terça-feira, 9 de outubro de 2012

O chulo e a prostituta




Foi há muito, muito, tempo...O 25 de Abril ainda andava nas ruas, as pessoas ainda acreditavam que o fascismo não voltaria e o povo unido jamais seria vencido.
Eu acabara de cumprir o serviço militar e iniciava-me na psicologia. Um dia, a minha amiga Teresa Rosmaninho- que viria a ser a cara da APAV- levou ao meu consultório uma mulher. Rapidamente me apercebi que aquelas roupas estampadas de cores garridas, adornando um corpo vistoso, escondiam uma alma amarga e um corpo dorido de nódoas negras.
A mulher era prostituta e as nódoas negras que coleccionava um pouco por todas as partes visíveis do seu corpo eram o resultado dos correctivos que o chulo todos os dias lhe infligia, insatisfeito com o fraco pecúlio que a mulher lhe trazia, insuficiente para alimentar o vício da droga.
A mulher confessou-me que em tempos o amara e até tinha dois filhos dele,  mas naquela altura olhava para ele apenas como o homem que a protegia de eventuais maus tratos dos clientes. Por isso não o podia deixar, já que temia que esse acto tresloucado lhe pudesse trazer consequências imprevisíveis, incluindo a morte.Dela ou dos seus filhos.
Lembrei-me deste episódio quando ouvi esta frase de Teresa Leal Coelho. Ela representa o modo de pensar do PSD. Incapaz de enfrentar os chulos da troika, prefere aceitar os castigos que eles lhe impõem, a negociar alternativas. Com essa atitude escraviza os portugueses e condena-os a sevícias inaceitáveis.
Apesar de tudo, a prostituta que naquele dia entrou no meu consultório, tinha mais dignidade. Se lhe  garantissem a protecção dos filhos, ela estava disposta a deixar de se prostituir.
O PSD, pelo contrário, prostitui-se diariamente e não tem qualquer pejo em fazer alarde disso. Teresa Leal Coelho está muito reconhecida porque os chulos da troika lhe pagam o lugar que ocupa no Parlamento e adverte os seus adversários políticos com assento no hemiciclo que também devem estar gratos, em vez de apresentarem moções de censura. Por isso admite continuar a prostituir-se politicamente e a levar cargas de porrada. Para não morrer como política! 

9 comentários:

  1. Vou publicar o seu texto " O chulo e a Prostituta" no meu blogue. Sou adepto de factos reais e isso leva a que gosto de partilhar com quem me lê. O meu obrigado e desculpe.

    ResponderEliminar
  2. Deplorável figura que essa senhora Teresa Coelho (não serão coelhos a mais?!) fez com aquela intervenção no Parlamento! Que tia! Mais valia ir beber chá para Cascais! Cretina!

    Quanto ao texto... um mimo! Belíssima comparação! Se bem que os chulados sejamos todos nós...

    ResponderEliminar
  3. O que havia para dizer desta senhora...
    Mas não temos tempo.
    Ainda assim:

    A autora do relatório sobre as secretas e onde eram feitas as já muito polémicas referências à maçonaria, não é uma personagem qualquer e tem um historial rico em trapalhadas, estando associada a boa gente (Vale e Azevedo, o tal que quer ser asilado político) que lhe dá um ar mais sério. E tudo isto não tem sido referido nos nossos 'media'.
    O melhor cartão de visita da agora senhora deputada deve começar com: despedida do Centro Cultural de Belém e demitida do Benfica, onde foi administradora da SAD com o respeitável Vale e Azevedo.

    ResponderEliminar
  4. Estranhei que os deputados que se sentam no parlamento não tivessem reagido em conformidade.
    Pobre assembleia da república que cada vez mais se vai parecendo com uma câmara de horrores.

    ResponderEliminar
  5. Políticos/as destas, que dizem amén a tudo o que os seus líderes apregoam, morrem precocemente, quando esses líderes caem em desgraça. Como este governo já é um zombie, não me parece que apesar das loas ao "chulo" ela sobreviva... :P

    ResponderEliminar
  6. Eu nem queria acreditar no que estava ouvindo, e também lamentei o silêncio dos deputados, se calhar também gostam de levar porrada.
    Excelente este seu texto.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Porra, que grande post! Curto, grosso (quanto baste) e bem na mouche!!!

    ResponderEliminar
  8. De mestre!!! Parabéns, Carlos!

    Continuação de bom trabalho.:-)

    ResponderEliminar