quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Caderneta de cromos (34)



Era apontado como uma das estrelas deste executivo e trazia no "curriculum" o rótulo de esquerda tão conveniente a tantos políticos que renegam o passado, atraídos pelo perfume do poder.
Alguns chamaram-lhe génio, mas Crato é apenas um cromo. Procura disfarçar  sua inabilidade para o cargo, com  prepotência e um discurso que cheira a mofo, com laivos de saraivismo.
A sua teimosia roça a burrice e, graças a esta conjugação, mais de 13 mil profes vão ficar com horário zero - o que equivale a dizer manter o vencimento, mas ficar sem turmas, não exercer a profissão na sua plenitude e acumular frustrações.
Nuno Crato fica bem nesta caderneta, porque é a maior decepção deste governo. ( Partindo do princípio, claro, que este governo algum dia deu esperança de não ser decepcionante...)
Mas atenção! Ao ter justificado o encerramento de escolas proposto pelo anterior governo  (cuja decisão  o PSD criticara) com a frase "há escolas e escolas", Nuno Crato é um forte candidato a integrar, a breve prazo, as galerias dos Caramelos Vaquinha  Penso que é um lugar que lhe assenta bem, porque fica perto do estábulo.

2 comentários:

  1. Não me lembro de tamanha balburdia na educação, com a excepção talvez da infausta Maria do Carmo Seabra...

    ResponderEliminar
  2. Este era o tal que tinha todas as soluções para o Ministério da Educação e os seus infindáveis problemas!
    Afinal ele revelou-se um problema para este ministério!

    ResponderEliminar