sexta-feira, 29 de julho de 2011

Silêncios cúmplices

Subscrevo o que escreve aqui o Luís, mas acrescento apenas um pormenor. Em 2010 a blogosfera do costume animou-se durante vários dias com um despacho de Sócrates que nomeava 13 motoristas para o seu gabinete. Ora, no primeiro mês de governança, PPC já nomeou para o seu gabinete 14 motoristas. Seria fácil fazer demagogia, lembrando que o PM prometeu reduzir as despesas com a utilização de viaturas do Estado e que esta chusma de nomeações contradiz o seu discurso eleitoral.


Não vou por aí. Apenas gostaria de perguntar ao Pedro Correia e a outros críticos que, como ele, agora estão repimpados nas mordomias dos gabinetes ministeriais, com o lugar de especialistas (de quê, fica por esclarecer) a razão do silêncio perante tanta nomeação em apenas 30 dias. O poder é afrodisíaco e provoca amnésia, não é verdade?





Velhos são lixo tóxico, mas reciclável...

As agências de rating classificaram a nossa dívida como lixo, mas o secretário de estado do (des)emprego, Pedro Martins, vai mais longe: classifica os trabalhadores mais velhos como lixo que deve ser reciclado por trabalhadores jovens.

Lembro-me bem daqueles bloggers anti-comunistas ( alguns agora com assento em gabinetes governamentais na qualidade de adjuntos, assessores, ou qualquer outro posto de lambe botas) qeu em cada post nos incutiam a ideia de que os comunistas matavam os velhos com uma injecção atrás da orelha e tenho saudades do comunismo. Mais vale morrer com uma injecção, em cinco minutos, do que de fome. O problema é que a história dos comunistas é ficçaõ mas a do secretário de estado é uma dolorosa realidade.

Figura da semana

Mota Amaral








Não tenho qualquer simpatia por João Bosco Mota Amaral, que está nos antípodas das minhas opções políticas e ideológicas, mas reconheço-lhe uma postura digna de que deu mais uma vez provas na última semana. Ao ver vetados pelo PR os nomes que convidara para o Conselho das Ordens , o ex-presidente da AR mandou Cavaco à fava e demitiu-se do cargo de chanceler das Ordens Nacionais, de que tomara posse três meses antes, a convite do filho de Boliqueime. Nos dias que correm, esta atitude merece registo, embora tenha ido ao encontro das pretensões de Cavaco que, de imediato, convidou a sua aia Manuela Ferreira Leite para o cargo e, pelo caminho, aproveitou para se desenvencilhar de algumas pessoas incómodas e colocar lá outros amigalhaços.



Será no 10 de Junho de 2012 que o PR retribuirá a Oliveira e Costa o gesto magnânimo das acções do BPN e condecorará esse grande e impoluto patriota ? Já vi porcos a andar de bicicleta e o actual PR recusar uma pensão a Salgueiro Maia por feitos extraordinários, mas concedê-las a dois ex-agentes da PIDE, por isso nada me espantará.

Praias da minha vida (7)

Praia do Francês (Maceió- Brasil)

Foi no início de um Dezembro do século passado que descobri esta praia. Viajava pelo Brasil há três semanas. Tinha partido de Fortaleza, sem destino e para trás deixara inúmeras praias. Apaixonara-me por duas delas, mais do que por todas as outras: Carneiros e Maragoggi.


Naquele tempo, os portugueses ainda não tinham descoberto o Brasil como destino turístico e as praias estavam quase desertas. Quase tudo estava fechado. Poucos quilómetros a sul de Maceió, um hotelzinho supipa chamou-me a atenção. Antes de perguntar se tinham quartos tomei um banho na praia. A água era quente e cristalina. Havia um bar de praia aberto, meia dúzia de turistas francesas e italianas. Tomei uma bebida e decidi ficar ali uma noite. Fui ao hotel, reservei um quarto e, quando estava a fazer o resgisto, apareceu o dono. Era neto de portugueses da Póvoa de Varzim. Contou-me que no ano seguinte, viriia com a mulher a Portugal e queria visitar a terra dos seus antepassados. Veio em Abril. Assim ganhei uns amigos na praia do Francês.

Não há almoços grátis...

Pacheco Pereira parece andar ressabiado e dispara a sua acidez sobre Pedro Passo Coelho em qualquer oportunidade. Não é que não tenha alguma razão no que aqui escreve sob o título "ìndice do situacionismo".

No entanto, já eu escrevera aqui que não há almoços grátis , pelo que não me surpreendi com as coincidências entre os jornalistas disfarçados de bloggers presentes neste repasto e a lista (ainda incompleta) de assessores repescados na imprensa e na blogosfera (para abrilhantar a acção de alguns governantes) publicada pela Visão.

Qualquer pessoa tem o direito de aspirar a mover-se na esfera do poder e os jornalistas não são excepção. Eu também já fui assessor de um ministro e, embora rapidamente me tenha cansado do cargo, não me arrependo de ter aceite o convite. A diferença é que não trabalhava em nenhuma redacção, nem andei a papar almoços com o convidante. Por acaso, até estava fora do país e o convite apanhou-me de surpresa.

O que eu lamento - e nisso dou razão a PP- é que tudo indica haver, entre os nomes convidados, alguns que andaram, durante a campanha eleitoral ( e mesmo antes...) a escrever, alimentar e aplaudir "investigações" jornalísticas que tinham como único propósito desacreditar Sócrates, pelo que alguns convites não terá tido em consideração apenas as qualidades profissionais dos convidados.




Valerá também a pena perceber qual o futuro de alguns daqueles nomes, depois de deixarem os gabinetes. Depois, então, falamos...






Sucessos de Verão (9)



Hoje damos um saltinho até Itália, para recordar o tempo em que os Festivais de San Remo marcavam os ritmos de Verão.