quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Notícias do futuro

Ontem , o senhor presidente do conselho deu uma entrevista à SIC. Não foi entrevistado por João Coito, mas sim por José Gomes Ferreira, o que não é muito diferente.
Essencialmente, o que retirei das palavras de Pedro Passos Coelho foi um conjunto vazio. O senhor não vê um palmo à frente do nariz e não faz a mínima ideia como reagirá se a recessão auentar e a economia não crescer, como tudo indica. Em relação ao fim do euro disse que devemos estar preparados e calou-se. (Eu é que me lembrei do Corralito que vivi "in loco" e aquela ideia de perder, de um dia para o outro, 75% das minhas economias deixou-me um bocado preocupado... É que não sou rico, o meu prazo de vaidade profissional no mercado está próximo do fim e perceber que o PM de Portugal não faz uma mínima ideia do que pode acontecer a Portugal se o euro der o estoiro, estragou-me a noite).
PPC mostrou que não é um líder, nem tem visão de futuro. É um mero gestor da crise, depois de ter sido gestor de lixos. E isso é muito preocupante!
Bem, mas sigamos em frente. Nada de alarmes. Eu é que devo ser parvo.

Notícias Metafísicas

Fotografia roubada a Cristina Abud ( Argentina)

Acabo dia ( sim, já e noite...) como comecei. Dando-vos notícias optimistas que vos permitam adormecer com um sorriso nos lábios.
Comecemos pelo Parlamento Europeu, que aprovou hoje a adesão da Croácia à União Europeia, a qual se tornará efectiva no dia 1 de Julho de 2013. Não sei se os croatas festejaram mas, pessoalmente, fiquei satisfeito ao constatar que os deputados europeus são optimistas e acreditam que em 2013 ainda haverá União Europeia.
Regressando a Portugal, os jornais anunciam que o governo manteve a tolerância de ponto no dia 24 e na tarde de 31 de Dezembro. Boa notícia para os funcionários públicos. Ainda não é este ano que o governo obriga os funcionários públicos a trabalhar ao sábado.
Comemorou-se hoje o Dia Mundial de Luta Contra a SIDA. Para assinalar a data, o governo anunciou o fim da Linha SIDA.
Confirma-se, assim, que a SIDA está erradicada em Portugal ou, como muitos defendem, foi apenas uma invenção da indústria farmacêutica que o governo acaba de denunciar, ao tomar estas medidas. Finalmente vamos poder dar umas quecas sem preservativo! Azar para Luís Filipe Vieira… porque isto acontece na semana em que o Benfica anunciou o lançamento de uma linha de camisinhas que trazem frases tão sugestivas como “Força Benfica” ou “ Vamos dar uma à Benfica?”.
Finalmente, uma boa notícia do mundo da Justiça. A PJ deteve o “Estripador de Lisboa”, suspeito de ter assassinado três prostitutas no início da década de 90. A boa notícia para o assassino é que os crimes prescreveram em 2008. Fez-se justiça!
Regressarei à realidade lá mais para a noitinha.



CR sub-30:dos direitos das mulheres





Principalmente dedicado às leitoras mais jovens, este post pretende recordar a situação das mulheres 40 anos antes de Pedro Passos Coelho ter chegado a PM de Portugal.




No início doas anos 70, às mulheres, estava vedado o acesso a uma conta bancária ou ao passaporte, se para tal não obtivessem a necessária autorização do marido, ao qual era conferido o direito de lhes violar a correspondência.



No mundo do trabalho as enfermeiras, por exemplo,não podiam casar e uma professora era criticada se ousasse vestir de forma menos convencional. Bastava o uso de um vestido de seda, para que logo vozes se levantassem pondo em causa a sua conduta moral. Significativo, também, era o caso de as professoras só poderem casar com autorização do Ministro, sendo o candidato a cônjuge obrigado a demonstrar "bom comportamnto moral e civil e meios de subsistência consentâneos com o vencimento de uma professora".



Salazar, aliás, não hesitava afirmar que "o recurso à mão de obra feminina representa um crime" e que quando a mulher casada concorre com um homem por um posto de trabalho, "a instituição da família ameaça ruína".



Esta forma de pensar explica porque razão as mulheres não podiam montar um negócio sem autorização do marido, ou o Código Civil proibia a mulher de exercer uma profissão sem a anuência do cônjuge, situação que apenas se alteraria na segunda metade da década de 70, com a abolição da figura do “chefe de família”. E explica, também, porque razão as criadas de servir constituíam, nos anos 40, um exército de 200000 postos de trabalho (sem direito a quaisquer regalias e podendo ser despedidas a qualquer momento, bastando que os patrões assim o entendessem).



No início dos anos 60, na secção "Questões de etiqueta" da revista “Flama”, uma leitora perguntava se uma mulher podia usar cartões de visita individuais. Como resposta, recebeu a seguinte pérola:



"Não, a mulher casada tem de usar os cartões em conjunto com o marido". No entanto, os responsáveis da rubrica abriam uma excepção para o caso das mulheres solteiras ou órfãs "que vivam em casa própria". Essas, poderiam ter direito a usar cartão de visita, mas com duas importantes salvaguardas: NUNCA deveriam ter a morada, e as suas dimensões deveriam ser menores do que as dos cartões habitualmente utilizadas pelos homens.



Aproveitem!

Desejo-vos um belo feriado de 1º de Dezembro, pois é o último ano em que o vão poder gozar. Mas, como escrevi aqui há precisamente um ano, já não há razões que o justifiquem

Começar o mês com uma boa notícia

Tinha prometido começar hoje uma nova rubrica musical, mas fui surpreendido com esta notícia e não pude deixar de partilhá-la convosco. Também é música. Ora oiçam lá e digam de vossa justiça.