segunda-feira, 18 de abril de 2011

Marcas brancas

Como nas eleições de 5 de Junho não vamos eleger um governo, mas sim alguém que vai gerir as medidas impostas pelo FMI,parece-me correcto dizer que o vencedor será um PM de marca branca.

O Século Chinês- resquícios de uma viagem ao futuro

Aviso: este é um texto de ficção. O autor ainda não enlouqueceu ( mas para lá caminha…) Se lerem tudo até ao fim, não digam que não avisei!


Em 1931 foi inaugurado, com pompa e circunstância, mas também sob uma chuva de críticas, o Empire State Building, um majestoso edifício de 443 metros de altura destinado a escritórios, com 102 andares. Porém, o fausto do edifício não se coadunava com a crise que se vivia e os escritórios ficaram às moscas, o que levou os americanos a apelidá-lo de Empty (Vazio) State Building. Seria até 1972, data da inauguração do World Trade Center, o edifício mais alto do mundo. Recuperaria o seu estatuto em 2001, na sequência do atentado da Al Qaeda.Pouco depois da destruição do WTC, começou a ser planeada a construção da Freedom Tower, um edifício de 108 andares e 541metros de altura, que será inaugurado em 2011. À época pensava-se que seria o edifício mais alto do mundo quando terminasse a sua construção, mas tal não virá a acontecer . Com efeito, foi inaugurado, em Janeiro de 2010, o Burj Dubai que, com os seus 169 andares e quase 800 metros de altura, passou a ostentar esse título.

Há algumas comparações curiosas entre o Empire State e o Burj Dubai. Ambos foram considerados projectos megalómanos e foram construídos em época de grave crise económica( O Dubai ainda está ameaçado de falência). Se o ESB ficou anos às moscas, o Burj Dubai corre o mesmo risco pois, apesar de a maioria dos 900 apartamentos estarem “apalavrados”, muitos dos promitentes compradores poderão vir a desistir do negócio. Já quanto aos 37 andares destinados a escritórios é que não restam dúvidas. Não há procura, em virtude da crise financeira.

De qualquer modo, é natural que dentro de alguns anos, os 527 mil metros quadrados do edifício estejam a regurgitar de gente, discutindo animadamente as cotações da bolsa de Xangai, Hong Kong ou Singapura, o New Deal proposto pelo primeiro ministro chinês Hu-Jin- Ling, que terá acabado de suceder a Hu-Jin-Tao, ou o best-seller mundial “ A Leste Nada de Novo” da autoria de um reputado escritor norte- coreano, cujas teorias anti-belicistas suscitarão viva polémica.

Não é previsível que surja, a Oriente, uma nova Agatha Christie, nem uma Miss Marple mas, robotizadas actrizes nascidas nos estúdios da indiana Bollywood, deixarão os japoneses, reunidos na sala de espectáculos do Burj Dubai, com o coração aos pulos e os olhos em bico. Todos, sem excepção, se deslocarão nos seus monolugares telecomandados e movidos a laser, baptizados com o sugestivo nome de “ Alegria do Povo”, para assistir à estreia do filme de Ang Lee “ E Tudo o Oriente Levou” baseado no livro, de um escritor cambojano, com o mesmo título.

O objecto que faz as delícias dos consumidores de todo o mundo chama-se MP- 12. Para além das funções do MP-4, este aparelho inventado pelos japoneses traz incorporado um Karaoke, a Bimby, uma televisão digital de imagem tri-dimensional, telescópio, computador pessoal com ligação a 179 redes sociais, “scanner” com capacidade para digitalizar a biblioteca do Pacheco Pereira na Marmeleira, em apenas 39 segundos e detector de terroristas.

Todos os compradores terão direito, como brinde, a um bonsai com garantia de cinco anos e a um telemóvel, objecto que em todo o mundo oriental caiu em desuso, desde a invenção do “Telepat”, um aparelho que lê os pensamentos, evitando a troca de palavras entre as pessoas.

Entretanto, num casino recentemente inaugurado em Macau, onde o jogo da moda é um “remake” do “scrubble” que animou os anos 30 do século XX no Ocidente, actuará a mop-star virtual Sun Li.

