quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Dois homens e um destino ( versão portuguesa)



Um queria ser cantor, outro queria voar. Sonhos falhados, fizeram-se à vida. O candidato a cantor foi administrar uma empresa, o piloto frustrado foi brincar aos aeroportos com dinheiro do erário público. Juntos, formaram centenas de pessoas para desempenharem funções em aeroportos que não existiam. O contribuinte pagou.
O piloto frustrado queria mais e, unindo o seu destino ao do falhado cantor lírico, concordaram  avançar juntos, para uma empresa ainda maior: conquistar o pote de ouro que lhes satisfaria a ganância.
Estava o pote à guarda de um vigilante desleixado, quando decidiram arriscar. Com mentiras e promessas de recompensas generosas, iludiram os guardas da quinta que lhes deram as chaves do cofre onde estava guardado o pote.
Quando finalmente o alcançaram, chamaram o capataz Vítor e prometeram-lhe sociedade, mediante a condição de matar os guardas. Não pela força das armas, mas pela condenação à fome. 
E foi assim que o cantor falhado e o piloto frustrado,  escreveram o destino de um país chamado Portugal.
Um dia destes descartarão o amanuense Vítor, mas Pedro e Miguel selaram com sangue das suas vítimas um pacto eterno. Inseparáveis até à morte, preparam-se para assaltar o pote europeu, depois de terem esvaziado o pote luso.

7 comentários:

  1. E como todas as histórias terá um fim.
    Esperemos que não seja o Holocausto.

    beijinho

    ResponderEliminar
  2. Acho a versão portuguesa demasido escabrosa, meu amigo!
    Mais do que ter apenas esperança, é urgente que o povo mude esse guião!!

    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Quando comecei a ler não percebi onde ia parar! :-))
    Claro que irão à vida um dia para nosso alívio...ou não!
    On sait jamais!

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. A minha esperança é que tal como no filme (versão original) estes fora-da-lei decidam partir rumo à Bolívia, embora ainda seja perto :)

    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. O que me chateia é a comparação destes dois trengos com o Paul Newman e o Robert Redford, perante os quais o meu coração nunca se decidiu verdadeiramente, ficava sempre com os dois :))

    ResponderEliminar
  6. A "estória" está bem contada, mas discordo do final. Não estou a vê-los conseguir assaltar o "pote europeu".Podem ser assaltantes mas falta-lhes gabarito para tanto.

    ResponderEliminar