quarta-feira, 18 de abril de 2012

Maria Ancapichún



A fotografia que agora serve de porta de entrada ao CR, foi a primeira que pensei escolher, quando abri este blog.  É uma fotografia de Península Valdez, na Patagónia, tirada há muitos anos. Recordo exactamente o dia em que a tirei, todos os episódios  vividos nesse dia, quem me acompanhava. Desisti de a colocar, porque me traz  muitas recordações boas, mas está ligada a um dos locais  da história da ditadura argentina, onde ocorreram os mais trágicos episódios. Esse período de tempo e este local, trazem-me recordações más…mas creio ter chegado a altura de exorcizar fantasmas e enterrar definitivamente alguns episódios do passado. 
Por isso ela aí está, em princípio, até ao Inverno… Para que o exorcismo seja completo,  escrever sobre a parte boa das minhas viagens pela  Patagónia, é uma boa terapia.
Assim, cumpro hoje a promessa de  contar, no “Crónicas on the rocks”, a história de Maria Ancapichún, como me foi contada por Lihué.  Como a história é longa, dividi-a  em dois posts.O segundo será publicado sexta-feira.  Vão até lá e digam qualquer coisinha…

Aviso: Constato que os links dos textos não aparecem a cor. Por isso, recomendo aos leitores que passem o rato sobre o texto, quando estiverem a ler, para detectar as palavras que consuzem a links. Obrigado e peço desculpa pelo incómodo que irei tentar sanar.

11 comentários:

  1. É uma bonita história. Fico à espera da continuação.

    ResponderEliminar
  2. Eu, parece-me é que já lá disse coisinhas demais, Carlos! Deixei-me levar no correr da pena e agora fico com pena se tu ficares chateado.

    ResponderEliminar
  3. E eu que tenho andado a cismar donde seria esta bela foto...:))

    ResponderEliminar
  4. Por sinal também pensei que a fotografia fosse dessas paisagens, que o Carlos tanto aprecia. E exorcizar fantasmas também faz parte... :)

    ResponderEliminar
  5. Carlos,
    gosto do novo visual. Está como o meu.
    Só nos damos conta de algum cansaço do logotipo quando se muda.
    Visóes leves e límpidas , precisam-se...
    Espero as estórias, pois.
    Penso que viveu na Argentina. Verdade?
    Abraço.
    Ana

    ResponderEliminar
  6. Faz bem em exorcizar fantasmas e quanto à foto, acho que já lhe dissera que gosto muito.

    Amigo meu, se for possível destacar mais o texto do fundo...os meus sexagenários olhos ficariam muito gratos, rrss

    Bons sonhos

    ResponderEliminar
  7. Sempre gostei de ler algo que tivesse a ver com viagens... é uma forma de ir sem sair do sítio :)

    Isso de não conseguir pôr as cores no link, com o novo visual eu tenho tido várias dificuldades de adaptação e há coisas que ainda nem descobri como se fazem.

    Bjos

    ResponderEliminar
  8. Boa tarde, Carlos.
    Está bonita sua casa com novo visual, viu? E sempre é tempo de se exorcizar o passado, guardando apenas o que de belo e bom ele nos ofereceu, meu amigo. Sei que não é fácil, mas é preciso, não é?
    Já estive no "Crônicas on the rocks" e fico à espera do restante da história que nos conta.
    Beijos

    ResponderEliminar