segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Atrás de mim virá...



2012 vai deixar saudades. Não por ter sido um ano bom, mas porque todos sabemos que 2013 vai ser pior.
É mais ou menos como os últimos governos. Sócrates era mau mas, quando ficamos a conhecer o Coelho, percebemos que havia MUUUUIIIIITOOO pior!
Desejo a todos um ano de 2013 o melhor possível. Pelo menos com saúde e trabalho.

domingo, 30 de dezembro de 2012

sábado, 29 de dezembro de 2012

Previsões para 2013

Este ano, devido à crise, não atribuo os prémios Escorpião de Ouro.
Deixo-vos, no entanto, as previsões do Borda d'Água  que li ainda em Lisboa
" Seremos surpreendidos por mortes repentinas de pessoas com bastante influência e notoriedade na vida pública do país".
O pastel de Belém e o Paulinho das Feiras podem estar descansados. O primeiro, porque já está morto desde que vendeu a alma ao Diabo para correr com Sócrates. O Diabo cobrou-lhe caro o favor, fazendo-o refém do Coelho. As trafulhices do BPN e o obscuro caso da Coelha impedem-no de exercer a função de presidente da república. Não risca absolutamente nada na nossa vida pública.
Quanto ao Paulinho das Feiras é apenas um apêndice da festança laranja. Limita-se a manter o coelho ligado à máquina. Há quem tenha a ilusão que a qualquer momento pode cortar o fornecimento da corrente, mas é pura ilusão. Se o fizesse, os submarinos voltariam a emergir e o Paulinho ia ao fundo com um tiro no porta-aviões.
Aguardemos, pois, os nomes das vítimas. 


sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Às arrecuas

Há uns meses comecei a ler alguns desabafos de pessoas estupefactas com os malabarismos deste governo: " Volta Sócrates que estás perdoado!"
Há umas semanas,quando se tornou evidente que a única coisa que este governo sabe fazer é arranjar trapalhadas, comecei a ler" Volta Pedro Santana Lopes", que estás perdoado.
Ontem, alguém comentava o acto de contrição de Guterres e dizia: " Volta Guterres, que estás perdoado".
Assim, sempre às arrecuas, também já vai havendo por aí quem peça em surdina o regresso de Salazar.
Portugal está a precisar de um daqueles sinais sonoros utilizados nos automóveis que servem de aviso para não embater na parede ou no carro de trás. De bater com estrondo na parede já não nos safamos, mas ao menos que batamos de frente e  se evite a ressurreição da PIDE, as suas torturas e crimes. 

Cocó, Ranheta e Facada

Ao sexto dia liguei a internet. Soube da mensagem do Pedro no FB e fui ler. O homem ( ou quem lhe escreve aquilo a pelo menos 3 mil euros/mês) é analfabeto, hipócrita e escreve no FB para que os portugueses possam descarregar a sua ira. Mais uma demonstração de que as técnicas da PIDE estão bem absorvidas pelos assessores e comandita que o servem.
Voltarei à Internet no próximo ano, mas até lá já escrevi vários posts que ficaram agendados até dia 1 de Janeiro.
No dia 2 voltarei à Net para ler mais aventuras de Cocó, Ranheta e Facada.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Mensagem de Natal do nosso primeiro

Obviamente que não ouvi a mensagem de Natal de Pedro Passos Coelho, porque não gosto de ouvir aldrabices em época natalícia. Este post foi, aliás, pré-agendado.
Posso no entanto arriscar, sem grande margem de erro, que a única novidade foi PPC ter dito aos portugueses para não se começarem já a lamentar, porque as coisas vão correr mal e lá para o Verão é que as coisas vão começar a doer. ( Ou então disse mais uma vez que em 2013 é que vai ser bom e vamos entrar no Paraíso, porque o bom povo português será finalmente recompensado por ser manso e obediente)
Em tudo o resto, a mensagem de Natal do nosso primeiro foi mais disto.
Ou estarei enganado? No próximo ano ficarei a saber...

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Boas Festas, com selo de garantia

A todos os leitores do CR aqui deixo os meus votos de Festas Felizes, com selo de garantia. Sigam as regras da etiqueta e façam o favor de ser felizes.
Só retomarei a actividade blogueira algures em Janeiro de 2013( embora não descarte a hipótese de aparecer pontualmente...) mas poderão encontrar-me por aqui com alguma regularidade
À meia noite de 31 de Dezembro, não se esqueçam de comer as passas e fazer tudo como mandam as regras. Nada de batotas, senão o coelhinho daqui a uns meses estará a responsabilizar-vos pelos falhanços do governo.
Até 2013 ( se o mundo não acabar hoje!...)

Notícias da frente Leste

Medvedev acredita no Pai Natal e diz ter conhecimento da existência de extra-terrestres a viver entre nós ( Isso  já sabia, mas  gostava que não tivessem vindo governar Portugal).
Putin diz que sabe a data em que o mundo vai acabar. Urra! Não é hoje...
As notícias que vêm do Leste são francamente animadoras. Até ao dia em que Putin se chateie, feche  a torneira do gás e deixe a Europa a morrer de frio.
Já agora, gostaria que Putin dissesse que este ano Pedro Passos Coelho não enviará qualquer mensagem de Natal. Não é que o vá ouvir, mas ficaria mais aliviado se o energúmeno poupasse os portugueses àquela conversa foleira, hipócrita e pestilenta do costume. Além do mais o tipo cheira mal da boca e pode empestar  os lares de gente de bem.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

O Alien

Das duas uma: ou o tipo que disse isto é extraterrestre ( o que confirma a teoria de Medvedev), ou precisa de ser internado urgentemente..

O Natal dos desvalidos

O governo decidiu adiar a venda da TAP, deixando Efromovich descoroçoado. Ele , que já contava com a prenda no sapatinho, vai ter de aguardar mais uns tempos e, quiçá, ser obrigado a concorrer com outros pretendentes para conseguir desposar a noiva ( Foi assim que ele chamou à TAP no verão passado).
Mais desafortunado, porém, parece ser o Relvas. Neste Natal os despojos da TAP ( e ao que tudo indica também os da RTP) não lhe vão cair no sapatinho. O mano gémeo teve uma vez na vida um bocadinho de pudor e decidiu adiar a venda de ambas.
Dizem-me que o adiamento da venda da TAP e da RTP  foi uma forma de Pedro Passos de Coelho agradecer a Cavaco não ter pedido a fiscalização preventiva do OE, mas Relvas está inconsolável.Espera, porém, ser recompensado a breve prazo. LOGO.... Estes festejos são manifestamente precipitados. 

Partilhas de Natal

Foi desta forma bonita que a Laura desejou a todos os seus  leitores um Bom Natal. É com grande  prazer que, na véspera de me despedir, partilho com todos vós a oferta que ela nos fez.
É uma forma de antecipadamente agradecer e retribuir a todos os que já me desejaram um Feliz Natal.
Amanhã, será o dia de  formular "oficialmente" os meus votos de Festas Felizes a todos os que ao longo do ano me têm acompanhado neste Rochedo. Bem hajam!

Se alguém ainda tinha dúvidas...

Hora da Cinderela

Quem mais jura, mais mente.
Deram as 12 badaladas da meia noite e o pastel de Belém transformou-se em abóbora.
Castigo por ter voltado a não respeitar a Constituição que jurou cumprir.
Defesa do interesse nacional, dirá ele!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Azáfama natalícia


Não é só o governo que anda numa azáfama para vender tudo o que puder até ao final do ano, de modo a poder mascarar o défice. Também eu estou a  sofrer da sempiterna síndrome de Dezembro: menos trabalho, mas muitos compromissos sociais. Mais até do que habitualmente.
Todos os dias há um almoço ou jantar de Natal, o lançamento de um livro, uma vernissage de final de tarde, uma assembleia geral de uma associação de que faço parte,  o encontro com um amigo de velha data que veio passar o Natal, ou o trabalho de voluntariado.
Ainda faltam alguns dias para o Natal e já estou estoirado, a precisar de férias, de mudar de ares. Como sempre, anseio a chegada do dia 26.
Em tempo: nos próximos dois dias, espero visitar todos os vizinhos do blogobairro, para lhes dar as saudações natalícias, mas na sexta-feira faço as despedidas formais até ao próximo ano.

Até as crianças percebem!

Quando um governo corta num espectáculo para crianças, cujo custo é de uns escassos milhares de euros ( menos de cinco mil, segundo me disseram) temos de nos perguntar que escória de gente é esta que nos governa. 


