segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Mais vale tarde do que nunca?

A ONU demorou 42 anos a perceber que Kadhaffi era um ditador. Antes disso, ainda o elegeu presidente da Comissão de Direitos Humanos. Como diz um amigo de longa data, "quando vamos para velhos, qualquer cão nos mija em cima"...

A Revolução de que ninguém fala

Enquanto revoluções mais ou menos sangrentas vão sendo largamente noticiadas na nossa comunicação social, não consigo vislumbrar, nem uma linha, sobre a revolução pacífica que está a ocorrer na Islândia.
Poderão dizer-me que, sendo a Islândia um país pouco populoso, não entra nas páginas dos jornais. Não é bem assim... quando o país entrou em bancarrota, foi notícia de primeira página e abriu telejornais. Agora que os islandeses estão apostados em mostrar que outro tipo de democracia é possível, o assunto não interessa nada...
Há notícias que, estranhamente, os jornais não divulgam, ou sou eu que ando distraído?

Opiniões...

"Angela Merkel chama Sócrates a Berlim" noticiava há dias a TVI. Provavelmente é a isto que ECT chama jornalismo acutilante e de referência. Para mim, é jornalismo de cano de esgoto, mas é apenas uma opinião...

Figura da semana


Os leitores que me seguem há mais tempo sabem que sou fã incondicional de Lula da Silva.
Olhado com desconfiança nos meios económicos internacionais, obrigado a enfrentar alguns escândalos dos seus correligionários do PT, que poderiam ter minado a sua credibilidade, Lula da Silva impôs-se à opinião pública internacional, pagando as dívidas ao FMI, reformando as finanças do Brasil e lançando variados programas sociais de combate à pobreza.
Se o Brasil é hoje um dos quatro países emergentes mais falados no mundo inteiro, a par da Índia, China e Rússia, muito deve à forma hábil como Lula da Silva comandou os destinos do país durante os seus mandatos.
Lula é a imagem do Brasil de progresso. Do Brasil que deu o salto em frente e se tornou protagonista privilegiado na cena internacional.
O operário metalúrgico que um dia chegou a Presidente e se tornou figura incontornável nos palcos internacionais, onde expõe com firmeza as suas convicções, personifica o enredo de uma telenovela em que o Brasil é fértil. Só que, desta vez, o conto de fadas virou realidade. E, visto do hemisfério norte, apenas me apetece dizer: ainda bem!
No entanto, não parece ser essa a opinião do Ministério Público brasileiro, que pretende acusar Lula da Silva por ter gasto demasiado dinheiro em cartas
Nada demais. Normalmente, quem luta pelos mais desfavorecidos acaba no banco dos réus e quem explora os pobres é condecorado. Não só no Brasil... Também em Portugal, o empresário Cebola, que desviou dinheiro do IVA para pagar os salários aos trabalhadores da Oliva, acabou sentado no banco dos réus. Um dia destes, Oliveira e Costa talvez seja condecorado por Cavaco Silva. Isso é que é normal...

Morning call (6)

Na última seman aforam muitos os portugueses em destaque no estrangeiro, arrebatando vários prémios internacionais. Hoje destaco Nuno Malo, um jovem compositor português a residir nos Estados Unidos desde 1996.

Responsável pela banda sonora de "Amália -o Filme", foi galardoado com o prémio Compositor Revelação 2010 pela Internacional Film Music Critics Association.

Late night wander (47)


O DN convidou Campos e Cunha para uma conferência, cujo único objectivo perceptível era cascar no governo. Preencheu várias páginas com o relato do discurso, fez dele primeira página, valorizando o pessimismo e recolheu depoimentos diversos. Não era preciso. Uma imagem diz mais que mil palavras...