domingo, 30 de outubro de 2011

À atenção do "Público"

Escolher esta notícia para manchete não me parece uma boa ideia. Não acredito que, para além de António José Seguro, haja um único deputado do PS a pensar que a abstenção serve os interesses do PS e do país.

Eles é que sabem...

Regressei do Norte esta tarde. A última escala foi o Porto, onde na sexta-feira gozei os favores de um esplendoroso dia de sol. Manhã na esplanada do costume em excelente companhia, tarde entre alguns afazeres pessoais e passeio pela cidade ( a pé, claro...) que terminou na Ribeira. Surpreendeu-me o grande número de turistas que às cinco da tarde animavam as esplanadas. Já em casa, encontrei a explicação. Ou melhor...mais uma explicação!

Eureka!

Estátuas de pedra monumentais pesando entre duas e 20 toneladas, plantadas numa ilha perdida no meio do Pacífico; uma maçã que cai na cabeça de um homem, sentado à sombra de uma árvore; um homem que aprisiona a luz dentro de um receptáculo de vidro; um laboratório onde, num emaranhado de fios, alguém tenta aperfeiçoar um sistema de comunicação e, ao ouvir a voz de um colaborador descobre o telefone; um cavalo de madeira entregue como presente, de cujo bojo sai um exército que toma uma cidade e vence uma guerra; um garimpeiro que pede a um imigrante que lhe faça umas calças de uma tela fina usada para as velas dos barcos, revolucionando a moda; um homem que relaxa numa banheira e grita: “EUREKA!”
A História está cheia de Eurekas, de cliques criativos, que revolucionaram o mundo. Todos nós precisamos de Eurekas e cliques para que nos revolucionemos e não deixemos a nossa vida enredar-se na teia dos comportamentos politica e socialmente correctos que a destroem.Qual foi o clique que mudou a sua vida? Já alguma vez gritou Eureka?
















Bate, bate, coração (31)


Para quem pensa que a música francesa está morta, aqui fica uma boa prova de vida

A dança das horas

Esta noite muda a hora e o governo decidiu assinalar a data com "A Dança das Horas". Palpita-me que é apenas o primeiro passo para impor novamente o trabalho ao sábado. O fim do descanso semanal virá lá para 2014, mas antes ainda vão reduzir os dias de férias.