Vale e Azevedo no governo?

Neste governo já nada me espanta. Nem mesmo o facto de se comportar como um grupo de feirantes aldrabões, ou como o merceeiro que engana o cliente, roubando no peso do fiambre. 
O facto de ter acordado em Abril a redução das verbas da Casa da Música em 20 por cento e seis meses depois vir dizer que afinal vai cortar 30, deve ser encarado como normal, porque é  um problema da má formação das pessoas que integram o elenco.
Só gente que desde pequenino desprezou o valor da palavra dada, fez da mentira o seu modo de vida e preenchia a cadernetas de cromos roubando o carimbado ao melhor amigo, se comporta assim. É gente  que sempre viveu do arranjinho e do encosto a padrinhos. Gente desprezível, a quem não se pode comprar nem um alfinete. Com quem não se pode assinar um contrato. A quem não se pode confiar nem a pulga do cão. Que vê a cultura como uma coisa supérflua e as pessoas como empecilhos. Que adora o cifrão como um deus e os números como seus apóstolos.
É gente que não presta.Podiam estar a fazer companhia a Vale e Azevedo, mas optaram por outro ramo que lhes garante impunidade. Não é por isso que são mais respeitáveis do que o ex-presidente do Benfica.



De quem é a culpa?


Na sequência deste post
O neto da minha empregada acompanhou-a ao hospital e perante a situação pediu imediatamente o Livro de Reclamações. A avó não o deixou reclamar. Perguntei-lhe porquê. A resposta veio rápida. 
“ E depois, quando eu for operada? Se o médico fica zangado, quem sofre sou eu!”
Não evoluímos muito desde o 25 de Abril em matéria de consciencialização, pois não? Não, mas a culpa é de quem? Da minha empregada que tem medo de ser maltratada se reclamar?
Não me parece, mas gostava de saber a vossa opinião…

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Ele é que é o presidente da Junta

Nós já sabíamos mas, dito por um destacado membro do partido, a coisa pia mais fino. O CDS/PP não existe. É um brinquedo de Paulo Portas. Com que ele se entretém quando não lhe apetece brincar com submarinos, ou que lhe serve de refúgio precisamente por causa dos submarinos. 

Acordai!


Em Setembro, o médico disse à minha empregada que tinha de ser operada com urgência. Feitos os exames necessários, a operação foi marcada para ontem.
À hora aprazada, entre choros e muita angústia, apresentou-se no Hospital. Consigo levava a carta que lhe fora enviada pelo Hospital a confirmar a cirurgia. A caminho de Lisboa, vinha o filho, a trabalhar na Suíça há um ano, em gozo antecipado de férias de Natal, que lhe valeram a perda de alguns dias de salário. A filha meteu férias na fábrica para acompanhar a mãe.
Chegada ao hospital, foi informada que a operação não estava marcada. Exibiu a carta. Veio o médico. Aparentemente surpreendido por a intervenção que ele próprio agendara e rotulara de urgente não estar marcada, mas também deixando transparecer a sua impotência. 
"Negligência! Incompetência!"- estarão a pensar alguns leitores. Eu também pensei o mesmo, até me lembrar desta notícia: 
Gaspar libertou verbas para as autarquias, masrecusou-se a fazê-lo para os hospitais.
A minha empregada não sofre de uma doença mortal. Terá de ser operada aos dois joelhos, porque estão gastos pela vida dura a que foram submetidos.
Por estes dias centenas de operações estão a ser canceladas nos hospitais portugueses. Alguns dos doentes poderão morrer. Gaspar preferiu libertar verbas para as autarquias, porque dão votos. Não as libertar para os hospitais, pode ser um bom negócio para o Estado. Se forem reformados ou desempregados e quinarem é menos uma despesa.
Para eles as pessoas são apenas números que inscrevem nas colunas do Deve e Haver do OE. É a esta escumalha que estamos entregues, mas jornais e vox populi apontam o dedo acusador a médicos e demais funcionários hospitalares.É altura de acordar!

Carta ao Pai Natal




Querido Pai Natal

Não estou certo que este ano possas fazer as tuas habituais entregas na noite de Natal, pois andam por aí a anunciar o fim do mundo no dia 21.
Talvez esteja enganado, mas parece-me que isso é mais uma patranha de coelho e só se aplica em Portugal. 
Este ano não te peço presentes para mim. Peço-os para oito milhões de portugueses ( os outros dois milhões votaram no coelho ou no Portas, por isso o único presente que lhes poderias oferecer seria um barrete ou um daqueles bonecos das Caldas).
Então aqui fica a lista:
1-     Vai a um hospital e traz um doente de Alzheimer- daqueles mais profundos- para substituir pelo nosso presidente da república.
2-     Vai a uma CERCI , escolhe um deficiente mental profundo, mas bem arranjadinho, com muito gel  no cabelo que saiba dizer umas frases foleiras e no dia seguinte seja capaz de dizer o contrário do que disse na véspera, com a lata inconsciente dos imbecis, para substituir pelo Passos Coelho.
3-     Quando passares pela Sicília pega num mafioso que venha ocupar o lugar do Relvas.
4-     Se encontrares o Quino, pede-lhe por empréstimo o Manelinho, que eu prometo dar o Gaspar para a troca. Eu sei que  estou a propor a  troca de um imbecil por um pilha galinhas, mas penso que o Quino fica a ganhar com a troca.
5-     Assim que chegares a Portugal pega no coelho e leva-o contigo ao circo. De caminho, passa pela AR e convida também os 120 deputados do PSD e do CDS. Quando chegares ao circo troca-os por 120 palhaços, contorcionistas, malabaristas e ilusionistas, porque todos vivem com grandes dificuldades e também  têm direito  à vida e  a um lugar no Parlamento.
6-     Não te peço que tragas um leão para comer o Portas, porque o homem não risca absolutamente nada. Quando muito, traz um bobo castrado, que faz o mesmo efeito.
7-     Se na tua viagem pela Europa encontrares três seres humanos que substituam o etíope, o careca e o eunuco, também dava jeito.
8- Deixo para o fim o pedido mais urgente. Como deves saber, por cá dizemos que "o Seguro morreu de velho". Ora nós temos por cá um Seguro que é já um cadáver putrefacto. Peço-te por isso, de rojos e com as mãos postas, que substituas este cadáver por um homem novo que esteja genuinamente interessado em fazer oposição aos tipos que estão a vender o país ao desbarato. 

Eu sei que estes meus pedidos não vão mudar grande coisa no futuro do meu país, porque o mundo vai acabar no dia 21, quando aquele senhor que anda a passear pelos corredores de Belém com a vaquinha pela trela, promulgar o orçamento do circo mas, pelo menos, sempre temos caras novas na governança portuguesa.

Querido Pai Natal
Eu sei que o teu trabalho é sazonal e nem sequer recebes os 43 cêntimos por hora que aqui pagam a Pais Natal a fingir, mas sei também que sendo tu  uma pessoa  generosa, compreendes que estamos fartos desta escória de embusteiros e ansiosos por nos vermos livres deles.
Se não satisfizeres os meus pedidos, vou dizer ao Medvedev para nunca mais acreditar no Pai Natal e dou-lhe a morada e os números de telemóvel dos extraterrestres que andam a flanar aqui pelo país, disfarçados de políticos.
Desejo-te uma boa viagem e aconselho-te a ter cuidado quando passares por Portugal. É que o tal de Gaspar, que tem a mania que é Rei Mago, é um perigoso salteador e confisca os bens de toda a gente. Não julgues que lhe escapas, só por seres o Pai Natal!


segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Nova versão do Paulinho das feiras

Adolfo Mesquita Nunes anunciou que o CDS vai propor uma redução da frota automóvel do Estado entre 33 e 50 por cento, bem como disciplinar o uso das viaturas. ( Será desta que vamos deixar de ver menos carros oficiais à porta dos supermercados e dos estabelecimentos de ensino? E as secretárias e assessores dos gabinetes irão passar a deslocar-se em viatura própria ou em transportes públicos?)
Espero para ver, mas apesar de a medida ser meramente simbólica, não deixarei de a aplaudir.
Gostaria, no entanto, que o CDS fosse mais radical e cortasse também nos submarinos que o seu líder adquiriu no tempo em que era ministro de Durão Barroso. Essa, sim, seria uma medida com forte impacto.
O anunciado corte na frota automóvel - com honras televisivas e notícias de primeira página- é muito popular, mas parece-me apenas uma nova versão do Paulinho das feiras, para enganar pacóvios. O tempo confirmará se tenho ou não razão. Quero números!

