domingo, 14 de outubro de 2012

Carta a D. Policarpo


Disse Vossa Eminência, em Fátima, que protestar na rua não resolve nada e não é constitucional.
Permita-me que lhe dê um conselho, senhor cardeal patriarca: Não fale daquilo que não sabe! 
Eu também não falo da hipocrisia da sua Igreja quando proclama a humildade, elogia a pobreza e beatifica a santidade, mas ostenta uma riqueza ultrajante. Apesar de saber sobre isso mais do que desejava...
Permita-me, no entanto, que lhe recorde o comportamento ignóbil da sua Igreja. Não, não me refiro aos pedófilos que pululam nas hostes clericais, nem à corrupção que grassa no seu seio. O reparo que lhe faço está relacionado com o apoio às ditaduras da América Latina, especialmente no Chile e na Argentina. Sabe quantos clérigos já foram condenados na Argentina por colaboração com o regime militar e por terem cometido crimes de tortura e raptos de crianças? Ai não sabe? Então recomendo-lhe a leitura do livro "Aconteceu na Argentina" ou acompanhe o relato dos julgamentos dos membros do seu clero.
A América Latina é muito longe?  Então permita-me que lhe lembre o papel da Igreja espanhola  durante a Guerra Civil e, especialmente, de uma santificada freira que, talvez copiando o exemplo dos seus irmãos argentinos, roubava bebés às mães para os entregar a famílias ricas que não podiam ter filhos. Está tudo documentado, senhor cardeal patriarca!
Peço-lhe muita desculpa, mas o senhor não tem direito de criticar pessoas que sofrem diariamente na carne a tirania de um governo desumano e insensível. Quando o senhor defende um governo como este, está a contrariar a doutrina da sua Igreja. Aliás, o senhor está completamente isolado na sua Igreja, o que me leva a crer que os seus súbditos estão tão fartos de si, como s portugueses estão fartos deste governo.
Nem a sua Igreja, nem os portugueses, aceitam que o senhor saia em defesa do governo, apenas com um objectivo: manter a isenção do IMI nos imóveis da Igreja.
Termino com uma confissão. Já fui crente, sabe, mas foi por ter conhecido membros do clero com comportamento como o seu, que perdi a Fé. Claro que conheci gente digna na Igreja e tenho até três bons amigos, todos figuras públicas, que felizmente não pensam como Vossa Eminência. 
O senhor prestou um mau serviço à Igreja. Já devia ter renunciado ao cargo. Faça-o quanto antes, para evitar mais danos à Igreja.

11 comentários:

  1. Muito bem amigo Carlos, também eu já repudiei as palavras do Cardeal que considero sem nexo e sem cuidado criterioso em relação aos que sofrem
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Caro Carlos, seu post me tranquilizou... é que esteve tão tempo calado, com as ruas a mexerem por muito lado, com os artistas a mobilizarem-se e, de si, nem um pio.. o Carlos, "Moita, carrasco" nem se ouviu!

    Estou mais descansado!

    ResponderEliminar
  3. Muito bem, Carlos!

    O homem, renunciar ao cargo? Então onde iria conseguir manter a sua conta bancária e as regalias?

    É por cause de gente assim que a Igreja Católica foi perdendo crentes.

    ResponderEliminar
  4. Concordo a 100%! E tenho ideia que cada vez existem menos crentes, precisamente devido à hipocrisia que reina nas suas cúpulas... que obviamente não é extensível a todos os seus membros! Felizmente! ;)

    ResponderEliminar
  5. Era bom que ele a lesse e dela tirasse algum ensinamento!

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Amigo Carlos:
    Concordo em absoluto com esta sua carta que espero chegue ao destinatário.

    Um beijinho e boa semana

    ResponderEliminar
  7. Subscrevo cada palavra, Carlos!

    Não acredito é que ele renuncie ao cargo, como é evidente, mas este luxo e comércio da Igreja, como o que se vê em Fátima, é um ultraje à crença e pobreza do povo.

    ResponderEliminar
  8. Muito bem Sr. Carlos.Este senhor não vale nada... a religião dele é " venha a mim o vosso contributo, a vossa isenção de impostos, etc., que a domesticação humana faço eu e (quase todos os meus pares).Há 59 anos que não acredito nesta gente.

    ResponderEliminar
  9. Infelizmente, D. José Policarpo ainda representa uma ala (maioritária) de uma Igreja bolorenta, empoeirada, aburguesada.
    Responsável pela crise de vocações e pelo afastamento de muitos fiéis.

    ResponderEliminar
  10. São tantas as idiotices que diz... Já dizia que as portuguesas não podem casar com árabes, enfim... O delírio.

    ResponderEliminar
  11. Tudo nos leva a acreditar que nada é real, parece que tudo é uma palhaçada e já não se pode confiar em ninguém.
    Clero, Nobreza e Burguesia, juntos para explorar a classe trabalhadora!
    Gostava apenas de acrescentar o fato deste senhor (José Policarpo, não consigo escrever o D. antes do nome, porque acho que não o merece) afirma que em democracia exercemos o nosso direito de manifesto e opinião ao votarmos, mas votamos numa farsa! Nem mentiroso sem escrúpulos, que prometeu e não para de se contradizer:
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=gNu5BBAdQec#!

    ResponderEliminar