quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Aquele senhor de fato azul

Aquele senhor que às vezes nos entra em casa, insistindo que é Presidente da República, teve hoje mais um delírio em público: apelou ao investimento no mar, na agricultura e na indústria.
O senhor que normalmente veste fato azul, mas hoje se vestiu de negro, esqueceu-se que foi ele quem destruiu a agricultura, as pescas, a indústria e os caminhos de ferro, pagando a quem investisse os fundos comunitários destinados à agricultura e às pescas  em casas com piscina e jeeps de alta cilindrada.
Esqueceu-se que foi ele que incentivou ao abandono da indústria, em troca dos serviços e nessa aposta gastou verbas avultadas dos fundos comunitários. Que foi ele quem mandou destruir centenas de quilómetros de via férrea. Que disse, em 2001, que as medidas de austeridade eram um erro de palmatória, porque só agravariam a crise.
Avisem o palácio de Belém. Avisem a polícia e as forças armadas. O senhor do fato azul é um homem perigoso. Continua a insistir que é presidente da republica. Não se cansa de dizer "Eu já tinha avisado". Último aviso: Detenham esse senhor que veste fato azul. Ele é um homem perigoso, não pode continuar em liberdade!

8 comentários:

  1. O homem é uma vergonha, parece um incendiário que depois de ter ateado as chamas, chama a atenção que para o perigo do uso indevido dos fósforos....

    ResponderEliminar
  2. O senhor do fato azul entrou em delírio.
    Uma pergunta: detenha-se o senhor ... vivo ou morto?

    ResponderEliminar
  3. Ele pense que os portugueses e portuguesas perderam a memória!

    ResponderEliminar
  4. Era bom que este teu post fosse seguido à risca.

    ResponderEliminar
  5. Antes de falar no tal sr. do fato azul, que se julga PR - se calhar nem vou falar porque tu já disseste tudo - deixa que te diga da emoção que me causou a leitura da tua "Resposta na tarde Escura", ou melhor, na resposta que a Isaura deu ao Baptista- Bastos.
    "Sempre fizeste tudo o que te apeteceu".
    Algumas crónicas dele são muito ao estilo das tuas, mas esta tocou-me muito especialmente!
    Também, hoje, me lembrei de Ernest Hemingway e da sua convicção de que o homem não nasceu para ser derrotado.
    Ora..ora, diria eu...nem mesmo na idade do "condor"!

    Sim, Carlos, era bom que detivessem esse senhor! Ele está a tornar-se perigoso por estar a sofrer de amnésia...

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  6. O senhor de fato azul queixa-se que a pensão dele é pequena, mas já se vislumbra o porquê: deve gastá-la todinha em queijo!

    Mas se ele anda esquecido ou distraído, pode ficar descansadinho que ainda há gente com boa memória neste país! Quer dizer, ou é isso, ou precisa de ir para o manicómio, porque se trata de demência!

    ResponderEliminar
  7. A memória é curta e a vergonha nenhuma, Carlos.

    ResponderEliminar
  8. Há agora aí um remédio novo, o Memofante ou lá como se chama. Proponho uma vaquinha colectiva para aviar uma receita para o senhor de fato azul...inacreditável a lata desta gente.

    ResponderEliminar