quinta-feira, 5 de abril de 2012

Ladrão de Casaca




O enredo  da novela  produzida por  S. Caetano e S. Bento, tendo como protagonistas Pedro Passos Coelho, Vítor Gaspar, Carlos Moedas , Jorge Moreira da Silva e  Peter Weiss como guest star, está aqui muito bem explicado. 
Acrescentaria, porém, que ao garantir a retribuição faseada dos subsídios de férias e de Natal, apenas em 2015, Pedro Passos Coelho está implicitamente a admitir duas coisas:  
-Portugal  vai ter mesmo necessidade de um novo pedido de  ajuda externa para além de 2013 ( caso contrário, os subsídios deveriam ser devolvidos na íntegra em 2014) 
- Em 2014 –ano que antecede novo acto eleitoral- o governo prepara-se para enganar mais uma vez os portugueses, prometendo coisas que nunca irá cumprir.
Pedro Passos Coelho mente com tanta naturalidade, que acredita nas suas próprias mentiras , mas na entrevista dada ontem à RR, caiu numa armadilha que o desmascarou. Quando a jornalista lhe perguntou se não equacionava a hipótese de integrar os subsídios de férias e de Natal nos vencimentos ao longo de 12 meses, o PM  disse que essa era uma hipótese a considerar.  Ora isso significa, obviamente, o fim dos subsídios, mas não só! Se incorporar esse valor nos 12 salários está a criar a falsa ilusão de que aumentou os salários. E como o tuga come tudo o que lhe põem à frente... mastiga, engole e ainda arrota satisfeito, comida estragada.
 O à vontade com que  PPC  debita mentiras teria feito dele um excelente vendedor de automóveis ( sem ofensa para esses profissionais) ou um vendedor de banha da cobra contrafeita na Feira do Relógio. Para nosso azar acabou em PM…
 A campanha promocional da sua imagem desenvolvida pela imprensa, permitiu-lhe  ganhar a credibilidade  de pessoa séria e honesta. Por isso, sente-se  legitimado para dizer ao Tribunal Constitucional que vai fazer uma coisa, sabendo de antemão que vai fazer outra. Ontem, descaiu-se. Se os juízes do TC tiverem ouvido a entrevista e forem gente séria, terão percebido que andam a ser enganados pelo governo e agirão em conformidade.
PPC é também exímio na arte do gamanço, o que me faz lembrar  “O Ladrão de Casaca” um velho filme de  Hitchcock, onde o ladrão galanteador  se esforça por demonstrar que não foi ele o autor de um roubo de jóias na Riviera francesa. 
As contradições visíveis nas declarações proferidas por vários membros do governo, quanto a esta matéria dos subsídios, revelam que PPC quer ser ilibado em 2015, atirando as culpas para cima dos seus colaboradores. Nessa altura, porém, já os tugas se terão deixado enganar mais uma vez,  legitimando o roubo e absolvendo o réu. 
Quando discordam das decisões dos juízes, os tugas  gostam de fazer justiça pelas próprias mãos,  mas quando a lei lhes confere  essa possibilidade, ou baldam-se e não votam, ou batem palmas aos corruptos e criminosos . No fundo, no fundo, o que os tugas gostariam era de ser como eles.

Em tempo: PPC disse há dias, numa entrevista a Judite de Sousa, que o gamanço de 5% nos salários dos funcionários públicos e nas reformas dos pensionistas não era da sua responsabilidade. É verdade. No entanto Judite não lhe perguntou – como era dever de qualquer jornalista atento -por que razão ele não  restituiu o produto desse roubo.  E a verdade é que ninguém fala nisso, o que me leva a acreditar que o gamanço de 5% de salários, determinada por Sócrates,  se vai tornar  eternamente provisório. Admiram-se se o mesmo acontecer com os subsídios? Eu não!

9 comentários:

  1. Há contudo alguma diferença, é que anteriormente o gamanço tinha sido feito só a partir dos 1.500 euros, eu julgo que nessa altura os pensionistas foram poupados, mas a minha memória pode estar a atraiçoar-me...Isto é uma pouca vergonha.

    ResponderEliminar
  2. No "To Catch a Thief" considerado o filme mais romântico de Alfred Hitchcock, o ladrão de casaca galanteador não foi o autor do roubo de jóias na Riviera francesa e, esforça-se por encontrar a verdadeira ladra, com a ajuda de uma loira maravilhosa.

    Os políticos sem casaca e sem vergonha (de todos os partidos), não são nem galanteadores, nem inocentes.

    ResponderEliminar
  3. Obrigado por nos ir esclarecendo sobre o que se passa neste triste país.
    Como sempre que estas personagens assomam ao ecran da televisão, eu mudo de canal, porque me provocam um nojo enorme, é sempre bom ter alguém que nos vai actualizando.

    ResponderEliminar
  4. Este ladrão de trazer por casa é além de pouco inteligente, um mau ladrão, pois ao contrário do ladrão do filme, não rouba os ricos, mas aqueles que pouco ou nada têm...

    ResponderEliminar
  5. Dizia alguém que a democracia era o sistema mais justo, pois assim nenhum povo seria governado melhor que o que mereceria!
    Merecemos mesmo este governo...

    ResponderEliminar
  6. Carlos
    Subscrevo, mas não consigo conceber que este "bando" chegue a 2015.
    Abraço
    Rodrigo

    ResponderEliminar
  7. Eternamente provisório - nem me fale!!! Estou indignada!

    ResponderEliminar
  8. Um filme tão bom... o do Hitchcock, está claro!

    Pena desperdiçar tão bom argumento nesta escumalha tão reles que nos governa! E sim, nesta terra tudo o que é provisório rapidamente se torna em definitivo. Que o digam algumas escolas, que durante 20 ou 30 anos eram contentores "provisórios"! :P

    ResponderEliminar