quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Adeus Europa!

Pouco me importa se o Orçamento da UE para 2014-2020 vai ser aprovado em Janeiro. As migalhas que Rumpuy promete a Portugal em nada alteram a minha opinião sobre a falta de solidez e de estratégia dos líderes europeus. A União Europeia não depende de esmolas, depende de uma política de coesão onde os mais fracos sejam apoiados pelos mais fortes. Foi assim que os EUA  se tornaram o país mais poderoso do mundo. E continua a ser a política de coesão ( veja-se a dívida da Califórnia que seria um estado falido nos parâmetros da UE) que mantém os 50 Estados unidos  num projecto comum.
A Europa - escrevo-o pela enésima vez- está a esboroar-se e começa a ser pouco respeitada no mundo inteiro. Já toda a gente percebeu que a UE interessa apenas a meia dúzia de países que pretendem explorar os restantes.
Despeço-me hoje da Europa. Sem mágoa. Apenas com o desprezo que sinto pelos crápulas. A Europa actual é isso. Um grupo de crápulas, mentirosos, incompetentes, fascinados pelos cifrões, insensíveis com as pessoas e programados como computadores, que governam um continente que já deu bons exemplos ao mundo. Hoje continua a ser convidada para as festas de família, mas ninguém lhe liga nenhuma e alguns anseiam ver-se livre dela de uma vez por todas.
Adeus Europa! Ao menos descansa em paz! 

5 comentários:

  1. Sim, pelo caminho que isto leva, a "festa" acabou para não mais voltar, hoje somos nós, amanhã serão os restantes. E não estou convencida que mais dia mesmo dia não vá acabar tudo à estalada para cumprir a tradição. Está nos genes.

    ResponderEliminar
  2. Olá Carlos... e adeus, pelos vistos. :)
    Logo agora é que se despede Carlos? Então não quer ver a obra do BCE que estão a construir à custa da miséria dos europeus?!

    "O que interessa é que o BCE celebrou a realização das obras estruturais na cidade de Frankfurt: o conjunto (pois não há só as torres) surgirá na zona dos velhos mercados gerais da cidade alemã, a Grossmarkthalle. É previsto um prédio horizontal e duas torres poligonais de 185 e 165 metros.

    Custo? 1.2 biliões de Euros. E já consigo ouvir as lamentações: "Mas como? Por aqui dizem austeridade, cortam ordenados, serviços e reformas e depois gastam um monte de dinheiro numa coisa desta?".
    Deveriam mas é ter vergonha na cara, sempre com pensamentos negativos: este não é dinheiro dos contribuintes, simplesmente o BCE ganhou o Euromilhões. É tudo de borla."

    Se quiser veja aqui a foto do edifício futurista:

    http://informacaoincorrecta.blogspot.pt/2012/12/a-nova-sede-do-bce-aleluia.html

    Um beijo

    ResponderEliminar
  3. Um adeus à Europa toda?
    Discordo. Deixem-nos ficar os países nórdicos e ... as nórdicas.
    :)

    ResponderEliminar
  4. Também que chegou essa moda, Carlos - não se resolvem problemas, dão-se cheques.

    ResponderEliminar