segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Happy birthday to me...

Faz hoje quatro anos que escrevi o primeiro post no CR. ( O blog nasceu a 4, mas o primeiro post só foi escrito no dia seguinte...)
Não tenho muitas razões para comemorar. Sempre desejei ter um blog cordato, que fosse um pólo de convivência salutar na blogosfera. Consegui-o durante três anos, num tempo em que neste espaço a crónica se sobrepunha à política. Fiz parte de um blogobairro onde floriram bonitas amizades.
No último ano, porém, desviei-me do rumo inicialmente traçado. A crónica, por vezes ingénua e pueril, mas quase sempre baseada em factos reais, deu lugar à política. Tornei-me azedo, revoltado com as injustiças deste país e não consegui evitar o desvio do rumo inicialmente traçado. Mantenho-me, no entanto, mais de quatro mil posts depois, coerente com aquilo que sou.
Diversas vezes tive vontade de partir e deixar este Rochedo abandonado à sua sorte. Tenho resistido, porque os leitores que aqui aportam me têm alimentado o ânimo de prosseguir, com os seus generosos comentários. Na última sexta-feira, o CR atingiu a bonita marca de 300 mil leitores e 550 mil page views. Mais de um terço desses leitores, nos últimos 10 meses!
Confesso, porém, que apesar de as audiências aumentarem mês após mês, já não sou tão feliz aqui como noutros tempos. Porque não queria ser azedo, ter de condenar o comportamento de amigos e companheiros de décadas que se venderam por um prato de lentilhas. Porque não queria acordar, diariamente, sobressaltado com medo das pulhices de um grupo de energúmenos. Mas não consigo calar-me, que hei-de fazer?
Tenho tentado equilibrar este Rochedo, mesclando posts sobre política, com crónicas e rubricas de “fait divers” que me proporcionam momentos de boa disposição e também de nostalgia.
Escrevi “ me proporcionam” e não “vos proporcionam”. Fi-lo de forma consciente. Estaria a mentir se dissesse que não criei este blog para me dar prazer. Se, por acréscimo, conseguir proporcionar alguns momentos agradáveis a quem me visita, sentir-me-ei, obviamente, muito mais feliz.
Hoje, nas celebrações do quarto aniversário do CR não haverá limousines, nem vestidos compridos. Não haverá festejos faustosos com mesa farta, fogo de artificio, nem foguetes estralejando no ar, como em anos anteriores.
Comemorarei discretamente com um jantar na companhia da Martinha, da Brites, do Sebastião e do Papalagui, fiéis colaboradores.
Em breve espero apresentar-vos o Eufrázio – um sonso católico, apostólico e romano, temente a Deus e condoído com a pobreza, que meteu uma cunha para se tornar colaborador do CR- obviamente, pagando! Vergonhosamente, não acedi…não vivo de receitas publicitárias, apesar de o Google me dizer, todos os dias, que sou um blogger popular. Mas creio que vão gostar de conhecer este figurão...
Novas rubricas estão na forja - como o CR sub 30- de que vos falarei nos próximos dias, após o meu regresso do Norte.
É natural que hoje os leitores passem por aqui e me dêem os parabéns pelo aniversário do CR mas, sem querer abusar da vossa paciência, queria fazer- vos um pedido:
Deixem-me também críticas, digam aquilo de que não gostam, sejam sinceros na análise que fizerem deste Rochedo.
Não foi com palmadinhas nas costas , mas com as críticas que me fizeram ao longo da vida, que aprendi a crescer. Respeito a opinião alheia... só não respeito a traição e a intolerância. Força na tecla e obrigado. Mesmo MUITOOOOOO OBRIGADOOOO! por passarem por aqui e contribuírem para que eu tente tornar este Rochedo cada dia melhor.
Agora, convido-vos a comer uma fatia de bolo. O champagne ainda não chegou, mas tenho a certeza que a Maloud vai aparecer por aqui com ele, como sempre…Caso contrário, contentemo-nos com a "Biúba Quelicote".


«

Sucessos de Verão (42)


Já estou em clima de festa de aniversário do CR, por isso, hoje resolvi presentear-me com esta canção, indispensável em qualquer festa de aniversário da época. Mais logo, haverá mais detalhes...