quinta-feira, 14 de junho de 2012

Ménage à trois



No processo legislativo francês são habituais as triangulações na segunda volta, para assegurar a vitória de um determinado candidato. A equipa de futebol  de sonho dos bleus, que venceu o Mundial 98 e o Europeu de 2000, também era mestre na arte das triangulações.  Sempre inovadores, os franceses criaram agora uma triangulação amorosa que extravasou da cama para o palco da política. 
Quem haveria de dizer que aquele francês  com nome de Países Baixos e ar ingénuo  haveria de ser o responsável pela criação deste ménage à trois  político –sexual que anda a fazer furor nas redes sociais e na imprensa?
É óbvio que neste caso a dupla feminina não funciona na perfeição, porque Valérie é possessiva e ciumenta e Ségolène ambiciosa. Vai daí,  Hollande está em dificuldades. Já tenho lido e ouvido diversos comentários sobre o comportamento de Valérie, condenando-a pelo facto de não ter respeitado as decisões de Hollande.  
Consideraria esta acusação cabotina, não se desse o caso de Valérie ter aceitado as mordomias de um gabinete de primeira dama,  facto que a liga institucionalmente à presidência. A partir desse momento tem obrigação de acatar as decisões do presidente, como qualquer funcionário de gabinete. Ou então, demite-se…
Mas neste caso passional que agita a vida política francesa com algumas pitadas de humor Ségolène Royal  não deixou os seus créditos por mãos alheias e entrou na peixeirada, proclamando ser ela a mãe dos quatro filhos de Hollande. Por isso, também reclama direito a outras mordomias, na qualidade de procriadora do grupo.
Por cá também temos um ménage à trois político, mas com diferenças substanciais. O triângulo é constituído por três homens, sendo Seguro o elemento passivo e Coelho o fornicador de serviço. Não se percebeu ainda bem, é o papel de Portas…

10 comentários:

  1. ahahah! O Carlos não deixa passar nada mesmo! : )))

    ResponderEliminar
  2. Espero que o François seja melhor na cama do que os bleus no relvado. O Mundial de 1998 e o Europeu de 2000 são neve do passado, Carlos!!!

    ResponderEliminar
  3. O Carlos diz que o Seguro é o elemento passivo do triangulo. Significa "passivo", neste caso, "IDIOTA"?

    O Portas como não é procriador do grupo, não se mete na peixeirada.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. Gosto desta ironia fina... bem real!

    ResponderEliminar
  6. Muito boa a relação com a realidade política portuguesa.

    ResponderEliminar
  7. Não sei a que opiniões se refere Carlos, para mim cabotino foi o tweet da Valerie, tendo-se comportado ao nível de uma sopeirinha de um mau gosto elementar, mesmo que não tivesse aceite as mordomas de primeira dama, quanto mais tendo-as aceite. Um "affaire" do pior, que não augura nada da bom se o homem com nome de países baixo não lhe puser o açaime....:))

    ResponderEliminar
  8. Mais um DSK?!? Mas em formato mais caseiro!?!
    Fantástico... Assim quando for precioso correr com este cromo basta fazer o mesmo... E pronto!

    ResponderEliminar
  9. Com a vida sentimental de Hollande, penso que ninguém tem nada a ver, desde que as "meninas" se saibam comportar publicamente! E se ele não é capaz de pôr ordem nas duas, como é que vai orientar os destinos do seu País?!?

    Por cá o ménage a trois é muito mais perigoso, com todos a puxar para o mesmo lado. E não, não é em prol da liberdade e da democracia, como já se viu! :P

    ResponderEliminar