quarta-feira, 25 de abril de 2012

Vozes de Abril (17)


Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo

Sophia de Mello Breyner Andresen

13 comentários:

  1. Uma grande senhora... que muito admiro.

    ResponderEliminar
  2. Se Sophia soubesse como está outra vez escura a madrugada...

    Abraço fraterno , meu aamigo

    ResponderEliminar
  3. A mais terna e sentida descrição dessa madrugada
    e do sentimento tido.

    Bem escolhido.

    ResponderEliminar
  4. Do mais bonito que a Sophia escreveu, Carlos.
    E ela escreveu muita coisa muito bonita.

    ResponderEliminar
  5. Talvez o mais belo poema sobre Abril.
    Sophia era admirável.

    ResponderEliminar
  6. Lindíssimo, e absolutamente INTEMPORAL.

    ResponderEliminar
  7. Estas palavras da Sophia mexem sempre connosco...
    Bom Dia da Liberdade, Carlos.

    ResponderEliminar
  8. A mais bela expressão do sentir da alma do nosso Povo...
    a seguir, peço licença à São para fazer, também, minhas suas palavras.

    ResponderEliminar