sexta-feira, 23 de novembro de 2012

O Bobo




Creio que todos nós, na escola  primária ou no liceu, tivemos um colega que se destacava por se esforçar em por as turmas a rir com piadas mais ou menos parvas. Eu lembro-me particularmente de um, que me acompanhou desde o primeiro ao quarto ano do liceu. Chamava-se Gaioso, nome que condizia na perfeição com o seu espírito, mas que nós passamos a apelidar de Bobo, desde o dia em que ficámos a conhecer a obra de Alexandre Herculano. 
Para além das piadas, o Bobo das escolas destacava-se por ser normalmente cábula e utilizar o seu sentido de humor duvidoso, para perturbar as aulas e dar cabo da paciência aos professores que, não raras vezes, os expulsava da sala. 
Vem isto a propósito da intervenção do PR na atribuição dos Prémios Gazeta de jornalismo, ontem realizada. Apesar de o momento do país ser sério, Cavaco Silva não resistiu a fazer um discurso(?) cheio de piadas de evidente mau gosto, com o qual tentou cativar a  atenção dos jornalistas presentes.
Creio que, tal como eu, muitos dos presentes se terão lembrado do Bobo que tiveram como colega . Admito mesmo que, entre os presentes, pudessem estar outros ex- Bobos de escola, mas ontem Cavaco Silva ofuscou todos.  Com as suas palavras irónicas, sobre o que os portugueses pensam do seu silêncio, o PR apenas explicou que se deve ao facto de ser cábula e não saber, por isso, resolver os problemas do país.Mais valia ter estado calado, mas optou por se comportar como  Bobo da turma. Pena não haver nenhum professor que o expulse da sala.

12 comentários:

  1. Se andar trocado fosse um mérito. O "coiso" tinha-o todo, para além de ser bobo: quando esteve calado, devia ter falado; quando falou, devia estar calado...

    Ah, e não conheci nenhum estupor que tivesse sentido de humor!

    ResponderEliminar
  2. Cada um é para o que nasce! O Aníbal nasceu para bobo, mas sem sentido de humor. Depois de um silêncio tão prolongado, quando falou, nada do que disse adiantou...pois ficámos sem saber se andou desnorteado ou apenas amedrontado!

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  3. Ele é um homem com um rosto que exprime dureza, frieza,...um rosto de alguém que não sabe sorrir, quando busca pela graçola é traído por si mesmo!

    ResponderEliminar
  4. Ah, esqueci-me de uma coisa.

    "Não parece"...Kafka, escreveu mesmo! E quem "A Metamorfose" leu, sabe disso...

    ResponderEliminar
  5. Acontece que alguns desses colegas de escola, por vezes tinham piada! Já Cavaco nem isso consegue... nunca! :P

    ResponderEliminar
  6. Até para ser bobo é necessário talento...

    ResponderEliminar
  7. Autêntica farsa a piada sem piada de um presidente que afinal deveria continuar calado.
    para nos poupar a coisas como esta.

    ResponderEliminar
  8. Quando vi o john cleese de boliqueime a debitar esfreguei logo as mãos de contente ao pensar no post divertido que devia sair aqui no Rochedo. Não me enganei! :)

    PS: também tínhamos um bobo no liceu, sósia do Marco Paulo ou do Justiceiro, conforme os dias. E quase com tanta piada como o sr. Aníbal. E com a basófia do Relvas. Só virtudes, o rapaz...

    ResponderEliminar
  9. Nem para bobo o homem tem qualidades. Ser bobo não é para qualquer um. Quando muito poderá ser bobo de trazer por casa.

    ResponderEliminar
  10. Mas que impiedosos são todos V.!
    O que o homem sofreu, a mastigar o assunto, até ter oportunidade de soltar a bílis!
    Quando o vejo o esgar com que aparece na tv fico sempre com a impressão de que está aflitinho para ir a um "sítio".
    mozart

    ResponderEliminar
  11. Ninguém publicou na íntegra as kavacadas do PR, embora possivelmente viessem acrescentar graves traumas a todos nós!....só de olhar para sua fisionomia acho que dali saem apenas piadas mórbidas!....

    ResponderEliminar