segunda-feira, 23 de maio de 2011

Faltou a declaração de interesses

Ao fim da tarde vi o debate (gravado) Sócrates/Coelho. Em minha opinião deu empate mas, como acontece no futebol, ficou a sensação de que PPC tinha ganho, porque foi superior na segunda parte e as últimas impressões é que ficam no ouvido e na retina.Fui ler alguns blogues coelhistas e não fiquei admirado com a declaração de vitória de PPC. . Quem anda a papar almoços com o líder laranja, não poderia ter outra opinião. Pena é que alguns se esqueçam que são jornalistas e nos seus comentários não tenham a ombridade de fazer uma declaração de interesses. Todos ficaríamos a perceber que não há almoços grátis.

Sabedoria popular

Lá diz o ditado que "quem tem amigos, não morre na cadeia"...

Os filmes da minha vida (16)





Sei que há pelo menos uma leitora do CR que elegeu este filme como o filme da sua vida. Será que ela se acusa? Sempre que se fala deste filme, lembro-me dela...

Para além dos Pirinéus

Ao atravessar os Pirinéus, volto a sentir aquela sensação que já não vivia desde o 25 de Abril. Quando digo que sou português, olham-me com desprezo. Como um meliante, um vagabundo, talvez um caloteiro?

Lembro-me do finlandês que na Madeira disse a Passos Coelho, num restaurante "espero não ter de ser eu a pagar o seu almoço".

PPC calou-se. Como se calara Cavaco quando Portugal foi enxovalhado pelo presidente checo. Lembro-me de o PR pedir aos portugueses para tratarem bem os mercados financeiros e sermos bem comportados e agradecidos aos credores.

O espírito do Estado Novo está de regresso à mente dos nossos governantes e lá por fora já perceberam. Nós é que ainda não. Ultrapassem os Pirinéus e comprovem. Mas não deixem que vos faltem ao respeito. Respondam-lhes:

- Se estamos neste estado, a culpa também é vossa. Foram vocês que nos roubaram. Poderei ser um dos PIGS, mas vocês são os matadores sequiosos pela hora da matança.

Devíamos pensar nisso mais vezes...



É curta a distância entre a glória e a vergonha.

Grandes realizadores (16)

Pier Paolo Pasolini



"Decameron" , ou "Os 120 Dias de Sodoma" são filmes que ficam para sempre na memória de quem os viu. Em 1974 recebeu , em Cannes, o Grande Prémio do Júri e no ano seguinte morreu em circunstâncias nunca esclarecidas. Era homossexual assumido e muitos acreditam que tenha sido um crime passional a causa da destruição de uma carreira promissora.