quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Noites de cinema

Hoje, nas Noites de Cinema, faço-vos um discreto convite para identificarem este filme. Divertido e mordaz, como outros filmes de Buñuel.


Da (falta de) ética -3

Espero que o especialista Pedro Correia reaja contra esta ingerência do seu actual patrão na comunicação social. Chamar-lhe-á atentado contra a liberdade de imprensa, ingerência justificável, nomeação por mérito, ou pouca vergonha?

Os ressentimentos da memória










Enquanto escrevia o post sobre a "Filha do Lavrador", lembrei-me de um caso que se passou comigo há tempos e aqui recordo. Ainda guardo um ressentimento, impossível de apagar.


Os professores exercem uma das mais nobres profissões do mundo. O seu esforço e a sua dádiva nem sempre são reconhecidos em Portugal, mas o mesmo não acontece, por exemplo, na China, onde o professor primário é visto como uma pessoa de família, pelos familiares dos alunos.Tive, ao longo da vida, professores excelentes, apenas bons e medíocres. O meu professor primário - de que já vos falei aqui - era na realidade um professor medíocre, mas visitei-o muitas vezes ao longo da vida, até à sua morte.No Liceu tive alguns professores excelentes, de quem guardo belíssimas recordações. Ainda sou amigo , por exemplo, do meu professor de Filosofia que, embora sendo padre, é de uma grande abertura de espírito. Lembro-me com saudade do meu professor de Português, mau como as cobras, mas com uma tal sensibilidade, que chorava como uma Madalena nas aulas, quando nos falava de alguns autores portugueses. Ainda hoje sinto um arrepio, quando me lembro das aulas em que ele recitava de cor longos excertos de “Os Lusíadas” e as lágrimas lhe escorriam pela face, em catadupa.



Poderia aqui citar a minha professora de História, que me fazia voar no tempo, com a sensação de estar a viver na época de que ela falava, ou a empertigada e irritante professora de inglês que me castigava nas notas por considerar que eu não me esforçava para ser melhor aluno. Quando, no exame do antigo 5º ano ( actual 9º), tive 18,9, disse-me “mas podias ter tido 20!”. Depois, perante o meu ar incrédulo e desesperado, agarrou-se a mim a pedir desculpa pelos três anos de sofrimento que me fizera passar e arrematou: “mas valeu a pena!”.





Poderia contar-vos muitas histórias, mas hoje quero falar de um professor que tive na Faculdade de Direito. Era um péssimo professor. Ignorante, inculto e fascista, foi responsável pela minha expulsão da Faculdade. Devia estar-lhe grato por isso, pois foi graças à expulsão que a minha vida ganhou um novo rumo, mas não estou e continuo a sentir o mesmo rancor por aquela figura sinistra que era o terror dos alunos de Direito. Descobri isso há dias, quando passou por mim à porta da Versailles. Quando vi aquela figura repelente, agora carcomida pela idade, a minha vontade foi apertar-lhe o pescoço, cobri-lo de porrada, até ficar ali estendido, à espera de uma ambulância do INEM que o conduzisse ao Hospital.
Tal como alguns amores, alguns ódios não se explicam. Não é o caso deste. Sei que foi sempre uma figura detestada. Nem Marcello Caetano o suportava. Mas nunca pensei, até este reencontro, que ainda pudesse despertar –me tento desprezo, volvidos quase 40 anos!


Paroles, paroles, paroles...



Na campanha eleitoral de 2002, Durão Barroso jurava que não avançaria com o TGV enquanto houvesse uma criança com fome em Portugal. Em 2003, porém, assinava na Figueira da Foz um acordo com Aznar para a construção do TGV...

Nas campanhas eleitorais de 2009 e 2011, Manuela Ferreira Leite e Passos Coelho fartaram-se de vociferar contra os custos megalómanos do TGV. Os blogs do costume faziam de câmara de eco, corroborando e repetindo à exaustão os argumentos dos líderes laranjas.

Ontem, o ministro Álvaro foi a Madrid e encolheu-se. Em vez do peremptório não, pediu tempo para pensar no assunto, até Setembro...


Os putos




A selecção portuguesa de futebol de sub-20 está a disputar o Campeonato do Mundo na Colômbia desde finais de Julho. Como ninguém dava nada por estes rapazes, a comunicação social noticiava os resultados em notas de rodapé.


Terminando a fase de grupos em primeiro lugar, a RTP acordou e transmitiu o Portugal - Guatemala dos oitavos de final. Seguiu-se o jogo com a Argentina, nos quartos. Portugal venceu nas grandes penalidades, apurando-se para as meias finais, onde lhe coube defrontar ( ontem à noite) a França, campeã europeia naquele escalão.


Contra as expectativas dos mais optimistas, Portugal venceu por 2-0 e apurou-se para a final.


E assim, em pezinhos de lã, com apenas 5 golos marcados em 6 jogos, mas nenhum sofrido, os jovens portugueses podem reeditar os títulos conquistados em 1989 na Arábia Saudita e em 1991 em Portugal. O adversário é o Brasil, que derrotámos na final de 1991 numa final épica resolvida através da marcação de grandes penalidades.


Na madrugada de domingo (2h00m em Lisboa) haverá certamente muitos milhares de portugueses colados ao ecrã. A maioria, provavelmente, não terá visto os outros jogos. A esses aviso desde já que não esperem um grande jogo. Esta selecção não tem Figos, nem Rui Costa, nem Fernados Couto ou Jorges Costa. É uma equipa sem grandes talentos que vale pela coesão e entrega dos seus jogadores. A maioria dos quais, certamente, acabará a jogar lá fora, porque as equipas portuguesas preferem ir buscar jovens estrangeiros e dispensar os portugueses.


Vá lá $aber-$e porquê!...

Sucessos de Verão (26)



Lembram-se da irmã de Hugues Aufray? Pois é este grande sucesso que vos trago aqui hoje.