A canelada

Marcelo Rebelo de Sousa disse que o sermão de Pedro aos pastorinhos, em Fátima, foi uma canelada a Cavaco. 
Concordo em absoluto com MRS e devo dizer que Cavaco está a ter o que merece, pois passou o seu primeiro mandato a dar caneladas a Sócrates, até se conseguir ver livre dele.
Não consigo é compreender como é que um PR se deixa humilhar a este ponto por um PM. Terá  medo que a Coelha saia da toca?
Ainda a propósito do post anterior: aconselho ao boca de brioche, apostado em despoletar um conflito de gerações na sociedade portuguesa, que veja este filme. Não é que  aprenda alguma coisa, mas fica a saber  que pode ter uma morte assim. E, de preferência, que seja a própria filha a dar-lhe a estocada final.  Praga de Escorpião!

Pedro e os pastorinhos


O boca de brioche foi a Fátima falar aos pastorinhos. Ou, se preferirem, aos jotinhas laranjas que se preparam para apascentar o rebanho, mas sem terem o trabalho de guardar as ovelhas.
Que disse Pedro Passos Coelho aos inúteis criados à sua imagem e semelhança, que nunca fizeram nada na vida?
Os pastorinhos gostaram de ouvir. Bateram muitas palmas. A esta hora estão reunidos a engendrar a táctica para matar pais e avós, esses imbecis que se recusam a morrer depois de lhes terem dado vida.
De regresso a Lisboa, o energúmeno que se alapou em S. Bento vinha de consciência tranquila. Tinha dado umas ferroadas a Cavaco, a Bagão Félix e a todos os que criticam o corte das pensões. Ainda não sabia que os banqueiros não tinham gostado da sua intervenção e começavam a dizer que o seu discurso tinha sido uminsulto.
Ao telefone com Miguel Relvas, comentava:
Eu fiz a minha parte espero que esta malta da JSD faça  resto. Depois de exigirem que a educação e a saúde sejam pagas, é altura de tomarem medidas para extorquir os pensionistas que vivem de pensões do Estado sem nunca terem feito nada para as merecer.

Natal das Ressurreições


Esta época natalícia apresenta inúmeras semelhanças com a Páscoa, tal o número de ressurreições que está a proporcionar.
Primeiro foi o Álvaro. De ministro remodelável e patinho feio do elenco governativo, passou a estrela da companhia. Deram-lhe corda e ele começou a falar. Entusiasmou-se tanto, que acabou da forma mais previsível: estampou-se  quando afirmou que a Europa estava ser naif por insistir em aplicar  regras ambientais para a indústria. As reacções não se fizeram esperar.
A primeira a sair a terreiro foi Assunção Cristas que teceu duras críticas às declarações do ministro Álvaro. Logo de seguida foi o número dois do PSD- Moreira da Silva- cujas críticas contundentes mereceram mesmo um reparo de Paulo Rangel. Não por serem injustas, mas demasiado acutilantes. Finalmente, foi o ministro das finanças a meter a colherada de uma forma que tem um cheirinho de vingança, pelo facto de Álvaro estar a querer fazer-lhe sombra. E quanto á redução do IRC para as empresas foi avisando: talvez em 2014, mas com as regras que eu ditar.
A segunda ressurreição foi a de Relvas. Ultrapassado o período de nojo que lhe foi imposto depois de ter mentido na AR ( sem quaisquer consequências) o ministro das licenciaturas a crédito  aparece remoçado. Não há dia em que não estenda a bocarra para uma multidão de microfones em riste. Sempre com um sorriso nos lábios, lá vai somando gaffes e patranhas. Da gaffe do apoio a Seara, à declaração de que este governo tem sido de uma transparência imaculada no processo de privatizações, Relvas tem sempre alguma coisa a dizer.
Não espanta que  Relvas considere transparente o processo de privatizações. A sua bitola em matéria de transparência é demasiado baixa, como ficou provado com o processo da sua licenciatura(?). 
Até final do ano vamos assistir a, pelo menos, mais uma ressurreição. Por estes dias Cavaco Silva irá decidir o futuro do OE e, presume-se, irá falar ao país depois de um longo período de silêncio. O mais provável é que justifique a promulgação do OE por razões de interesse nacional mas, como tem dúvidas quanto à sua constitucionalidade, remete-o de imediato para o TC, pedindo a fiscalização sucessiva. (Pelo que noticia o "Expresso" a única coisa que o preocupa é saber se o corte da sua pensão é constitucional...)
Depois, com a mesma tranquilidade de Pilatos, irá comer bolo rei, rabanadas e beber um copo de “vinho fino”.
Quem não ressuscitará por estes dias é o povo português. Bem pelo contrário. Continuará à espera que esta classe política coloque o último prego no seu caixão. Uma vez consumada a tarefa, talvez estrebuche. Temo que seja tarde e já ninguém o oiça.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Da transparência das privatizações

Enquanto a dupla Pedro/Miguel, expert na arte do chicoespertismo empresarial insiste em proclamar a transparência das privatizações assistimos ao episódio da oferta da TAP a um colombiano/brasileiro/polaco de nome tão impronunciável quanto a palavra seriedade na boca desta dupla de vendilhões da Pátria.
Noutra vertente, uma empresa angolana proprietária do semanário Sol, mas de cujos accionistas pouco ou nada se sabe, anuncia estar interessada no belíssimo negócio da compra de 49% da RTP, ficando com todo o poder decisório sobre a empresa e continuando a ser subsidiada pelos portugueses.
Em qualquer país do mundo ocidental ( pelo menos...) este negócio que os portugueses vão pagar levantaria sérias suspeitas. Cavaco- ao que tudo indica- assinará mais uma vez de cruz.
Faz todo o sentido perguntar ( pela enésima vez) o que faz o PR em Belém. Até quando continuará   a assistir impávido à delapidação do nosso património, por uma dupla ( acolitada por António Borges, que faz de escrivão) que faz parecer os piores gangs de bandidos da História Mundial gente honesta?

De joelhos

Um estudo da ONU prevê que dentro de seis meses Portugal esteja em situação extremamente difícil e que o governo seja obrigado a renegociar a dívida. De joelhos, porque o vai fazer em situação desesperada.
Desesperada para os portugueses, mas muito do agrado de alguns dos nossos governantes que sentem muito prazer em se colocar nessa posição.
Vale a pena ler na íntegra a entrevista de Artur Baptista da Silva ao Expresso, mas deixo aqui o link para um excerto do "Expresso" on line

O meu presépio

Já fiz o presépio. Esmerei-me como nunca mas, enquanto fui buscar a máquina fotográfica para vos mostrar, alguém roubou tudo.
Disseram-me alguns vizinhos que lhes aconteceu o mesmo. Parece que o autor dos roubos é uma das figuras do presépio. Proclama-se Rei e dá pelo nome de Gaspar.
Como não há presépio, convido-vos a tomar um cafezinho...

Le premier bonheur du jour




Quando vier a primavera,
Se eu já estiver morto,
As flores florirão da mesma maneira
E as árvores não serão menos verdes que na primavera passada.
A realidade não precisa de mim.
Sinto uma alegria enorme
Ao pensar que a minha morte não tem importância nenhuma.

Se soubesse que amanhã morria
E a primavera era depois de amanhã,
Morreria contente, porque ela era depois de amanhã.
Se esse é o seu tempo, quando havia ela de vir senão no seu tempo?
Gosto que tudo seja real e que tudo esteja certo;
E gosto porque assim seria, mesmo que eu não gostasse.
Por isso, se morrer agora, morro contente,
Porque tudo é real e tudo está certo.

Podem rezar latim sobre o meu caixão, se quiserem.
Se quiserem, podem dançar e cantar à roda dele.
Não tenho preferências para quando já não puder ter preferências.
O que for, quando for, é que será o que é.
Alberto Caeiro

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

No bom caminho

Estamos no bom caminho sem dúvida...para sermos recolhidos pelo carro vassoura
Descobriremos então um novo caminho e uma nova localização na Europa

A escolha é sua

 1.
2.

Há dias a  Teté lançou este interessante desafio.
Sem a pretender copiar, mas aproveitando a deixa, lanço-vos aqui uma sugestão:
Ponham legendas nestas fotos do nosso primeiro. 

