terça-feira, 12 de abril de 2011

Cinismos

A OCDE elogia, no seu último relatório sobre Portugal, o desenvolvimento do nosso país em matéria ambiental e energética. Depois de enaltecer o investimento de Portugal nas energias renováveis e o caminho prosseguido na implantação das eólicas, a OCDE recomenda que o governo "acabe progressivamente com todos os apoios às tecnologias renováveis e liberalize o mercado da electricidade", acabando com a tarifa reguladora para os consumidores domésticos. Elucidativo exemplo de cinismo, não vos parece?

Caderneta de cromos (27)

Alberto João Jardim
Depois da tragédia que se abateu sobre a Madeira, em 2010, Alberto João Jardim não regateou elogios a José Sócrates, enaltecendo o seu sentido de Estado.Depois da tempestade, veio a bonança, ou seja, Jardim voltou ao seu discurso habitual de ódio contra o PS e o país.

Ontem pediu que os socialistas fossem julgados, porque são criminosos. E voltou a ameaçar com a independência da Madeira. Pessoalmente, muito gostaria que essa ameaça se concretizasse. Seria um alívio para os contribuintes portugueses, cansados de pagar os truques do líder madeirense.

Entretanto, de Pedro Passos Coelho, ou de Cavaco, nem uma palavra de recriminação às palavras de Alberto João Jardim. Sintomático!

Mentiroso!

Em entrevista à TVI, Pedro Passos Coelho reconheceu que mentiu ao dizer que só tomara conhecimento do PEC IV por telefone. Afinal - e sublinho foi o próprio Passos Coelho a afirmá-lo-PPC esteve reunido com Sócrates, em S. Bento,para discutir o PEC. Que viria a chumbar por mera estratégia política, perante a ameaça de ser corrido pelos seus pares do PSD. É demasiado grave para ser omitido: PPC conduziu o país à situação de ter de pedir ajuda externa, por mera estratégia política! Será este o PM que os portugueses vão eleger a 5 de Junho?

Vai uma cerveja?


Ontem, ao fim da tarde, um amigo desafiou-me para beber uma cerveja no "Parque das Nações". Não sou apreciador de cerveja, mas adoro fins de tarde primaveris e conversar com pessoas inteligentes, por isso acedi ao convite, avisando desde logo que não iria beber cerveja.

A cerveja é a pior bebida do mundo a seguir ao Baileys. Quer dizer… acompanhada com uns belos tremoços ou amendoins, numa tarde de calor , bebida numa esplanada em frente ao mar, até ajuda a matar a sede…

Bem vistas as coisas há aquela cerveja australiana- a Foster- muito leve, que até é agradável. E há também a chinesa Tsing Tao, ideal quando andamos pela China, porque se adequa ao clima, mas não sabe ao mesmo quando a bebemos em Portugal.

Ah, é verdade, já me esquecia… há aquelas cervejas belgas de 16 graus, ideais para noites de Inverno em Bruxelas e aquelas alemãs que escorrem lindamente quando acompanhadas de umas belas salsichas ou de um pernil bem grelhado no Biergarten em Cascais. Depois ainda temos aquela mistura argentina, a que por aqui se chama Tango, que bebi muitas vezes em boa companhia, numa esplanada recôndita, no caminho entre Puerto Madryn e Penísula Valdez.

Pensando bem a cerveja talvez não seja a segunda pior bebida do mundo. O problema são as cervejarias… mas sobre isso falarei noutro dia...

Rostos de Abril (7)

Rosa Coutinho

Late night wander (81)

Os irlandeses perceberam que o milagre económico era uma mentira, quando os bancos confessaram que em vez de lhes venderem sonhos, lhes tinham vendido pesadelos.