Nos Estados Unidos, o filho de Al Gore iniciará a “Grande Marcha Verde” que irá conduzir à vitória dos ambientalistas americanos. Na chegada a Seattle prometem uma taxa de emissões Zero, perante os aplausos de uma multidão entusiasmada.

A União Europeia, presidida pela filha de Marine Le Pen, será nessa altura constituída por 39 países, que procuram há sete anos um entendimento sobre o Tratado que irá substituir o Tratado de Lisboa. A Europa tornou-se o maior exportador do mundo, mas os chineses acusam os europeus de concorrência desleal, por praticarem salários de miséria. Os europeus emigram para a Ásia e América Latina, em busca de melhores condições de vida. Mas a Europa continua a dar cartas no desporto. No futebol, por exemplo, a Suíça sagra-se campeã mundial.Na América Latina, a democracia finalmente venceu. Hugo Chavez prepara-se para cumprir o seu 10º mandato e continua a guerra surda com um filho de Uribe que vendeu aos chineses as bases dos americanos.

Na Patagónia argentina, a construção sofreu um boom espectacular, graças aos investimentos sul-coreanos. Um hotel de 7 estrelas foi construído em Península Valdez, tendo todos os quartos, equipados com piscina, vista para as baleias e restante fauna marítima, que está quase em vias de extinção. O património natural da Terra do Fogo foi devastado pela indústria farmacêutica, que aí encontrou a substância necessária para o fabrico da vacina contra o vírus da Gripe Z, com origem na Indochina. Os vestígios do Perito Moreno continuam a ser visitados anualmente por milhões de turistas orientais, enquanto os chineses acabam de estabelecer um consórcio com Angola e a África do Sul, para a exploração de minérios raros em Machu Pichu, no Peru.

O governo brasileiro, entusiasmado com o sucesso da “Grande Marcha Verde”, alia-se aos americanos e compromete-se a preservar os ainda inexplorados 500 hectares da Amazónia. Do acordo faz parte a transformação da parte brasileira das cataratas de Iguaçu ( decorrem negociações com a Argentina, que se mantém renitente) em estância termal.

África pouco mudou. Apenas as rotas da emigração, que agora apontam para o Oriente próspero e desenvolvido. Aos 96 anos, o presidente da África do Sul acaba de anunciar o seu undécimo casamento. Desta vez, a esposa escolhida é uma zulu de 15 anos. Em Angola, a filha de José Eduardo dos Santos sucede ao pai, depois de uma luta renhida com a candidata da Unita, que reclama ter havido fraude eleitoral. Moçambique conquista o título mundial de hóquei em patins.

Por cá, a Justiça anuncia finalmente a condenação de três réus do caso Casa Pia, entretanto falecidos. Os casos Freeport e Face Oculta aproximam-se das alegações finais e o Primeiro Ministro Paulo Rangel anuncia a construção da 7ª travessia sobre o Tejo, ligando a estância balnear do Bugio ao Forte de Caxias.

Há mais seis acusados na Operação Furacão. Dias Loureiro e Armando Vara reformaram-se há vários anos, mas os seus processos continuam em segredo de justiça.Na cidade do Porto, a Casa da Múscica, classificada em 2009 pelo Times como o 5º edifício mais belo da década, será visitado por milhões de turistas, maravilhados com a “loucura e perversão” da sua arquitectura basista.

O mundo parece querer voltar às construções térreas, depois de umas décadas a pensar e trabalhar a centenas de metros de altitude. Escritórios em edifícios de um único piso são agora a grande moda. Descer à terra, talvez nos safe de uma nova guerra, mas esta crónica nunca teria sido escrita, se eu não estivesse de visita ao Dubai e não me tivesse instalado numa penthouse do 167º andar do Burj Dubai. ( Texto reeditado)

É só uma sugestão...

...mas porque é que não vendemos a Madeira ao FMI, dando o Alberto João como bónus?
A ideia não é nova, como sabem, pois já foi sugerida à Grécia a venda de algumas das suas ilhas para saldar a dívida. Disse-me uma joaninha que a ideia não avançou, porque eles não tinham bónus para oferecer.

Late night wander (86)

Entrámos na Semana Santa e não se pode comer carne. Tentarei, por isso, não escrever sobre coelhos. Com excepção, claro, do Coelho de Páscoa, porque é de chocolate.