Tirar o cavalinho da chuva

Paulo Portas já pensa em eleições e começou a tirar o cavalinho da chuva. Orçamento de Estado para 2013? Não temos nada a ver com isso! 

O mentiroso compulsivo

Miguel Relvas é  um aldrabão convincente e convencido.
Convencido, porque acredita que o seu apoio a Fernando Seara é uma mais valia para o candidato do PSD/CDS a Lisboa.
Convincente, porque disse na universidade política do PSD ( Relvas adora Universidades virtuais ) que votaria em Fernando Seara para a câmara de Lisboa, sem que nenhum dos presentes o interpelasse sobre uma questão muito simples:
" Não sendo o senhor votante em Lisboa, como vai votar em Fernando Seara?"
Como qualquer mentiroso compulsivo, Relvas já não distingue a realidade da ficção. Por isso convenceu-se que iria votar em Lisboa.
Bem, há sempre uma hipótese... a de Relvas ter  direito a tantos votos quanto os telemóveis que possui. Se assim for, ainda o vamos ouvir dizer que irá votar em Menezes no Porto.
Qualquer coisa deve ter na manga este malabarista  que enfrenta sempre as câmaras com um sorriso. Como qualquer homem sério, honesto e de consciência tranquila.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Para quê gastar dinheiro em jornais?

Bem podem os jornais engendrar esquemas e tácticas sofisticadas para recuperarem leitores.
Quem vai comprar um jornal para ler coisas destas?

O sacana do etíope

Depois de longa ausência, ei-lo que regressa com um post que subscrevo totalmente. O sacana do etíope devia ir pregar sermões para a terra dele e nós devíamos indignar-nos contra esse careca pestilento.

Bodas de prata

Foi há 25 anos que estes homens ganharam a primeira Taça Intercontinental.
Depois de terem vencido a Taça dos Campeões Europeus, em Maio, os portistas ( já sem Futre que se transferira para o Atlético de Madrid no Verão) foram até Tóquio jogar sobre neve e bateram o então poderoso Peñarol de Montevideo por 2-1.
Muitas outras conquistas se seguiriam ( Liga dos Campeões, duas Taças Uefa, Supertaça Europeia e mais uma Taça Intercontinental) tornando o FC do Porto a equipa portuguesa com mais títulos internacionais ( reconhecidos pela UEFA e FIFA) conquistados em toda a História do futebol português.
Ah, se fosse aquele outro clube a conseguir tal feito, a imprensa desportiva faria primeiras páginas, as televisões programas especiais e a blogosfera estaria cheia de loas aos heróis de Tóquio.
Mas são também essas circunstâncias que fazem o FC do Porto cada vez mais forte e mais reconhecido internacionalmente.
Parabéns aos bravos de Tóquio e a todos aqueles que prolongaram esse feito com novas conquistas, projectando a cidade do Porto e o país além fronteiras.
Obrigado!



Quo Vadis, Assunção?



A presidente da AR já foi figura da semana aqui no CR. Sempre a considerei uma pessoa íntegra e acreditei que desempenhasse o cargo de forma isenta.
Ao ler este comunicado(?)  fiquei decepcionado. Não pelo facto de ela dizer que os cidadãos que prestam declarações em comissões parlamentares não gozam de impunidade ( é uma verdade de La Palisse), mas porque chutou para o lado e não teve a coragem de dizer que nenhum cidadão pode ser alvo de medidas persecutórias, pelas declarações prestadas nessas comissões.
Menos surpreendente é o silêncio daqueles angelicais que, de branco vestidos, foram para a porta da AR defender a liberdade de expressão que afirmavam estar a ser vilmente atacada por Sócrates e cujas principais vítimas eram esses exemplos do jornalismo sério, como Mário Crespo e Manuela Moura Guedes.
Entre essas dezenas de manifestantes estavam alguns jornalistas que hoje se acoitam no gabinete de Relvas e de outros membros do governo menos desaconselháveis. Perante o caso de Nuno Santos remetem-se cobardemente ao silêncio. Alguns deles já sabia que se vendiam por qualquer preço a quem comprasse a sua cumplicidade. O jornalismo para eles sempre foi um negócio e uma via fácil para o carreirismo e a liberdade de expressão, arma de arremesso político que utilizaram como mero instrumento para a prossecução dos seus insondáveis interesses.
De Assunção Esteves é que esperava um pouco mais de dignidade e coerência.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

E que tal experimentarem uma posição nova?


Presumo que esta seja a posição normal de alguns directores de jornais ( e de muitos jornalistas) quando se abeiram do senhor Relvas.
Não era necessário é que transpusessem diariamente para os jornais a sua subserviência bajuladora, com notícias laudatórias a um governo que esmifra os portugueses até ao tutano e procura todos os dias fazer um golpe de Estado. Poderia deixar aqui inúmeros exemplos, mas este é bastante elucidativo.
Não seria mais correcto escrever "Portugal é um dos cinco países que apoia a reindustrialização da UE" ?
Não faço a pergunta por embirração. É só porque me lembro de PPC ter dito na entrevista à TVI que tinha sido por proposta de Portugal, apoiada pela Irlanda, que o Eurogrupo concordara em que as condições aplicadas à Grécia seriam aplicadas a todos os países com programas de ajustamento. Bastaram 48 horas para se ficar a saber que a proposta de Portugal, ainda que aprovada, não vale um chavo.
Era bom que os jornalistas experimentassem uma posição nova. Talvez um pouco mais viril, sei lá!

Perda de tempo

O PS e o BE querem ouvir Relvas a propósito dos últimos desenvolvimentos na RTP. Sinceramente, é uma perda de tempo. Já se provou que o homem mente na AR sem quaisquer escrúpulos, para que raio é preciso perder tempo a ouvir um aldrabão?

Perceber o presente, com os erros do passado...




Ontem fui ver “Operação Outono”. Estava adoentado, mas insisti em ir. Decisão acertada. Fez-me  bem à vesícula e ajudou-me a confirmar a teoria de que os problemas do nosso país não se devem apenas aos erros sucessivos dos governos ( parabéns ao Guterres, por ter sido o primeiro a reconhecer a sua quota parte de responsabilidade).
Os problemas que hoje vivemos devem-se, também, ao facto de a tarefa do 25 de Abril não ter ficado completa.
A ridícula sentença do caso Humberto Delgado explica a crise da justiça e a descrença dos portugueses sobre o caso BPN, o mistério dos submarinos e a impunidade com que alguns criminosos de colarinho branco se pavoneiam por aí e mantêm estreitas relações com o poder, são a prova de que muito ficou por fazer para garantir que Portugal fosse um país democrático.
Quando um tipo é condenado na Alemanha por corrupção no caso dos submarinos e em Portugal o Estado desiste da queixa, permitindo que todos os envolvidos sejam absolvidos, encontram-se algumas respostas. Até, talvez,  para  Portas manter a coligação.
E depois há aqueles casos dos PIDES condecorados por Cavaco. Como Emídio Guerreiro pergunta no filme: onde andam os 20 mil PIDES que serviam o Estado Novo?
Chegou agora o momento de se vingarem?- pergunto eu.

Isto anda tudo ligado!


Não é só nos gabinetes ministeriais que pululam os bufos.
Desde que  a Justiça decidiu amancebar-se com a imprensa, não param os casos de “vendetta” em que jornalistas procuram atingir, de qualquer maneira, figuras públicas. Sejam elas da política ou do show bizz.
Há dias alguém tentou atingir Medina Carreira, com uma fuga de informação, logo aproveitada pelo "Sol" para fazer título de primeira página. Ao lado da fotografia do visado, a frase assassina " Apanhado na rede".
Não se sabe exactamente quem foi, embora o estilo deixe algumas pistas. Certó é que o autor da fuga foi um dos muitos bufos que pululam entre nós. Um daqueles que  vive amancebado  com jornalistas igualmente bufos, cujo propósito não é dar notícias, mas apenas atacar pessoas. Sabemos onde estão maioritariamente. Para além de ocuparem cargos em gabinetes ministeriais, estão nas redacções do Sol e do Correio da Manhã. Títulos que, curiosamente, pertence a um grupo a quem este governo pretende vender  a RTP.
Os outrora defensores da liberdade de imprensa, acolitados no gabinete de Relvas, apascentando-se com os impostos dos contribuintes que lhes pagam, remetem-se ao silêncio. Cúmplices deste país de bufaria, fazem parte da escumalha que prepara o saque.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

São rosas, senhor, são rosas!



