quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Mensagem de Natal do nosso primeiro

Obviamente que não ouvi a mensagem de Natal de Pedro Passos Coelho, porque não gosto de ouvir aldrabices em época natalícia. Este post foi, aliás, pré-agendado.
Posso no entanto arriscar, sem grande margem de erro, que a única novidade foi PPC ter dito aos portugueses para não se começarem já a lamentar, porque as coisas vão correr mal e lá para o Verão é que as coisas vão começar a doer. ( Ou então disse mais uma vez que em 2013 é que vai ser bom e vamos entrar no Paraíso, porque o bom povo português será finalmente recompensado por ser manso e obediente)
Em tudo o resto, a mensagem de Natal do nosso primeiro foi mais disto.
Ou estarei enganado? No próximo ano ficarei a saber...

11 comentários:

  1. Nosso,ponto e virgula.
    Preferia criar ratazanas.

    ResponderEliminar
  2. Eu desliguei o televisor
    Para calar esse estupor
    Pimba, com raiva irada
    Como se lhe fechasse a porta na cara
    Ou lhe mandasse uma pedrada

    ResponderEliminar
  3. Desliguei o televisor, tal como o Rogério, coisa que aliás faço sempre que o estupor aparece.
    Bom Ano, Carlos

    ResponderEliminar
  4. Carlos, não ouvi nem vi...
    porque obviamente já o demiti!!

    Continuação de Boas Festas e boas férias natalícias.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  5. Não vi porque nem liguei o aparelho e aderi ao 'apagão'. Por princípio, não oiço os da quadrilha que ele encabeça. Acredite, tenho medo de ter uma fúria e ficar sem a televisão...

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar
  6. A minha mensagem de Natal (hoje é o segundo Dia de Natal na Alemanha) é simples e verdadeira, Carlos.

    Desejo-lhe uns dias felizes e despreocupados!!!

    ResponderEliminar
  7. Também não vi, que não faltava mais nada senão aturar o aldrabilhas em dia de Natal...:)))

    ResponderEliminar
  8. Para além de não ter o televisor ligado, já não suporto ver a foto de tal individuo.

    ResponderEliminar
  9. Nada de novo, Carlos.
    Em boa verdade, não havia novidades a dar.
    Hoje, no Facebook, voltou a falar no óbvio - as dificuldades que todos estão a sentir, uns mais, outros menos.

    ResponderEliminar