quinta-feira, 8 de março de 2012

Mulheres que não baixaram os braços



Nos messes de  Março de 2010 e 2011 homenageei aqui mulheres portuguesas e de todo o mundo, que se distinguiram na luta pelos direitos das mulheres. ( Os/as interessados/as podem encontrá-las na barra lateral do CR). Hoje,  recordo aqui uma dessas mulheres, cuja história de vida deve ser sempre lembrada. 
Rugiatu Turay nasceu na Serra Leoa . É jornalista, tem 34 anos  e foi sujeita à excisão feminina. Tinha apenas 12 anos e era órfã.
Inconformada, iniciou uma luta para evitar o sofrimento das crianças africanas a esta prática ignominiosa.
Sabe que o peço a pagar pode ser a morte mas, embora conhecendo o perigo que corre, fundou em 2002  o Amazonian Initiative Movement, com um grupo de mulheres  que conheceu num campo de refugiados na Guiné, onde esteve durante a guerra civil na Serra Leoa. Desde a criação do movimento, quatro activistas  receberam ameaças de morte e abandonaram o movimento. Apesar de ameaçada- e mesmo depois de ser raptada por outras mulheres que a obrigaram a caminhar nua pelas ruas da cidade de Knema- continua a sua luta. Visita aldeias e vai às escolas, onde esclarece as excisoras  sobre os perigos  e consequências da excisão  e tenta convencê-las   a renunciar à sua prática.
Afirma que já conseguiu demover cerca de 700 mulheres em 111 aldeias da Serra Leoa. Será  uma ínfima parte, mas é pelo menos um começo.

8 comentários:

  1. É um tema terrível, que também queria abordar no "ematejoca azul", ainda em Março.

    Rugiatu Turay é já muito conhecida, mas há ainda outras mulheres que lutam pela mesma causa aqui na Alemanha, mas é uma luta dificílima, porque
    são as próprias mães que querem que as filhas sejam sujeitas à excisão feminina.

    ResponderEliminar
  2. Amigo Carlos:
    Estas corajosas mulheres são motivo de orgulho para todos nós, mulheres.
    Este tema é tão chocante que nem consigo imaginar o seu sofrimento.
    Excelente esta sua escolha.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Pior que os machistas, só as mulheres totalmente alienadas!

    ResponderEliminar
  4. Parabéns meu amigo por sua escolha.
    Essa é Mulher com m maiúsculo. Quanta bravura, quanto amor ao próximo.
    Beijinho

    Lucia

    ResponderEliminar
  5. Carlos
    Estive grande parte do dia afastado do computador. Ainda não li integralmente os posts, como acho que ainda não vai ficar por aqui, vou guardar para amanhã e dar uma maior atenção a mais este excelente trabalho.
    Abraço
    Rodrigo

    ResponderEliminar
  6. Um post que me comoveu... totalmente!

    ResponderEliminar
  7. Isso chamo de coragem!!! E mais pessoas deveriam enfrentar quem pratica um ato de tanta covardia.

    ResponderEliminar
  8. Essa é a prática mais tenebrosa deste nosso mundo. São precisas muitas mulheres como essa!

    ResponderEliminar