quarta-feira, 29 de junho de 2011

Então, boa sorte!

Nuno Crato




A intelectualite tuga ficou delirante com o anúncio da escolha de Nuno Crato para ministro da educação. Os professores alternam entre o silêncio e um suspiro de alívio. Daqui a uns meses, se Nuno Crato cumprir o programa do PSD para a educação, vai começar o ranger de dentes.

A maioria dos professores não terá lido o programa e vai ficar surpreendida quando constatar que, afinal, perdeu muito mais do que a avaliação. Não sei se os professores, quando perceberem que a escola pública ficará dependente dos interesses instalados no ensino privado, vão sair para a rua em protesto, com a mesma força que o fizeram para contestar Lurdes Rodrigues. Sei que não vão contar com a simpatia da opinião pública, anestesiada pela ideia de que as imposições da troika, por mais infames que sejam, têm de ser acatadas para salvar o país. Salazar também agiu sempre em nome do interesse dos portugueses, lembram-se?

Sei que vão aprender a ser avaliados por entidades externas, perder poder na gestão das escolas, ver a sua carreira dividida entre professores de primeira e de segunda e que o ensino público (docentes incluídos) irá perder grande parte da sua autonomia. Boa sorte!