quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

O pragmatismo de Fritz Lang


A propósito dos bitaites que a senhora  Merkel e o senhor Schulz  têm mandado sobre Portugal lembrei-me deste episódio delicioso.
 Depois de ver o filme de Werner Herzog “Sinais de Vida”, Lotte Eisner, colaboradora de Fritz Lang em Berlim e co-fundadora da Cinémathèque de Paris, escreveu ao realizador austríaco, então a viver nos Estados Unidos, dizendo:
 “Vi a obra de um maravilhoso realizador alemão”.
 Lang respondeu:
“Não,  é impossível!”

4 comentários:

  1. Curiosamente, há por aí muita gente que pensa que o pragmático Fritz Lang era alemão.

    Um destino que compartilha com o Hitler, que também é visto como alemão, e, afinal, era um austríaco como o Fritz.

    Beijocas da minha amiga Angie.

    ResponderEliminar
  2. Pena que não haja campos de concentração, era onde essa senhora deve estar. Não é para lá que nos está a mandar a todos?
    Beijinhos

    ResponderEliminar