sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Ano Novo, Vida Nova!


Teria muito para vos dizer sobre este 2011  que, apesar de tudo, foi um bocadinho melhor do que 2010. Perdi alguma qualidade de vida como quase toda a gente, mas pelo menos não perdi pessoas que me  eram queridas,  como aconteceu  em 2010. Dos  problemas de saúde que me afectaram em 2010, felizmente este ano também não me posso queixar. Poderei dizer  pois, em jeito de balanço, que este ano foi melhor do que o precedente.
 O amargo de boca que sinto nestes últimos dias de 2011 é  provocado por me  sentir  como se tivesse sido sequestrado por um grupo de bandidos que reclamam um resgate para me libertar mas, quando os seus pedidos são satisfeitos, logo avançam com novas exigências.
Ora  eu sou como o Pinheiro de Azevedo, ser sequestrado é uma coisa que me chateia. Ainda mais, quando pressinto que os sequestradores não estão nada interessados em libertar-me, apenas procuram ganhar tempo  até  fazerem uma exigência impossível de satisfazer, para depois me liquidarem.
Os  sequestradores não têm rosto, mas  os seus mandantes que neste momento me vigiam, são pessoas estranhas que passam o dia inteiro a discutir estratégias para agradarem aos chefes.  Não sei os seus nomes, porque se  tratam por alcunhas. O  Boca de Brioche ( tratam-no como se fosse líder, mas já percebi que o tipo não manda nada) , o Abafa Palhinhas que passa a vida a entrar e a sair, muito atarefado, levando e trazendo mensagens para outros grupos de sequestradores, o Seminarista que trata da contabilidade e o Fiel Jardineiro que passa o tempo, acompanhado  por um  séquito  de lambe cús,   a regar uma laranjeira anã que está a um canto da sala,  mas  me parece  estar a morrer aos bocadinhos.
Nem é o facto de já terem quase secado a minha conta bancária  ( o meu mediador  que os acusa de me estarem a esbulhar, com desrespeito pelas regras éticas dos criminosos, vai satisfazendo todas as usas exigências )  que me chateia. O que realmente me deprime é  o Boca de Brioche estar a destruir-me o ânimo, descapitalizando-me a esperança de sair daqui com vida.   
Tinha de tomar uma decisão  e arranjei um estratagema para me livrar do cativeiro nas próximas horas. Vou aproveitar os preparativos para a passagem de ano, que os mantém atarefados, e vou pirar-me. Deixo-lhes um bilhetinho a  dizer que não me agrada conviver com criminosos, mando-os à merda e assim que estiver em liberdade, gritarei com todas as forças:
Ano Novo, Vida Nova!
Entretanto, aproveito para vos desejar  um Feliz 2012 e marcar encontro convosco  entre o final de Janeiro e  meados de Fevereiro. Até lá  espero ir passando por aqui, de vez em quando, para deixar a minha impressão digital. 
Façam o favor de ser felizes!

Prémios Escorpião de Ouro 2011 (2ª parte)


Concluo hoje  a entrega dos Prémios Escorpião de Ouro 2011. Quem não assistiu à primeira parte, pode ver aqui a lista dos vencedores

E os galardoados de hoje  são...


