sexta-feira, 18 de maio de 2012

Teatro estúdio apresenta: Mãe querida, mãe querida!


Foto roubada aqui




1º Acto
Há uns tempos estava a assistir a um daqueles programas da tarde dos canais por cabo onde se dá a voz ao povo para que possa desopilar. O tema era  uma qualquer medida do Álvaro. Os espectadores zurziam  no ministro importado do Canadá para a posta ( não é gralha, é mesmo posta…) da Economia  sem dó nem piedade e até eu começava a ter pena dele, quando uma senhora  de Viseu saiu em sua defesa. 
Durante largos minutos elencou as virtudes do Álvaro, aplaudiu as suas medidas e rematou dizendo que o problema dos portugueses é serem muito invejosos. 
Pensar-se-ia que a imagem do ministro da Economia, Emprego, Obras Públicas e outras minudências correlativas tinha sido lavada por aquela senhora que dizia “ até o conheço bem, mas não é por isso que o estou aqui a defender…” 
Ainda havia, porém,  tempo para ouvir mais um testemunho. Por coincidência era um outro espectador de Viseu. Quando eu já esperava nova dose de elogios, veio a surpresa.
“ Só telefono para dizer que aquela senhora que se fartou de elogiar o senhor ministro é a mãe dele. Deu um nome  que habitualmente não usa, mas conheço-lhe muito bem a voz. Ela tem um negócio ( ou vive, já não me recordo bem do que disse o espectador…) ao pé da minha mercearia”.
(Cai o pano)

2º Acto
Lembrei-me desta história ao ver, no domingo, as reportagens sobre a visita do sr. Pedro à Feira do Livro.
Entre as pessoas que rodeavam o PM, ouve-se uma voz a incitá-lo. “ Continue, senhor PM, continue. Tenha força e endireite o país. Muita força, muita força...”
Não se viu o rosto da mulher, mas os repórteres foram  exímios na captação das suas palavras.
Não havendo possibilidade de se tratar da mãe do sr. Pedro, fiquei a pensar se aquela  mulher fazia parte do elenco, ou foi colocada naquele Presépio pelos Reis Magos da segurança de Sexa para enganar os espectadores.
Pelo sim, pelo não, fui pedir a devolução do bilhete. Disseram-me que, na melhor das hipóteses, só lá para 2015! 

16 comentários:

  1. Carlos
    Não sei bem a relação que encontrei, mas lembrei-me de uma anedota pró piroso.
    Numa aldeia algures organizou-se um espectáculo para dar a conhecer as habilidades dos alunos da escola de música local. Entre vários instrumentos que foram sendo tocados e os tocadores elogiados com bastantes palmas ficou para o fim o tocador de piano que mostrou ser um exímio e prometedor pianista. Os aplausos foram muitos. O Pai quando tudo se calou esperava algumas palavras de felicitação, mas nada. Então virou-se para trás e dispara: filho dum corno, toca bem! É meu filho!
    Abraço
    Rodrigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem diz a verdade não merece castigo, não é Rodrigo?
      Abraço e bom fds

      Eliminar
  2. Olá Carlos,

    Eu ouvi algo muito parecido no fórum da manhã da TSF. Será que a mulherzinha está ao telefone para socorrer o Álvarinho? Ou será que o Alvarinho lhe paga um Alvarinho engarrafado e a senhora retribui dessa forma?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem, Fada, depois da cena do Relvas isto já passou para segundo plano, mas a sua hipótese é bem verosímil
      Bom fds

      Eliminar
  3. "Tadinha" da senhora , eu que sou mãe até compreendo a angústia de ver o seu filho a ser criticado na televisão depois de tanto esforço e da brilhante ideia de exportar o cozido à portuguesa, as migas ...sim, porque pastéis de nata são para a sobremesa!

    Carlos, quando as pessoas são ignorantes devem levar um puxão de orelas ...não caramelos , rrss

    Bom serão, meu amigo

    ResponderEliminar
  4. Como sou mãe também, não me importava nada de ver o meu filho naquele "emprego" e defendi-o claro ! :D

    beijinhos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  5. Estamos os dois muito teatrais hoje amigo Carlos.::)) A sua comédia mesmo assim é bem melhor de viver do que a minha tragédia. Ainda assim é melhor. Espero que não leve à minha...

    ResponderEliminar
  6. 1º Acto:

    Mãe é Mãe...doa lá a quem doer! Logo que não haja crime de sangue, qualquer Mãe defende a cria com unhas e dentes. :)

    2ª Acto.

    Então, tu Carlos, pagaste bilhete para entrar nesse teatro?
    Nem quero acreditar!!!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. Ach wär ich doch in Canada geblieben…

    ResponderEliminar
  8. Carlos, você não deixa passar nenhuma! : ) Diga-me, na sua opinião qual seria o melhor ministro dessas minudências todas?! Um nome, por favor, mesmo que eu não faça a mínima ideia quem seja; outros o conhecerão.
    Abraço e bom fim de semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Terá de fazer essa pergunta ao Passos Coelho,porque foi ele que o escolheu através do blog, praticamente sem o conhecer, como já reconheceu:-)
      Bom fds também para si.
      Abraço

      Eliminar
    2. Carlos, não vale! A pergunta foi feita a si! Somente a si. : )

      Eliminar
    3. Mas quem sou eu para aconselhar o Passos, Catarina?

      Eliminar
  9. Escrevi o meu comentário em alemão, na esperança que o Carlos me respondesse nessa língua como da última vez.

    O PPC enganou-se no blogue, ele não queria o Álvaro, queria sim, o Paul Krugman.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foram duas vezes, mas não servem de exemplo... foi só um miminho :-)

      Eliminar