quarta-feira, 16 de novembro de 2011

They have a dream

Um povo inculto e ignorante, com salários de miséria e a trabalhar de sol a sol, um governo a brincar à caridadezinha e a manipular a informação é esse o sonho da actual maioria. Só falta o Movimento Nacional Feminino, porque a Mocidade Portuguesa já anda pelos gabinetes ministeriais.
Ó Viegas! Vai-te catar...
Já vivi nesses tempos. Passo

Arte com sentido crítico (4)




O miúdo da Bica

- Uma bica, por favor
- Tira aí um cafezinho para este senhor!
- Não, eu quero mesmo uma bica…
- Ora aqui tem o seu cafezinho. Mais alguma coisa?
- Dê-me uma empada de frango
- Só tenho de vitela
- Pode ser . Quanto é?
- Ora o cafezinho mais a empada, 1,50€…
- Mas eu não tomei cafezinho...
-Então está bem. Como nós não temos bica paga só 1,50€.

Os Jotinhas vão de carrinho

Já aqui escrevi - e fui bastante criticado- que as jotinhas dos partidos são uma espécie de escolas de inúteis que escolhem a política como profissão, porque não sabem fazer mais nada, senão viver encostados a padrinhos que os alcandoram às luzes da ribalta.
Alguns não passam nunca de servos de gabinete, outros chegam a membros do governo e, os mais espertos, passam pelo governo apenas durante o tempo necessário para criar as redes que lhes permitam encostar-se numa empresa ou instância internacional, onde passeiam a sua incompetência, mas disponibilizam a rede de contactos necessários a quem lá trabalha, para fazer bons negócios. Resumindo, as jotas são, hoje em dia, cursos de relações públicas mais ou menos rascas, que desenrascam acomodados. O importante é terem uma "boa agenda" de contactos
Não admira, por isso, que quando se reúnem em congresso tenham ideias brilhantes como exigir isenção de portagens nas SCUT para os estudantes universitários.
A leitura da notícia já me provocou vómitos suficientes e não vou alongar-me na análise. Limito-me por isso a lembrar esta canção do Zeca:

Os Meninos Nazis

O país vai de carrinho
Vai de carrinho o país
Os falcóes das avenidas
São os meninos nazis

Blusão de cabedal preto
Sapato de bico ou bota
Barulho de escape aberto
Lá vai o menino-mota

Gosta de passeio em grupo
No mercedes que o papá
Trouxe da Europa connosco
Até à Europa de cá

Despreza a ralé inteira
Como qualquer plutocrata
Às vezes sai para a rua
De corrente e de matraca

Se o Adolfo pudesse
Ressuscitar em Abril
Dançava a dança macabra
Com os meninos nazis

Depois mandava-os a todos
Com treze anos ou menos
Entrar na ordem teutónica
Combater os sarracenos

Os pretos, os comunistas
Os Índios, os turcomanos
Morram todos os hirsutos!
Fiquem só os arianos !

Chame-se o Bufallo Bill
Chegue aqui o Jaime Neves
Para recordar Wiriamu,
Mocumbura e Marracuene

Que a cruz gamada reclama
e novo o Grão-Capitão
Só os meninos nazis
Podem levar o pendão

Mas não se esquecam do tacho
Que o papá vos garantiu
Ao fazer voto perpétuo
De ir prà puta que o pariu

Caramelos Vaquinha (3)


A frase: “A bem da Nação”, a informação emitida pela RTP Internacional deve ser “filtrada” e “trabalhada” pelo Governo. Um tratamento que, acrescentou, “não deve ser questionado”.
Desculpará, João Duque, mas não o conhecia de parte nenhuma e nunca lhe tinha ouvido qualquer opinião sobre informação, mas cheguei a acreditar que fosse uma mente brilhante, até perceber que tinha sido nomeado pelo Relvas para um GT com o objectivo de definir "serviço público".
Quando soube que estava rodeado de gente como José Manuel Fernandes e Cintra Torres, começou logo a cheirar-me mal, mas nunca pensei que em pleno século XXI houvesse alguém que pudesse ser nomeado para dirigir um grupo de estudo sobre um assunto tão sério e rematasse a borrada com uma frase tão imbecil.
Nem me vou dar ao trabalho de ir procurar uma fotografia para embrulhar o seu caramelo. As vaquinhas podiam ofender-se e também é melhor que as pessoas não o conheçam. Para mim, a partir de agora será, simplesmente, o "Duque de Paus" .
É que no bridge esta carta só tem relativa importância quando paus é naipe de trunfo. E, como deve saber, quando um Duque faz vaza toda a mesa reprime a custo uma gargalhada.
Para já, leva dois cabides (cue bids) . Um por ter aceite o convite e outro pelo trabalho de lambideira que desempenhou. Passe bem.

De boas intenções...

Acreditem ou não, eu hoje acordei com a firme intenção de acreditar que o nosso PM, apesar das suas limitações, é uma pessoa honesta. Mas de boas intenções está o Inferno cheio e, ao ler isto, perdi todas as ilusões.

Grandes Bandas (37)

E se agora vos oferecesse um bilhete de ida e volta para uma viagem ao paraíso? Aceitavam?