quinta-feira, 9 de junho de 2011

Noites de cinema



Com "Noites de Cinema" regressam os grandes filmes ao Rochedo. Nem todos serão filmes da minha vida, mas todos são, na minha opinião, grandes filmes. Como é o caso deste de que todos se lembrarão, mas nem todos terão gostado. Eu gostei muuuuuuuuuuuuuuuuiiiiiiiiiiiiiiito!

Aproveito para vos desejar um bom fim de semana com ou sem idas ao cinema. Eu vou ver o filme do meu homónimo, figura controversa dos anos 60: Carlos.

Delete

As tuas palavras feriram-me como punhais. Achei-as injustas, desproporcionadas, descabidas. Preferi ignorá-las e recordar outras, açucaradas, com que me brindavas quando nos conhecemos. Deixei passar uma noite. Ao acordar, voltei a pensar nas tuas palavras. Nas que considerei injustas e nas que me adoçaram. Cheguei à conclusão que ambas eram injustas, porque nenhumas delas eu merecia.As palavras são sempre injustas. Transmitem estados de alma e muitas vezes são mentirosas, porque não as escolhemos, são elas que nos comandam e, por vezes, definem o nosso caracter.

Olhei para o presente que me ofereceste. Pensei que não o merecia, mas não me quis desfazer dele. Provavelmente, é o que me resta de ti...
Vamos fazer delete e começar tudo de novo?

Atão isto faz-se?

Mas que é isto? Desde que o Coelho foi eleito está um frio do caraças e nunca mais consegui ver o Sol! Eu a pensar ir até ao Algarve para animar o turismo e sai-me um tempo destes?

Alguém é capaz de me dizer se foi o Sol que decidiu emigrar ou se isto é já uma das medidas de austeridade imposta pelo futuro governo, para evitar que os portugueses vão para o Algarve aproveitar o fim de semana prolongado? Não se esqueçam que ele prometeu ir muito além das exigências da troika e que este governo tem boas relações com S. Pedro…
Não estou a gostar nada disto. Tarda nada e piro-me daqui outra vez.

Dr Jekyll e Mr Hyde- a vingança de Cavaco

Agora, que passaram 48 horas sobre as declarações de Ana Gomes à Antena 1, vou explicar-vos porque vos recomendei a audição. É que sabia que quem fez um julgamento sumário de Sócrates em praça pública, mesmo sem provas que o incriminassem, iria sair em defesa de Portas e acusar Ana Gomes de "boateira". Errei por defeito. O argumentário utilizado é exactamente o mesmo de quem defendia Sócrates, mas os vernáculos indecorosos com que mimosearam Ana Gomes é ainda mais variado do que aquele a que recorreram para atacar Sócrates.

Não me parece que o palco escolhido pela deputada europeia para lançar as acusações sobre Portas tenha sido o ideal. Não me parece, igualmente, que tenha sido o momento exacto para o fazer. Não me parece, enfim, que as devesse ter feito. As suas declarações só serviram para acalentar a ideia de que o PS responderá, nos mesmos termos, à política de ódio e de vingança que a campanha de PSD e CDS elevou ao extremo. No entanto, ao contrário do que alguns dizem, Ana Gomes não falou de cor. Ela referiu vários exemplos, como o afastamento de duas procuradoras para que um processo não fosse investigado.

De uma coisa tenho a certeza. Quando Ana Gomes acusou o governo PS de ter dado autorização de escala a aviões transportando prisioneiros de e para Guantánamo, toda a gente a acusou de irresponsável e caluniadora. A verdade, porém, é que a sequência dos factos viria a provar-se que ela tinha razão e... provas! Talvez não tão fortes como aquelas que sustentam a afirmação de que todos os jornalistas sabem onde funcionava ( e quem manipulava) a central de contra-informação cujo único objectivo era aniquilar Sócrates e o Partido Socialista. Hoje é conhecido o triunvirato que fabricou o boato sobre a homossexualidade de Sócrates, bem como o caso "Freeport". Já quanto à "rede", pessoalmente, não sei, mas admito que haja quem saiba.

Também todos sabemos que o ex-jornalista Paulo Portas, enquanto director do Independente, fabricou uma série de notícias que punham em xeque Cavaco e alguns membros do seu governo. Ironia do destino... Portas prepara-se para ser empossado como vice- primeiro ministro pelo Presidente cuja imagem semanalmente procurou descredibilizar nas capas do "Independente". Os portugueses chamavam àquilo "jornalismo de investigação" e todas as semanas corriam pressurosos para as bancas para comprar o boato em manchete de primeira página. Agora aguentem!

Não acreditem, porém, que Cavaco esqueceu as punhaladas de Portas. Aliás, já disso deu provas com o artigo sobre a má moeda, que precipitou a queda do governo PSD/CDS, depois da fuga de Durão Barroso para Bruxelas. Atingiu directamente Santana Lopes, mas o seu alvo primeiro era Portas. Não tardaremos muito a saber a surpresa que Cavaco tem reservada para ajustar contas com o líder do CDS/PP. Resta saber se Passo Coelho apanhará com os estilhaços... e se Cavaco não terá agradecido pessoalmente a Ana Gomes as declarações que fez à Antena 1.

Privatizemos então...

«Privatize-se tudo, privatize-se o mar e o céu, privatize-se a água e o ar, privatize-se a justiça e a lei, privatize-se a nuvem que passa, privatize-se o sonho, sobretudo se for diurno e de olhos abertos. E, finalmente, para florão e remate de tanto privatizar, privatizem-se os Estados, entregue-se por uma vez a exploração deles a empresas privadas, mediante concurso internacional. Aí se encontra a salvação do mundo... e, já agora, privatize-se também a puta que os pariu a todos.»
José Saramago - Cadernos de Lanzarote - Diário III - pag. 148

Lições do Papalagui

“O Papalagui é pobre porque vive obcecado pelas coisas, sem as quais já não consegue viver”.

E dura, e dura e dura...

Desde o apagão do 13 de Maio a blogosfera não voltou a ser a mesma. Além de continuar sem poder comentar nos blogs que pedem selecção de perfil e não têm o item "Anónimo", os meus seguidores desapareceram. Ou melhor eles continuam lá, no back office, mas eu não os vejo. Já pedi ajuda a um amigo especialista nestas coisas para me ajudar a resolver o problema, mas nem ele conseguiu. Estou chateado, prontos!(assim mesmo, com s no fim e tudo)