida, apesar das queixas da arbitragem da equipa derrotada que já se tornaram tão banais que não merecem qualquer crédito.
Devo dizer-lhe  que, apesar da vitória, continuo com muitas dúvidas quanto à possibilidade de virmos a ser campeões. Mas, se isso vier a acontecer peço-lhe, como adepto, que se demita no final da época. Poderá assim sair em glória  e deixar  sempre a ideia de que é treinador à altura do nosso clube. Os seus críticos (entre os quais me incluo) agradecer-lhe-ão a vitória. Se insistir em ficar, vai dar-nos oportunidade  de demonstrar que temos razão em não acreditar em si.Olhe que o Jesus não vai ficar eternamente  à frente do Benfica...
Desculpe a crueza das críticas, mas não quero ver o meu FC do Porto arrastar-se mais uma época pelos relvados, desbaratando uma equipa de sonho na conquista de troféus que não ultrapassam os limites das nossas fronteiras. Só se conquistam  triunfos além fronteiras  com ambição, que é aquilo que lhe falta, meu caro Vítor. É por isso que nunca será um treinador à nossa medida.
Obrigado por tudo e votos de muitos sucessos além-fronteiras.

Le premier bonheur du jour ...

                                                    ... Cést un rayon de soleil

Na luz oscilam os múltiplos navios
Caminho ao longo dos oceanos frios

As ondas desenrolam os seus braços
E brancas tombam de bruços

A praia é lis e longa sob o vento
Saturada de espaços e maresia

E para trás fica o murmúrio
Das ondas enroladas como búzios
 (Sophia de Mello Breyner Andersen)

E se a moda pega por cá?

Ou esta história está mal contada, ou há qualquer coisa aqui que não bate certo