sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Andam tubarões no Algarve

No dia 5 de Junho os portugueses foram votar, pensando que iam escolher um primeiro-ministro. Menos de dois meses depois, o eleito pirou-se para o Algarve e virou figura de jet set nas revistas cor de rosa.


Mas fica-me uma dúvida: que fazia PPC antes de ser eleito presidente do PSD?


Entretanto, chegam notícias de que andam dois tubarões no Algarve a afugentar turistas e há quem considere isso uma boa notícia. Lembrei-me que Cavaco também está de férias na aldeia algarvia dos amigos do BPN, também conhecida por Coelha.



Laura, papagaio tem fome!




No Porto tenho por vizinho, numa vivenda nas traseiras da minha, um papagaio que costuma acordar –me por volta das oito, com um falatório estridente .


Nos últimos meses, a sua frase matinal, antes de lhe ser servido o pequeno almoço, era invariavelmente:


Lucky, gostava tanto de ti!”


O Lucky era um velho pastor alemão dos meus vizinhos, companheiro de brincadeiras do papagaio, que morreu recentemente, deixando os donos inconsoláveis, sentimento partilhado pelo próprio papagaio que assim anunciava, à vizinhança, a dor de uma família.


Este fim de semana, uma nova frase do Louro deixou-me deveras surpreendido. Furiosamente, logo às oito da manhã, começa a gritar:


“Laura, papagaio tem fome! Laura, papagaio tem fome!”


Intercala a reclamação com furiosas bicadas no recipiente onde os donos lhe costumam colocar a ração matinal e só se cala quando o pequeno almoço lhe é servido.


Contei este episódio à minha mãe ( cuja surdez não permite ouvir as reclamações do animal) e ela logo retorquiu, recordando um episódio com um outro papagaio que tinha como vizinho, na Foz do Douro, onde nasceu.


Contava-lhe então o meu avô que, nos últimos tempos da monarquia, o papagaio tinha por hábito gritar Vivas à República, fala que lhe fora ensinada pelo dono, um republicano convicto.


Nada demais, não se desse o caso de papagaio e dono terem sido várias vezes presos pela polícia.

As praias da vida dos outros (18)

A Teresa fala-nos de uma praia que lhe quiseram roubar, mas que ela conseguiu agarrar para ser feliz. Talvez muitos não a conheçam, mas é uma belíssima praia. Vão lá confirmar...
Com este contributo da Teresa, encerro o desafio "A Praia da Minha Vida", agradecendo desde já a todos os que participaram e que homenagearei devidamente no domingo.



Precisa-se de dicionário para gente carenciada



Depois dos casos Nobre e Nogueira Leite, a quem Pedro Passos Coelho fez convites para lugares que não podia oferecer, surgiu ontem o convite de Miguel Relvas a Mário Crespo ( ainda não desmentido por nenhuma das partes) ultrapassando os critérios de nomeação dos correspondentes da RTP.

Seriam casos suficientes para se perceber que este governo não conhece o significado da palavra "transparência" , mas ontem mais um caso veio eliminar todas as dúvidas. Refiro-me aos concursos para dirigentes da Administração Pública. Fazer concursos e depois dar aos ministros poderes para decidir quem ocupa o lugar, não é transparência...é palhaçada!

Ofereçam-lhes um dicionário, por favor...

Os montes de Hermínio



Começou no último fds a Liga, mas alguns comentadores futeboleiros parecem apostados em desviar atenções para casos colaterais que nada têm a ver com futebol. É o caso de Hermínio Loureiro, ex-presidente da Liga (de má memória) e possível candidato à presidência daFPF. Pois este homem, que o governo gostaria de ver à frente dos destinos da cúpula do futebol, continua a demonstrar uma preocupante insanidade. Misturando alhos com bugalhos, HL vem exigir mão pesada para o agressor de Pedro Proença. Pouco lhe importa que a agressão a Pedro Proença, apesar de perpretada por um adepto do Benfica, nada ter tido a ver com questões desportivas. Foi um problema entre cidadãos, em nada relacionado com futebol, mas sim com questões do foro privado.



Hermínio Loureiro não faz a destrinça e mete tudo no mesmo saco. Pede justiça exemplar em nome do futebol, para um caso que nada tem a ver com justiça desportiva e, repito, foi apenas uma espécie de ajuste de contas do foro privado. Pobre futebol português, se esta rechonchuda criatura for escolhida para presidente da FPF...


Sucessos de Verão (27)



E não houve grandes sucessos de Verão da música portuguesa? - perguntava-me há dias uma leitora. Não houve muitos, mas sempre houve alguns que até atravessaram fronteiras. Esta canção que vos trago ( num video clip onde se evoca um dos grandes filmes portugueses) até esteve no top-100 em Inglaterra e teve direito a versão em inglês, ouvida com frequência num pub de Regent Street que eu frequentava amiúde.

José Cid foi um "fazedor de sucessos" ( Balada de El-Rei Sebastião foi uma canção de uma época) que passou mais ou menos ao lado de uma carreira internacional, mas era considerado pimba e a sua presença estava vedada nos bailes de garagem. Que me lembre, naquele tempo, só os Sheiks tinham direito de entrada. Porque cantavam em inglês. Lembram-se de Missing you, outro grande sucesso de Verão?