Prémio  Sensodyne -  Programa da TVI “A Casa dos Segredos”, pelo seu contributo para o serviço público de televisão ao transmitir as imagens de uma concorrente fazendo  sexo oral. 
Prémio Second Life-  Judeus ortodoxos que exigem  às mulheres que se vistam com decência e cuspiram numa menina de 10 anos, por estar vestida de forma “ultrajante”.
Prémio Acólito(s) do ano- Jornalistas que se transferiram das redacções para os gabinetes do governo, depois de umas almoçaradas à borla com PPC, onde apareciam disfarçados de bloggers.
Prémio Speedy Gonzales- Fernando Nobre, pela sua passagem meteórica pela política portuguesa.
Prémio Encenação –  Duarte Lima pela entrevista dada a Judite de Sousa, depois de a justiça brasileira ter anunciado suspeitar do seu envolvimento na morte de Rosalina Ribeiro.
Prémios “Tirem-me daqui” e “Leva-me Contigo” –  Sílvio Berlusconni pela frase “ Daqui a uns meses vou-me embora… Vou-me embora deste país de merda que me dá náuseas”.
Prémio  “Era uma vez uma Vespa que encontrou uma fada e lhe pediu um desejo...”-  Pedro Motas Soares. Foi tomar posse de Vespa mas,  três meses depois , montou-se num Audi de 86 mil euros para brincar à caridadezinha.
Prémio  Alzheimer-  Pedro Passos Coelho que, em 24 horas, esqueceu todas as promessas que andou a fazer durante a campanha eleitoral.
Prémio Marretas-  Paula Teixeira da Cruz e Marinho Pinto, pelos  edificantes diálogos que travaram ao longo do ano em torno da Justiça.
Prémio Complexo de Édipo-  Correio da Manhã  que, diariamente, faz manchete com José Sócrates.
Prémio “À noite logo se vê”-  Durão Barroso que, perante a crise europeia, continua a acreditar   que um dia alguém há-de tomar decisões sérias para a combater.
Prémio Não Matem o Mensageiro –  Carlos Abreu Amorim, pelas hilariantes e descabeladas  intervenções  em defesa do chefe.
Prémio Instituto de Emprego e Formação Profissional-  Diário de Notícias, a melhor agência de empregos  para candidatos a lugares no governo PSD/CDS.
Prémio  Novas Oportunidades-  Maria de Lurdes Vale. Saiu  do DN para o gabinete do Álvaro e, em apenas três meses, foi catapultada para a direcção do Turismo de Portugal. 
Prémio “ E agora que é que eu faço?”- António José Seguro que não sabe o que deve fazer como líder da oposição.
Prémio “Agarrem-me senão eu…” –  Alberto João Jardim que  passou o ano a fazer ameaças e a lançar bravatas, mas  em 2012 se transformará em cãozinho amestrado. 
Prémio  Sarjeta –  Mário Crespo, pelo seu comportamento e pelo programa que mantém na Sic Notícias.
Prémio “ Crime, disse ela..”-  Felícia Cabrita, pelas “investigações” no âmbito dos  casos Duarte Lima e “serial killer” made in Casa dos Segredos.
Prémio “Daqui não saio, daqui ninguém me tira” – Vale e Azevedo, pela sua perícia em zombar da  justiça, mantendo-se a viver em Inglaterra levando uma vida de nababo.
Prémio  “A  promoção do ano Pingo Doce”- Ex- aequo  para o Berloque de Esquerda e Partido Comunista Português  pelo seu contributo na promoção de Pedro Passos Coelho.
Prémio “Animal de Jardim Zoológico” – O Coelho. Foi o protagonista do ano chinês e lixou o português.
Prémio “Olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço”- Membros do governo que prometeram a privatização da EDP, mas acabaram por vender a parte do Estado português a uma empresa que pertence ao governo chinês.
Prémio Margarida Rebelo Pinto-  Hugo Chavez. Afinal há coincidências e este ano  os líderes sul-americanos que democratizaram os seus países  foram todos vítimas de cancro ( Chavez, Cristina Kirchner, Lugo, Lula…).
Prémio taróloga Maya- Pedro Passos Coelho pela frase: “Daqui a 20 anos estaremos muito pior do que hoje”.
Prémio Professor Pardal- Troika, pelas experiências que anda a fazer com os países endividados.
Prémio Dr Jekill and Mr Hyde- Agências de rating.
Prémio “ Mas eu disse isso?” – Cavaco Silva por ter passado meses a zurzir no OE 2012, defendendo que continha inconstitucionalidades,  mas  acabando por promulga-lo sem o enviar ao Tribunal Constitucional. 

Chavez será mesmo louco?


Entre 1946 e 1948 , cientistas norte-americanos infectaram deliberadamente  prisioneiros, prostitutas e doentes mentais guatemaltecos com sífilis e gonorreia, provocando pelo menos 83 mortes, entre as mais de cinco mil vítimas propositadamente infectadas.

O caso foi abafado durante décadas e só com a chegada de Obama à Casa Branca foi criada uma comissão para analisar 125 mil documentos sobre estas experiências.
A comissão concluiu que “houve um esforço claro e deliberado de enganar as pessoas submetidas às experiências e a comunidade científica”  e o seu presidente, Amy Gutmann, acrescentou que “ os envolvidos no estudo não tiveram o mínimo respeito pelos direitos humanos”. 
Lembrei-me disto, a propósito das recentes declarações de Chavez.  Ao constatar que vários chefes de governo e presidentes sul-americanos foram este ano vítimas de doenças cancerígenas ( ele próprio, Cristina Kirchner, Lula da Silva e Fernando Lugo) , o presidente venezuelano lançou a suspeita velada de que os EUA  poderiam estar de algum modo envolvidos nestes casos. 
Logo alguma blogada de direita, com epicentro em Braga,  contra atacou com posts inflamados, denegrindo  Chavez.
Obviamente que acredito tratar-se de uma infeliz coincidência, mas aproveito para recordar a esses epifenómenos blogueiros que as coincidências são tramadas. É que todos os líderes vitimados pela doença são de esquerda, não tendo o mal afectado líderes  amigos da Casa Branca como Piñera.
Eu sei que este post é um bocado idiota, mas é a resposta  na mesma moeda aos idiotas que aproveitaram as declarações de Chavez para lhe chamar louco e psicopata  e lembrar que as teorias mais escabrosas são possíveis, quando estão em causa os interesses americanos na região. É que aqueles povos  já se habituaram a ser vítimas dos mais cobardes ataques americanos e sofreram na pele as consequências, pelo que é admissível que mantenham a desconfiança sobre as habilidades dos americanos, incapazes de respeitar os direitos humanos, quando estão em causa os seus interesses.

Diz que é uma espécie de jornalismo

Lembram-se da expressão jornalismo de sarjeta, utilizada por Augusto Santos Silva para definir o jornalismo manhoso?
Pelo exemplo acima ( roubado aqui) a expressão caiu em desuso. A isto chama-se mesmo jornalismo filho da puta.