domingo, 17 de abril de 2011

Cervejarias



A seguir às cantinas escolares, as cervejarias são o pior sítio do mundo para se comer. O problema é que há quem goste e, volta meia volta, lá sou arrastado para uma refeição onde a relação qualidade preço me deixa à beira de um ataque de nervos.

Detesto aquele bife famoso daquela famosa cervejaria que todos conhecem e muitos convencionaram chamar o melhor bife de Portugal. ( Sobre bifes, já vos expliquei aqui quais são as minhas escolhas). O marisco que se vende nas cervejarias também não me tem proporcionado grandes momentos de alegria gastronómica.

As cervejarias podem ser locais excelentes para conviver,onde todos tentam falar mais alto do que a vozearia do tilintar dos copos; para assistir a conversas de bêbados; para ouvir conversas elaboradas sobre tácticas futeboleiras e discussões entre adeptos de clubes diferentes, onde sempre recebemos informação privilegiada sobre um jogador de futebol de que nunca ouvíramos falar, que marcou um golo sempre classificado como o melhor de todos os tempos; para desancar nos árbitros que roubaram o nosso clube. Para comer uma refeição é que não dá…

Humor fim de semana

Um alentejano queria livrar-se de um gato. Levou-o até uma esquina distante e voltou para a casa. Quando chegou a casa, o gato já lá estava. Levou-o novamente, agora para mais longe. No regresso, encontrou o gato novamente em casa. Fez isso mais umas três vezes e o gato voltava sempre para casa. Furioso, pensou:
'Vou lixar este gato!' Pôs-lhe uma venda nos olhos, amarrou-o, meteu-o num saco opaco e colocou-o na mala do carro. Subiu à serra mais distante, entrou e saiu de diversas estradinhas. Deu mil voltas... e acabou por soltar o gato no meio do mato. Passados umas horas, o alentejano liga para casa pelo telemóvel... - Tá, Maria, o gato já chegou? - Sim... - Ainda bem, deixa-me falar com ele porque eu estou perdido...

Bate, bate, coração (3)

Shirley Bassey

Esta mulher traz-me sempre à memória uns bailes de garagem numa casa das Antas. Esta canção nem é dela, mas foi a que escolhi, porque foi num desses bailes que percebi como às vezes temos o amor à frente dos nossos olhos, mas somos incapazes de o ver.