Já tinha percebido que D. Isabel- a Jonet, não a de Aragão- era mais caridosa do que solidária, mas ela fez questão de o relembrar nesta entrevista ao jornal i.
Para D. Isabel, o importante é a caridade, porque isso da solidariedade social é uma coisa fria que tem a ver com essa chatice dos direitos adquiridos e leva muito dinheiro ao Estado.
Ficamos pois todos a saber que a D. Isabel gosta é de ter muitos pobrezinhos por quem velar, que lhe beijem as mãos agradecidos, se rojem ao chão em prantos veneratórios, gratos por tamanha indulgência. É com a miséria dos outros que ela se glorifica e espera alcançar o reino celestial. Os direitos adquiridos, a dignidade da pessoa humana, são desprezíveis construções marxistas  que ela detesta, porque a impedem de atingir a glória eterna. Ela sabe que sem a caridadezinha e sem os pobrezinhos seria insignificante. Inútil. Apenas uma Tia com saudades da Supico Pinto e do Movimento Nacional Feminino. Para a D. Jonet, o ideal seria mesmo uma guerra, para poder distribuir cigarros aos soldados, escoltada por jeeps, tanques e muitas câmaras de televisão. Para ela, quanto mais sangue e mais miséria melhor, porque esses são os alimentos que engordam a sua notoriedade.
Alguns pensarão que a D. Isabel é apenas idiota. Não se iludam! Ela é mesmo fascista e quer que todos o saibam!

A propósito do Nobel da Paz

Mortes insólitas





Todos sabemos que Salazar morreu depois de ter caído da cadeira,  que Martim Moniz terá morrido entalado numa porta do Castelo de S. Jorge, ou que D. Carlos sucumbiu aos tiros disparados por Buíça, numa altura em que os portugueses já não suportavam a Monarquia e suspiravam pela República.
Há, porém, muitos outros políticos portugueses que morreram de forma violenta ou, como escreve o autor deste livro” ridícula”, mas pouco conhecida.
É o caso, por exemplo, de Hintze Ribeiro que morreu à porta do cemitério, quando se preparava para assistir ao funeral do seu amigo Frederico Casal Ribeiro.
Mais violenta foi a morte do psiquiatra  Miguel Bombarda, implicado na preparação do  golpe de 5 de Outubro. Dois dias antes  estava  no seu consultório e preparou-se para receber um ex-doente- o tenente do exército Aparício Rebello dos Santos. Assim que entrou no consultório , disparou vários tiros à queima roupa e saiu sem pagar a conta.
Miguel Bombarda viria a ser sepultado no dia 6 de Outubro, juntamente com o seu amigo Cândido dos Reis, outra vítima da República: suicidou-se, porque pensava que a Revolução tinha falhado.
Já o primeiro-ministro António Granjo, foi morto durante a célebre “Noite Sangrenta” em que a camioneta fantasma andou a recolher vítimas.
Estes são apenas alguns dos 56 relatos feitos por Ricardo Raimundo, sobre 56 personalidades da vida portuguesa que faleceram de forma no mínimo, pouco normal.
Em “ Vidas Surpreendentes, Mortes Insólitas da História de Portugal”, Ricardo Raimundo escreve de forma muito peculiar e por vezes empolgante, sobre  o fim da vida de políticos, poetas,desportistas, investigadores e outras figuras  da sociedade portuguesa. De Martim Moniz a Joaquim Agostinho, passando pelo Papa Pedro Hispano, pela cantora Luísa Todi ou por Antero de Quental,  o autor construiu um livro onde a protagonista é a morte.  Mortes  insólitas, como a do diplomata Teixeira Sampaio, que morreu de comoção ao beijar a mão da rainha D. Amélia, violentas, inesperadas, heroicas, mas sempre ridículas…

Confissões de Natal


Algumas pessoas aproveitam o mês de Dezembro para confessar erros do passado, na esperança de que o espírito de boa vontade dos portugueses, nesta quadra natalícia, os absolva.
Foi o que fez, por exemplo, António Guterres  quando reconheceu os erros dos seus governos.
Também Filipe La Féria- a quem eu já repetidas vezes acusei aqui de ser responsável por termos um primeiro ministro da estirpe de PPC-  veio reconhecer, finalmente a sua responsabilidade numa recente entrevista. Diz ele:
“Acho que Passos Coelho seria mais feliz se fosse cantor. Ele é um bom cantor. Eu fui o culpado, de facto, de ele agora ser primeiro ministro. Ele concorreu para fazer o “My Fair Lady” e eu escolhi outro”.
Espero que a próxima pessoa a partilhar esta (ir)responsabilidade seja Fátima Padinha, a mulher com quem PPC casou, porque ali viu uma boa porta de entrada para o show bizz. 
O resto da história que tornou PPC um homem amargo e apostado em vingar-se das suas frustrações vocacionais e familiares, castigando os portugueses já aqui contei, como se devem lembrar…

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O sempre em pé

Paulo Portas não se cansa de dizer que aprovou um OE com que não concorda e apoia medidas contrárias à sua consciência, por razões patrióticas.
Às vezes, porém, dá passos em falso e toma decisões que demonstram que o seu patriotismo é igual à de uma puta de feira em dia de saldos.Vai bardamerda, Paulinho!

O humor é uma arma


IDIOTAS! É o epíteto mais suave que encontro para rotular os apresentadores do programa de humor australiano que se fizeram passar pela rainha de Inglaterra e pelo príncipe Carlos, num telefonema para o hospital onde estava internada Kate Middleton.
Na sua profunda estupidez não lhes passou pelas cabeças ocas que, no caso de a sua tentativa ser bem sucedida, haveria, no mínimo, uma vítima que iria ser despedida por negligência.  
Admito que os apresentadores do programa não tenham pensado nisso mas, quando se dirige um programa de larga audiência, não se pode agir como crianças irresponsáveis e traquinas que se deleitam a pregar partidas. 
Como os próprios já reconheceram, pensavam que a sua tentativa não resultaria e  lhes desligassem a chamada. No entanto, quando perceberam que iriam ter êxito, em vez de se identificarem, prosseguiram na "brincadeira" inebriados com o seu sucesso e sem pensar nas possíveis consequências.
O seu gesto irreflectido provocou a morte de uma pessoa. Provavelmente, uma pessoa boa e digna que não suportou o peso de um erro involuntário, só possível porque se tratava de uma pessoa que não acreditava na maldade.
O humor infantil e idiota de dois adultos funcionou como uma arma. Mortífera e de longo alcance. Um drone  comandado  à distância, igual ao utilizado pelos americanos para matar ou atingir alvos a milhares de quilómetros. A diferença é que, neste caso, sabemos quem tripulava o avião.

Os PIDES da Blogosfera

Já há muito tempo chamei a atenção para o facto de alguns bloggers contratados pelo governo poderem estar a exercer funções de espias e bufos em gabinetes ministeriais. A minha presunção assentava no facto de constatar a disponibilidade de alguns especialistas escreverem simultaneamente em dois, três e mais blogs, facto que me parece inconciliável com quem exerce funções num gabinete ministerial ( sei do que falo, porque também já trabalhei em gabinetes ministeriais e não tinha tempo nem para me coçar), mas não tinha provas.
Graças ao Samuel Paiva Pires, fiquei a saber que existe mesmo um gabinete do governo onde as pessoas são pagas para monitorizar blogs!(Presumo que façam o mesmo nas redes sociais FB e Twitter)
Sugiro-vos que leiam com atenção os posts que o Samuel Paiva Pires vem dedicando ao assunto, começando por este último. 
Não vos digo para terem medo. Apenas vos sugiro que dêem voz à vossa indignação, pelo facto de os vossos impostos estarem a ser usados para pagar a bufos, que exercem uma função ilegal! Quanto a alguns nomes, não é preciso ser muito perspicaz para os adivinhar...
E, já agora, divulguem este escândalo pelos vossos amigos!

