quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Passado e futuro

                                Nadia Comanecci                                     Rebecca Andrade

A ginástica proporciona habitualmente grandes espectáculos e revela ao mundo grandes nomes.
Quando se fala desta disciplina olímpica, o nome que vem à memória da maioria dos leitores da minha geração é, certamente, o da romena Nadia Comanecci que nos JO de 1976 ( com apenas 14 anos) deslumbrou o mundo inteiro e gerou também grande controvérsia no mundo ocidental que acusava o seu treinador de utilizar métodos esclavagistas. Enfim, a conversa do costume…
Maldicências à parte, Nadia Comaneci encantou o mundo com a sua graciosidade e talento e conquistou em Montreal a primeira nota 10 atribuída pelo júri a uma ginasta pelo seu desempenho.
Em matéria de medalhas, a jovem romena obteve 9 ( 5 de ouro), mas é curioso lembrar que, pelas regras actuais, Nadia Comaneci não poderia ter participado nos JO de Montreal em 1976. Com efeito, o COI impede a participação de ginastas com menos de 16 anos – Nadia Comaneci tinha então 14.

Vítima desse impedimento, a talentosa e promissora ginasta brasileira Rebecca Andrade, que ainda recentemente venceu as credenciadas Daniele Hipólito e Jade Barbosa, não pode estar presente em Londres pois tem apenas 13 anos. Poucos duvidam, no entanto, que ela será a grande revelação da ginástica mundial nos JO de 2016 que se realizarão no Rio de Janeiro.
No sector masculino, o  ginasta russo Nikolay Andrianov tem um lugar especial na história olímpica. Ele detém o recorde de medalhas – 15 no total, sendo que 12 em compeições individuais. Nas Olimpíadas de 1976, em Montreal, ganhou cinco medalhas de ouro em vários aparelhos, sendo com Nadia Comaneci uma das grandes figuras dessa edição.

4 comentários:

  1. Nunca mais esqueci a Nadia Comanecci. Gosto muito desta modalidade, embora a minha eleita seja mesmo o atletismo, talvez por o ter praticado como atleta federada, na juventude.

    ResponderEliminar
  2. Nadia viria, mais tarde, a ter uma vida um pouco atribulada.

    ResponderEliminar
  3. Vi um filme sobre a vida da Nadia Comaneci e fixei a cena em que aguardam a pontuação e quando aparece, não a entendem logo porque era a 1ª vez que uma nota assim era atribuída.

    ResponderEliminar
  4. Sou grande fã da ginástica desportiva (e mesmo da rítmica) e é um prazer ver os JO nestas modalidades. A Nadia fugiu da Roménia de Ceausescu...

    ResponderEliminar