terça-feira, 22 de maio de 2012

Relvas e a sabedoria popular

Ministros a tentar pressionar jornalistas, não é novidade. Ministros a pedir desculpas por pressões que juram não ter cometido é original. Ministros que ameaçam jornalistas com revelação de dados da sua vida pessoal  são  pulhas. Logo, se Relvas ameaçou uma jornalista dizendo que revelaria dados da sua vida pessoal... é um pulha!
Numa semana apenas,  dois casos em que Relvas foi protagonista, provocaram reacções diferentes do ministro. No caso das secretas pediu para ir imediatamente ao Parlamento explicar-se, porque quem não deve, não teme. 
No caso das eventuais ameaças a uma jornalista não só foge do Parlamento, como dos jornalistas. Nunca mais abriu a boca. Branco é galinha o põe, não é verdade? Isto está tudo ligado. Basta ligar as pontas. É a vida!
Não deixem de seguir o link, para ficarem a saber como Relvas teve acesso aos dados pessoais da jornalista.

9 comentários:

  1. Ainda estou para ver como é que este gajo se vai safar disto...

    ResponderEliminar
  2. às tantas ainda processa a jornalista por difamação...

    Uma vergonha!!

    Mas aqui deixo o meu agradecimento a quem votou nestes crápluas!!!

    Tudo de bom, meu amigo

    ResponderEliminar
  3. Isto é um país dirigido por pinóquios.

    ResponderEliminar
  4. Palavras para quê? Está tudo explicadinho... :)

    E concordo totalmente: Relvas é um pulha, se fez o que dizem! :P

    ResponderEliminar
  5. Em Portugal... Se é Pulha... está safo!

    ResponderEliminar
  6. Mas alguém duvida que ele o fez?
    Só quem é idiota e nos quer fazer passar a todos nós por idiotas, também.

    ResponderEliminar
  7. O tipo até pode ser inocente, Carlos (não parece!!)
    Mas, com tanta trapalhada, se tivesse um mínimo de dignidade, já se tinha afastado.

    ResponderEliminar
  8. Carlos, se me pagar bem também lhe divulgo detalhes da vida pessoal desse senhor, e da indumentária que usa para o seu jogging matinal, e como combina tão bem com a dos seus seguranças, que andamos todos a pagar. Estou inclusivamente a ponderar processar a Metro, SA por permitir greves que me obrigam a andar a pé e me expõem a estes dantescos encontros imediatos matinais dos quais, passadas que estão cerca de 30 horas, ainda não recuperei. Não sei até se não terei sofrido danos irreversíveis por ter sido exposta ao sorriso pepsodent logo às oito da manhã. Certo é que, da próxima vez que vá a pé, levo um bastão de baseball. Just in case...

    ResponderEliminar