Branco é, galinha o põe


Carlos Magno é presidente da ERC. A ERC abriu um inquérito aos últimos acontecimentos na RTP que opõem o presidente da RTP Alberto da  Ponte ao director de informação Nuno Santos.
Nuno Santos foi proibido de entrar nas instalações da RTP e alvo de um processo disciplinar, depois de ter prestado declarações na comissão parlamentar da AR.
Na semana passada, Carlos Magno estava a almoçar com Alberto da Ponte na Bica do Sapato.
É mais ou menos como se um juiz almoçasse com o advogado de acusação. A diferença é que Carlos Magno é um sem vergonha e a RTP uma coutada do governo.

domingo, 9 de dezembro de 2012

Memórias de Natal


Já não há publicidade de Natal assim.
Mas ainda há cigarros.Podem dumar um e acompanhar com um cafezinho neste local memorável

Árvore Pascoal



Alegando que a austeridade imposta aos portugueses não permite que celebremos dois períodos festivos no mesmo ano, o governo decidiu que Páscoa e Natal se celebrarão apenas numa data em cada ano. 
Em 2013,será a Páscoa a agregar os dois eventos e em 201 4, será o Natal a acumular com a Páscoa.
Imaginativos, os portugueses já estão a criar novos produtos que permitirão às famílias assinalar ambas as datas num só evento.
Aqui fica o exemplo da Árvore Pascoal que conjuga  um pinheiro de Natal com a Última Ceia. 
Esta árvore pode também ser vendida com um par de fisgas como acessório,  ou um kit  Fisgas + pedras+ setas para que as crianças possam praticar, como nas barracas de tiro da extinta Feira Popular. 
Alguns professores e associações de pais já reclamaram, porque dizem que é difícil  explicar  aos miúdos qual é o Bom e o Mau ladrão. Já quanto ao Judas, não levanta problemas, porque qualquer um serve.

Foto roubada aqui

É Natal. Que bom!


Le premier bonheur du jour




As imagens transbordam fugitivas
E estamos nus em frente às coisas vivas.
Que presença jamais pode cumprir
O impulso que há em nós, interminável,
De tudo ser e em cada flor florir?
(Sophia)

sábado, 8 de dezembro de 2012

Ainda as memórias de Salazar

Um vinho que dá que falar e nos faz sorrir, mesmo antes de abrir a garrafa. Ora leiam aqui

Guilty, or not guilty, that's the question


Ainda sou do tempo em que os hamburguers se comiam em casa e eram servidos no prato. Depois vieram os Mc Donalds e parecia que tinha sido descoberta a fórmula mágica para o hamburguer sandwich. Meninos e meninas deliravam com o petisco fast food e levavam as famílias atrás.
Sempre detestei os Mc Donalds, mas isso não impediu que a marca criasse um hamburguer em minha homenagem. Juro que não recebi royalties!
Há alguns anos, um português inventou aquilo a que chamou o hamburguer gourmet e criou a Hamburguer H3, entretanto internacionalizada com mais sucesso do que o pastel de nata do Álvaro, ou o pastel de Belém.
Desde aí foi um ver se te avias. As hamburguerias proliferaram como cogumelos em Lisboa e  encantaram conceituados chefes de cozinha. Foi o caso de Olivier que no seu restaurante Guilty oferece uma lista de seis hamburguers, onde merece especial destaque o Super Guilty, 500 gramas de carne de vaca picada, pelo “módico” preço de … 50€! 
Ele disse Guilty? Isso sentir-me-ia eu se algum dia desembolsasse 50€ por um hamburguer. Livra!
Bem, mas há um pormenor importante. Com os adereços ( acompanhamentos),o hamburguer pesa quilo e meio e se alguém o conseguir comer sozinho, em menos de hora e meia, não paga!
Bom apetite!

Caros leitores, trago-vos a boa nova!

Estamos em mês de Natal, tristezas não pagam dívidas e é preciso animar as hostes, para que todos recebam o Pai Natal ou o Menino Jesus com um sorriso nos lábios. ( Quanto aos Reis Magos é melhor pedirem-lhes a identificação, porque fonte bem informada garantiu-me que entre eles vem um carteirista profissional que, em vez de dar presentes, é especialista em gamar tudo o que vê em volta. Estejam por isso atentos ao  Rei Gaspar e não lhe abram a porta, caso contrário, ele limpa-vos todo o recheio da casa em menos de um fósforo).
Com esse abnegado espírito tenho tentado, nos últimos dias, desviar as vossas atenções para temas mais terrenos e menos esotéricos, do que a política.
É por isso, com muito gosto, que vos apresento quatro das candidatas a Miss Universo. Estas quatro concorrem pela Terra. Quanto às candidatas dos outros planetas, podem encontrá-las aqui. 
Uma vez lá chegados, é só seguirem as instruções.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Um caso que nos diferencia da Grécia

"... o Voukefalas, um clube de futebol grego da cidade de Larissa - com o nome do cavalo de 'Alexandre o Grande' -, caiu na agonia financeira mas foi salvo por um patrocinador. Um mecenas muito peculiar. Nem mais nem menos que Madame Soula, a detentora dos bordéis mais importantes da cidade. Em contrapartida, o clube ostenta na camisola o nome da "Villa Erotica". Infelizmente, a associação de futebol local quer impedir este puro ato de empreendedorismo contemporâneo (...)"
(Ler mais aqui)

Un homme et une femme

Na sequência da adivinha que aqui coloquei ontem -e por especial deferência do voz a 0db - aqui deixo um exemplo do que realmente distingue homens e mulheres:


Corrijam lá o tiro e acertem no alvo, s.f.f.


Já todos percebemos, há muito, que Vítor Gaspar é incompetente. Utilizou os seus contactos na Europa para subir na cotação interna, mas a a verdade é como o azeite e vem sempre ao de cima. Gaspar é um lacaio de Schäuble e  o seu objectivo não é retribuir ao país o dinheiro que gastou na sua esmerada educação. O seu único objectivo é agradar ao alemão, para ser recompensado com um cargo na Europa, depois de ter arruinado Portugal.
Não espanta, por isso, que depois de ter sido endeusado por gente próxima do governo que o considerou repetidas vezes " técnico experimentadíssimo, altamente cotado nas instâncias europeias e intocável neste governo" os analistas e comentadores tenham começado a  perceber que Gaspar é apenas um traidor disfarçado de salvador. 
Ontem começaram os ataques a Gaspar. Marques Mendes acusou-o de tratar os portugueses como atrasados mentais, Pacheco Pereira chamou-lhe aldrabão, Lobo Xavier ( deve ter lido isto)  brincou a propósito das "garotas de programa", Honório Novo  acusou- de ser ventríloquo de Schäuble e é muito provável que no domingo Marcelo desfira novo ataque ao ministro das finanças.
Obviamente concordo com os ataques a Vítor Gaspar, mas creio que os seus críticos estão a falhar o ponto de mira e acertam no alvo errado. O cancro deste governo não é Vítor Gaspar. Nem é ele o mentiroso  da companhia. Os verdadeiros cancros deste governo - que precisam de ser urgentemente estirpados-  são Pedro Passos Coelho e Miguel Relvas. São eles que regem esta orquestra e os únicos responsáveis pela  desafinação. 
No canto da sala, a assistir ao espectáculo, está o director e encenador, principal responsável pela chegada desta gente de mau porte ao governo. Perante a desafinação total, ameaça intervir, mas nunca o fará por  uma razão: tem medo que a Coelha saia da toca e salte para as primeiras páginas dos jornais, desfilando uma história que poderá acabar no BPN.

Constroem um bar em S. Bento e fica o assunto arrumado

Portugal vai apresentar  a factura aos EUA pelo abandono das Lajes. Fiz umas contas de cabeça e cheguei a uma conclusão. 
Se nas contrapartidas dos submarinos o governo exigiu aos vendedores alemães que  recuperassem um hotel no Algarve  que - mera coincidência- pertence ao próprio grupo alemão, a redução de trabalhadores na Base das Lajes, de 800 para 160, fica saldada com a construção de um bar em S. Bento.

Afinal Gaspar tinha razão?

Anda por aí muita gente preocupada com o fim do mundo no próximo dia 21. Penso que é uma boa notícia (pelo menos para Vítor Gaspar) pois confirma que  tinha razão quando anunciou, em 2011, que a crise terminaria no segundo semestre de 2012.
 Pena é que, mesmo confirmando-se as previsões do nosso Salazar do século XXI, Portugal não possa regressar aos mercados em Setembro de 2013. 
Partindo do princípio que os mercados continuarão a funcionar na vida extra terrena ( Gaspar acredita nisso, porque para ele os mercados são a única forma de vida) o regresso nunca ocorrerá no ano 2013, mas sim no ano 1 da Nova Era, próspera e viçosa, que o governo nos vem anunciando desde que tomou posse.
Ainda que o mundo não acabe em 21 de Dezembro, poderemos chegar à Terra Prometida no dia em que Cavaco promulgar o OE 2013. E pode muito bem ser no dia 21!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Garantia fora de prazo

O professor João Bilhim garante que se acabaram as nomeações de boys para os cargos de direcção e chefia na Administração Pública. 
Pena que essa realidade seja desmentida por esta notícia, estrategicamente colocada ao lado da garantia dada pelo professor.

