quinta-feira, 15 de março de 2012

Poeminha de Louvor a Strip tease secular


Poeminha de Louvor ao Strip-tease SecularEu sou do tempo em que a mulher
nem mostrava o tornozelo;
que apelo!

Depois, já rapazinho
vi as primeiras pernas de mulher
por sob a curta saia;
que gandaia!

A moda avança,
a saia sobe mais,
mostrando já joelhos
lupercais!

As fazendas com os anos,
se fazem mais leves,
e surgem figurinhas, pelas ruas,
mostrando as lindas formas quase nuas.

E a mania do sport
trouxe o short.

O short amigo,
que trouxe consigo,
o maiô de duas peças.

E logo, de audácia em audácia,
a natureza, ganhando terreno,
sugeriu o biquini,
o maiô, de pequeno, ficando mais pequeno
não se sabendo mais,
até onde um corpo branco,
pode ficar moreno.

Deus, a graça é imerecida,
Mas dai-me ainda
Uns aninhos de vida!
( Millôr Fernandes)

3 comentários:

  1. Ai, este Millôr...rrss

    Partilhei no facebooK

    Bons sonhos, meu amigo

    ResponderEliminar
  2. : )
    A Sao deseja-lhe bons sonhos! Que sonhos serao esses? : )

    ResponderEliminar
  3. Outro poeta (para mim desconhecido) com um poema, que é um belíssimo testemunho de ordem pessoal, como o corpo de uma mulher é uma verdadeira vertigem...

    ResponderEliminar