sábado, 24 de dezembro de 2011

Surpresa de Natal é...


Subir a Alameda, virar à direita em direcção à Praça de Londres e apanhar pela frente com uma ambulância  do INEM em contramão. Felizmente vinha devagar e a jovem condutora loira desatou à gargalhada com o susto que me pregou e obrigou a fazer uma manobra perigosa, para evitar o embate de frente.
E por que raio vinha a jovem condutora em contramão? Transportava  algum doente em estado crítico? Ia socorrer alguém? O trânsito era intenso? Nada disso. O sinal para ela estava vermelho e não lhe apeteceu esperar, porque estava em fim de turno e ainda tinha de fazer as rabanadas para a ceia de Natal. 
Apeteceu-me  oferecer-lhe duas lamparinas mas, como era Natal, desejei-lhe Festas Felizes e que pela noite tivesse a honra de transportar ao hospital um doente muito especial, com uma espinha de bacalhau atravessada na garganta.  

Falta de apetite

Com tantos almoços e jantares de Natal, nas duas últimas semanas,  não sei se o meu estômago ainda tem espaço ( e capacidade...)  para comer bacalhau logo à noite! Mas há sempre lugar para uma rabanada e uma ameixa de Elvas.
Tenham então uma bela ceia natalícia com os vossos familiares, caros (as) leitores(as)