Adivinha de Natal



Era uma vez um homem perfeito que conheceu uma mulher perfeita.Namoraram e um dia casaram-se. Formavam um casal perfeito.
Numa noite de Natal, ia o casal perfeito por uma estrada deserta, quando viram alguém na berma pedindo ajuda. Como eram pessoas perfeitas, pararam para ajudar. Essa pessoa era nada mais nada menos do que o Pai Natal, cujo trenó havia avariado. Não querendo deixar milhões de crianças decepcionadas, o casal perfeito ofereceu-se para o ajudar a distribuir os presentes. O bom velhinho entrou no carro e lá foram eles. Infelizmente o carro envolveu-se num acidente e somente um dos três ocupantes sobreviveu.
PERGUNTAS:Quem foi o sobrevivente do trágico acidente?A mulher perfeita, o homem perfeito ou o Pai Natal? E quem conduzia o automóvel que provocou o acidente?
(Confira a resposta mais abaixo.)

RESPOSTA:A mulher perfeita sobreviveu.Na verdade, ela era a única personagem real da história. Todos sabemos que o Pai Natal e o homem perfeito não existem.
(Se você é mulher, pode fechar a mensagem, porque a piada acaba aqui. Os homens podem continuar e ler mais.)



Portanto, se nem o Pai Natal  nem o homem perfeito existem, fica claro que quem conduzia era a mulher, logo o acidente está esclarecido.
E se tu és mulher e leste até aqui, fica provada mais uma teoria: que as mulheres são curiosas, e incapazes de seguir instruções.



Capeia Arraiana





O meu camarada e amigo José Carlos Lage foi um dos responsáveis pela minha vinda para a blogosfera. Conhecemo-nos no CENJOR , no tempo em que a blogosfera  dava os primeiros sinais de vida, mas  já na altura o Zé Carlos se animava com as virtualidades desta primeva rede social , que eu desdenhava, porque para mim o mundo do jornalismo, da leitura e da escrita,  ainda começava e acabava numa folha de papel.
Foi também graças ao Zé Carlos que comi pela primeira vez  essa maravilha gastronómica que é o bucho e  assisti à primeira Capeia Arraiana, património etnográfico da região de Ribacôa, com características únicas no mundo.
É, porém,  outra   Capeia Arraiana que justifica este post.  Faz hoje seis anos que o Zé Carlos Lage e o Paulo Leitão decidiram criar um blog sobre o Sabugal, essa bela terra raiana que os viu nascer e ainda há dias foi notícia de primeira página porque por aquelas paragens se sumiu uma avioneta perseguida por dois F-16 que se escafedeu por artes mágicas.
O Capeia Arraiana foi dos primeiros blogs a figurar na encosta direita deste Rochedo.  Neste dia de aniversário, não poderia deixar de enviar um abraço ao Zé Carlos e dar a conhecer aos leitores  este blog do Sabugal , orgulho de muitos sabugalenses que nele vêem projectadas as tradições de uma região e ali ficam a saber as novidades da sua terra.
Um grande abraço ao Zé Carlos, extensível obviamente ao Paulo, com  votos de longa vida ao Capeia Arraiana.

Doença de Alzheimer é contagiosa?

Não sou cientista nem bruxo, mas tenho a impressão que um dia destes alguém vai descobrir que a doença de Alzheimer é contagiosa e o vírus está alojado na S. Caetano à Lapa. Senão vejamos:
- O Relvas esqueceu-se que afinal não tinha o 2º ano de Direito e vive na ilusão de ser licenciado numa coisa qualquer; depois de ameaçar Helena Roseta com um processo por causa da Tecnoforma e do programa Foral, esqueceu-se de avançar. A amnésia   terá acontecido quando o "Público" começou a divulgar a rede e teia de interesses que ele alimentava quando era secretário de estado de...Durão Barroso.
- O Coelho  esquece-se todos os dias do que disse na véspera; esqueceu-se de declarar, enquanto deputado, que pertencia ao conselho de fundadores da CPPC, uma ONG financiada pela Tecnoforma e por ele criada; esqueceu-se, aliás, de tudo o que diga respeito a estas duas organizações que se amanhavam com fundos europeus. Baralhou-se, inclusivé, com as datas em que trabalhou na Tecnoforma;
- O Ângelo Correia e o Marques Mendes também se esqueceram que foram fundadores da CPPC;
- Marques Mendes esqueceu-se mesmo que um dos donos da Tecnoforma ( João Luís Gonçalves) era secretário-geral do PSD quando se candidatou à presidência do PSD. Não é por isso de estranhar, que se tenha esquecido que o empresário/secretário-geral do PSD apoiou a sua candidatura à liderança do PSD, cedendo-lhe material de escritório, mobiliário, equipamento informático e até viaturas.
- Fraústo da Silva não se lembra se PPC teve alguma ligação à Tecnoforma;
- Júlio Castro Caldas ( ex-bastonário da Ordem dos Advogados e ex- deputado do PSD) diz que pediu a Ângelo Correia e Marques Mendes opinião sobre a CPPC e  garante que ambos- embora não se lembrem de terem sido fundadores- deram uma opinião favorável;
- João Luís Gonçalves - que fez parte da direcção da CPPC- não se lembra do que a organização fazia;
- A mesma falta de memória afectou Luís Carvalho ( presidente do Conselho Fiscal);
- Vasco Rato esclarece que as actividades da CPPC são públicas e "já viu este filme" ( Não esclarece, no entanto, qual o título);
- Isaltino Morais, Dias Loureiro, Oliveira e Costa e Duarte Lima sofrem de amnésia selectiva em relação a casos como o BPN, colocação de dinheiro em off shores, ou diversos crimes de que são acusados e -  no caso de Isaltino- condenados pela justiça.
Perante a perda de memória colectiva no PSD  ( outros casos virão a lume proximamente) seria de esperar que Aníbal Cavaco Silva agisse em conformidade, mas tal não acontecerá porque:
1) Já se esqueceu que é presidente da República;
2) Já se esqueceu que jurou cumprir e fazer cumprir a Constituição;
3) Não faz a mínima ideia o que é essa coisa do BPN;
4) Não se lembra das suas relações de amizade com Oliveira e Costa, Dias Loureiro, nem de os ter convidado para o seu governo ou para conselheiros de estado.
Perante tudo isto, justifica-se que o país esteja a ser governado por estrangeiros, mas não se compreende a razão de esta malta toda, MUITO HONESTA, não estar toda interditada e impedida de exercer cargos públicos, por privação das suas capacidades mentais.
Façamos por isso uma petição à Direcção Geral de Saúde, pedindo o encerramento da sede do PSD e suas distritais, pois suspeita-se que o vírus da doença de Alzheimer já tenha atingido aquelas estruturas.

O aviso de Schröder

Para que não me acusem de ser anti-alemão ( porque é mentira) aqui fica  um elogio a um que diz coisas acertadas e vê bem mais longe do que a senhora Merkel. Aliás, até o Álvaro! Ora leiam lá...

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

A felicidade de Cavaco

Eu compreendo que Cavaco ande feliz. Está a gozar a reforma num palácio e só sai de casa para inaugurar hotéis de luxo ou para ir ao Casino. Aproveita essas alturas para falar um pouco e conviver com os jornalistas.
Cavaco Silva é um tipo com sorte. Enquanto os portugueses têm um problema com um Coelho, ele só tem um problema a resolver com a  ( casa da) Coelha...

Países de programa?


"Portugal e a Irlanda – países de programa  – serão – de acordo com o princípio de 
igualdade de tratamento adoptado na cimeira da área do euro em julho de 2011 – 
beneficiados pelas condições abertas no quadro do Fundo Europeu de Estabilidade 
Financeira. Mas quero sublinhar que o progresso de Portugal e Irlanda foi importante 
para a avaliação positiva das perspectivas de ajustamento na área do euro."
( Vítor Gaspar , no discurso de  encerramento do debate sobre o OE 2013)

Nem vou dissertar sobre a contradição entre este discurso e as palavras que ontem proferiu, acusando os jornalistas de terem deturpado as suas palavras, porque seria dar demasiada importância a um merdas de um lacaio do Schauble
O que eu gostaria era saber o significado da expressão" países de programa"
 Garota de programa, eu sei o que é...agora países de programa deve ser uma terminologia adoptada  no eixo Estrasbrgo/Bruxelas cujo significado me deixa algumas dúvidas. Embora Portugal seja um país de acolhimento às garotas de programa, também há senhoras no governo, daí a minha dúvida...

