terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Eu só queria entender...

Sinceramente, não percebo a razão que leva PPC a insistir na ideia de inscrever o limite ao défice na Constituição, se ele já a violou várias vezes. Será porque lhe dá especial prazer violar a Lei máxima do país e não quer perder mais uma soberana oportunidade de se satisfazer?

Saber interpretar o Censos 2011

Começam a ser divulgados alguns dados do Censos 2011, o que permite tirar conclusões interessantes.
Ou seja, cerca de dois milhões de portugueses são analfabetos. Mas têm direito a voto, porque sabem fazer cruzinhas onde os mandam.
Se bem se lembram, a coligação que formou governo após as eleições de Junho, foi eleita com pouco mais de dois milhões de votos.
Conclusão: este governo foi eleito por dois milhões de analfabetos ( os restantes votos foram das tias de Cascais, blogueiros que almoçavam à pala de PPC, uns empresários à espera de fazer bons negócios com o Estado e as famílias dos candidatos a ministros) . Nada que eu não soubesse já, mas que o Censos 2011 veio confirmar.

Ainda o rescaldo das Cimeiras

Como ontem aqui escrevi, o sucesso das Cimeiras de Durban e Bruxelas são evidentes. O Canadá foi o primeiro país a abandonar o protocolo de Quioto, os mercados reagiram ao sucesso das medidas da dupla Bola de Berlim /Anão do Eliseu com forte queda nas bolsas.
Para animar a festa, François Hollande, provável vencedor das presidenciais francesas em Abril, já anunciou que pretende renegociar o acordo estabelecido na sexta-feira em Bruxelas. Isto promete...

Nas teias do tempo




"Se tu foges, o tempo

Logo traz ansiedade(...)"

(Daniela Mercury– Nobre Vagabundo)
Já perceberam que este post deve ser lido ao som de “Nobre Vagabundo” da Daniela Mercury não é verdade?Então agora vamos ao que interessa. E o que me interessa, hoje, é falar do tempo.

Há cerca de duas semanas fui ver "Sem Tempo". Para quem não viu, explico que o enredo gira em volta de uma sociedade onde tudo se compra com tempo, em vez de dinheiro, e a partir de determinada idade, as pessoas têm de comprar tempo para sobreviverem. Apesar de o tema ser aliciante, o filme não vale um chavo, mas enquanto o via tive sempre presente uma história que o meu avô me contou em miúdo.


Andamos todos obcecados com a falta de tempo. Ninguém tem tempo para nada. Deixámo-nos enredar numa teia de rotinas e vemos o tempo passar por nós sem nos apercebermos. O trabalho ocupa de tal maneira o nosso tempo, que perdemos a possibilidade de fruir as coisas boas da vida. Deixamos que a vida passe por nós sem lhe darmos o devido valor.

Em miúdo, quando manifestava o desejo de atingir rapidamente os 18 anos, o meu avô costumava contar-me a história de um menino que um dia encontrou uma Fada que lhe deu a oportunidade de pedir 3 desejos.

O menino começou por pedir para se ver aos 18 anos, com uma namorada muito bonita ao seu lado. A Fada satisfez-lhe o desejo.O menino fez então segundo pedido. Queria ser adulto, estar casado, ter filhos, um bom emprego, uma boa casa e muitos carros na garagem.A Fada satisfez-lhe o pedido... mas na altura o menino já tinha chegado quase aos 50 anos, em escassos segundos.

Foi então que pediu o terceiro desejo:

“Fada, quero voltar a ser criança!”

A Fada olhou-o com ar compungido e respondeu:

“Esse desejo não te posso satisfazer. Tenho todos os poderes, menos um… o de fazer recuar o tempo”.

O menino olhou-a com ar triste e perguntou:

"E agora quanto tempo tenho para viver?"

“Aquele que souberes aproveitar. Não sejas ansioso com o dia de amanhã e vive cada dia na sua plenitude”.

Quando o meu avô me contava esta história, não achava muita piada, mas à medida que fui crescendo, comecei a compreendê-la melhor. Quando fui viver para Macau, trabalhei e convivi muito com chineses. Com eles adquiri uma nova noção de tempo e estabeleci nova escala de prioridades na minha vida. Aprendi a saborear o tempo.

Nos últimos meses, comecei a notar que me tornei de novo ansioso em relação ao tempo. Não porque deseje ter 100 anos, ou voltar a ser criança. Apenas porque quero que este tempo que estamos a viver passe depressa.

Por terras alentejanas, creio ter conseguido voltar a relativizar as coisas. Apesar de todas as dificuldades e amarguras que se adivinham, não podemos desperdiçar este tempo. Temos é de aprender a usufruir o pouco que ele nos dá e, com perseverança, construir um futuro onde ninguém nos possa roubar as conquistas do tempo já vivido. Mas para isso, não podemos ficar de braços cruzados, à espera que o tempo passe...

Previsões meteorológicas para 2012



A partir der hoje, dia 13, até à véspera de Natal, contam-se as "Têmporas", ensinou-me a minha Mãe quando era miúdo. É uma espécie de Previsão Meteorológica para o ano seguinte e a "coisa" funciona assim: a partir de dia 13 e até dia 24, cada dia corresponde a um mês do ano seguinte ( dia 13, Janeiro, 14 Fevereiro... e aí por diante, até Dezembro-dia 24). O tempo que fizer em cada dia será o que se fará sentir no mês correspondente.Apesar de a minha Mãe defender o rigor desta previsão, duvido que com as alterações climáticas a infabilidade seja possível.

Eu sei que é mais fácil prever a meteorologia social em Portugal e na Europa, durante o próximo ano, do que a meteorologia climática, no entanto, vale sempre a pena tentar. Apontem num caderninho e, daqui a um ano, poderão confirmar.

O Diálogo

Pedro Passos Coelho engoliu um gramofone e agora passa a vida a pedir diálogo a toda a gente. O problema é que para ele diálogo significa aceitação pelos outros da sua vontade.
Quando andava na Faculdade tinha um colega igualzinho. Chamavamos-lhe Dostoievsky...

Deixem passar os blues (10)

Hoje ofereço-vos uma viagem até New Orleans. para uns minutos de Jazz.Espero que gostem.