Eles não dão ponto sem nó...

Depois da Tecnoforma a Prosegur?
Dizem que é um negócio com futuro...

Post it ao Pai Natal




Querido Pai Natal:
Já houve tempo em que te escrevia cartas, depois passei a enviar-te telegramas, ultimamente aderi aos e-mails, mas nunca cheguei a fazer-te pedidos por SMS.
Constato, porém, que à medida que os recursos tecnológicos vão evoluindo, são menos os pedidos que me satisfazes. Ora isso leva-me a pensar que, provavelmente, não gostarás das novas tecnologias, pelo que este ano decidi recuar no tempo e voltar a utilizar as velhas.
Não vou enviar-te os meus pedidos por carta , porque também deves estar a sofrer com a crise e um Post-it deve chegar. Pode ser?
Responde-me  na volta do correio e diz que cor preferes.
Muito grato


Adeus Europa!

Pouco me importa se o Orçamento da UE para 2014-2020 vai ser aprovado em Janeiro. As migalhas que Rumpuy promete a Portugal em nada alteram a minha opinião sobre a falta de solidez e de estratégia dos líderes europeus. A União Europeia não depende de esmolas, depende de uma política de coesão onde os mais fracos sejam apoiados pelos mais fortes. Foi assim que os EUA  se tornaram o país mais poderoso do mundo. E continua a ser a política de coesão ( veja-se a dívida da Califórnia que seria um estado falido nos parâmetros da UE) que mantém os 50 Estados unidos  num projecto comum.
A Europa - escrevo-o pela enésima vez- está a esboroar-se e começa a ser pouco respeitada no mundo inteiro. Já toda a gente percebeu que a UE interessa apenas a meia dúzia de países que pretendem explorar os restantes.
Despeço-me hoje da Europa. Sem mágoa. Apenas com o desprezo que sinto pelos crápulas. A Europa actual é isso. Um grupo de crápulas, mentirosos, incompetentes, fascinados pelos cifrões, insensíveis com as pessoas e programados como computadores, que governam um continente que já deu bons exemplos ao mundo. Hoje continua a ser convidada para as festas de família, mas ninguém lhe liga nenhuma e alguns anseiam ver-se livre dela de uma vez por todas.
Adeus Europa! Ao menos descansa em paz! 

Tribunal Europeu condena Portugal

Portugal tem vindo a ser repetidamente condenado pelo Tribunal Europeu, por morosidade das decisões judiciais. Ontem  foram mais três condenações.
Nem de propósito, ontem conhecíamos mais um exemplo dessa lentidão. O Supremo Tribunal de Justiça condenou a SIC por discriminar alguns candidatos nas eleições autárquicas de... 2009!
Claro que com multas de mil euros as televisões continuarão a rir-se baixinho e a desrespeitar a lei de acordo com as suas conveniências e interesses por isso, o que é de realçar mesmo na notícia não  é o incumprimento da lei, mas o facto de o processo se ter arrastado durante  três anos e ter custado ao Estado muito mais do que as multas  que a SIC vai ser obrigada a pagar.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Problemas de comunicação

Quando Vítor Gaspar e PPC  dizem que Portugal não é a Grécia estão, mais uma vez, a revelar dificuldades de comunicação. Na verdade, o que eles querem dizer é : Portugal ainda não é a Grécia!

O amor pelos animais



Os alemães são inegavelmente grandes amigos dos animais. Tão amigos, que alguns os elegem como parceiros sexuais privilegiados.
A Alemanha é, aliás, um dos poucos países  que tolera a zoofilia, admitindo desde 1969 a prática sexual entre seres humanos e animais, desde que o bicho não seja maltratado e não se queixe. (Como sabemos, o coelho nunca se queixou. Bem pelo contrário, até parece gostar  de ser sodomizado).
Mas até no país de Merkel as coisas mudam e, assim, o Reichstag vai votar, no próximo dia 14, uma lei que proíbe a prática da zoofilia.  Obviamente, há quem não esteja de acordo. É o caso, por exemplo, de Michael Kiok, director do grupo zoófilo ZETA. Indignado, perante a perspectiva de ser obrigado à abstinência, deixando o seu pastor alemão privado das suas carícias, promete lutar contra a lei, porque considera  impensável que “qualquer acto sexual com animais seja punido”.

Não, não és o único...

 Seria bom que, por uma vez, o PCP pensasse mais no país do que em si próprio e, em vez de desferir constantes ataques ao PS, procurasse consensos e não se arvorasse como o lídimo ( e único) representante da esquerda. 

O Portas não aguenta? Ai aguenta, aguenta...

Pedro Passos Coelho já humilhou Paulo Portas várias vezes. O líder do CDS resistiu alegando patriotismo.  Gaspar humilhou repetidas vezes  Portas e os deputados do seu partido. Portas continuou a resistir.
Agora, vem este caramelo do Porto chamar-lhe traidor. Presumo que Paulo Portas irá fingir que não ouviu. No fundo, ele sabe bem que merece ser humilhado, mas quantos mais insultos e humilhações estará Paulo Portas disposto  a suportar, por umas migalhas de poder? Será mesmo capaz de vender a Mãe, como já ouvi alguém asseverar? 
Visto por outro prisma ( que não deve ser descartado): até onde estará o PSD disposto a ir para obrigar o CDS a abandonar a coligação, para que depois Coelho se possa armar em vítima? Julgarão Relvas e Coelho que podem esticar a corda até partir para o seu lado? Eu não estaria tão confiante. Portas está, há muito, à procura de engendrar um pretexto para sair por cima num próximo acto eleitoral. No dia em que o encontrar a coligação explode com estrondo e Portas encontrará um outro regaço que o acolha numa nova coligação.
Resumindo: o país está à mercê de uma luta de galináceos da política. O povo, sereno, continua a aguentar tudo, crente de que eles estão a fazer tudo para salvar o país. Santa ingenuidade!

Salomão andou por aqui

A triste telenovela da privatização da RTP reflecte bem a forma de actuar deste governo. Anda à bolina, navega à vista, confunde golfinhos com tubarões, não faz a mínima ideia do que fazer, nem como fazer. 
A única missão que sabe cumprir com zelo é executar as ordens da troika. Quanto ao resto, Gaspar trata das contas e Pedro Passos Coelhos da imagem do elenco.
Assim que se percebeu que a privatização da RTP era um tiro no pé e nem sequer havia candidatos interessados na sua aquisição, começou a falar-se da venda de apenas um canal. Depois de concessão. Mais tarde, aqueles tipos que durante a campanha eleitoral garantiam que já tinham estudado todos os dossiês, anunciaram que, afinal, ainda iam estudar o problema e estavam todas as hipóteses sobre a mesa. A opinião pública mobilizou-se contra a privatização. Alberto da Ponte começou por lhes dar razão mas no dia seguinte Miguel Relvas puxou-lhe as orelhas e obrigou o homem das cervejas a dar uma entrevista a desdizer-se.
Miguel Relvas temeu perder mais uma vez a face ( se é que aquela coisa ainda tem face!) e exigiu a PPC que defendesse a sua honra, em nome do passado comum no mundo dos negócios. Lembrou-lhe que tinha sido ele a catapultá-lo para PM e os jeitos que prestou à Tecnoforma quando PPC era administrador da empresa e Relvas secretário de estado de Durão Barroso. 
PPC ficou entalado, porque já se tinha comprometido com Portas em não avançar com a privatização. Foi até Cabo Verde arejar as ideias e tomou uma decisão salomónica. Privatização, sim, mas só de 49% O resto será concessionado. Ou seja, um molho de bróculos!
Relvas ficou  mais aliviado. Com jeito, conseguirá pelo menos que a privatização atinja os 51%. Gaspar sorriu, porque vão entrar mais uns tostões nos cofres das Finanças. Paulo Portas, mais uma vez, admite recuar.
E assim continua este grupo de energúmenos e de embusteiros a delapidar o património do país, para satisfazer os seus interesses pessoais. Em Belém, um zombie continua a olhar, indiferente, para o país a desmoronar-se. "No pasa nada!"