quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Europa ainda nos deixa sonhar


Uma noite europeia que permite a todas as equipas portuguesas continuarem a sonhar.Começo pelo meu F.C. do Porto, a quem saiu a fava no sorteio.
Era a primeira prova de fogo de Villas Boas na Europa e saiu-se bem. Num jogo com dois golos irregulares ( o primeiro do FC Porto e o do Sevilha) os azuis e brancos tiveram a sorte do jogo e saíram de Sevilha com uma vitória imerecida, porque depois de uma excelente primeira parte, foram completamente dominados pelos andaluzes na etapa comlementar. A eliminatória, porém, está longe de estar resolvida. O Sevilha é uma grande equipa e pode ganhar no Dragão.
O Benfica venceu mas, ao contrário do que Jesus afirmou na antevisão do jogo, não assustou o Estugarda. Pelo contrário, apanhou dois grandes sustos. Viu-se a perder , deu a volta, mas o poste da baliza de Roberto evitou o empate do Estugarda, penúltimo classificado do campeonato alemão. Apesar de nunca ter conseguido ganhar na Alemanha, acredito que o Benfica passe a eliminatória, pois basta-lhe um empate.
O Sporting sofreu para garantir um empate em Glasgow, perante uma equipa fraquinha. Resultado que seria bom, não se desse o caso de os leões serem imprevisíveis a jogar em casa. Se forem eliminados será uma grande surpresa, pois os escoceses são a equipa mais fraca de todos os adversários dos portugueses.
Finalmente, o Braga. Os minhotos são os patinhos feios e mais uma vez não tiveram a sorte pelo seu lado. Podiam ter ganho o jogo e foram traídos pelo árbitro, que validou um golo dos polacos em fora de jogo. Fez o resultado mais ingrato, porque um golo sofrido em Braga deitará tudo a perder. Daqui a uma semana, tudo será decidido.

Na era das novas tecnologias...


...Uma larga percentagem da população mundial não tem acesso às velhas tecnologias, que lhes permitiriam usufruir de bens tão essenciais como água potável, ou electricidade.Mais preocupante, ainda, é que 40 por cento da população mundial não tenha acesso ao saneamento básico, como revelou um recente estudo divulgado pela ONU.
Mais de 500 milhões de pessoas - a maioria em África e na Ásia - continuarão, dentro de 10 anos, privadas de saneamento básico o que, para além de tornar impossível cumprir até 2015 os Objectivos do Milénio ( cobertura de 75% da população mundial) continuará a causar "epidemias e surtos de doenças, resultando na morte de milhões de pessoas".
Para a UNICEF e OMS, duas agências das Nações Unidas, só é possível combater o "grave impacto humano e económico" das carências de saneamento se os governos reforçarem o empenho "em diluir as diferenças entre as zonas rurais e urbanas" e apostarem na educação para a higiene.Porém, a tendência para a urbanização continua a marginalizar as populações mais pobres das zonas rurais, pressionando igualmente as infra- estruturas das cidades que, nalguns casos, já se mostram insuficientes. Como resultado, "famílias em aldeias e em bairros de lata urbanos vêem-se num ciclo vicioso de pobreza e deficientes condições sanitárias.As crianças são as primeiras a sofrer devido à má qualidade da água e à má higiene", explica o relatório.
Enquanto no mundo ocidental, se discute a importância do acesso das crianças à Internet, para que não se tornem no futuro info-excluídos, no resto do mundo a falta de acesso a serviços básicos causa diariamente a morte a 4.000 crianças.
Segundo a OMS, as diarreias são responsáveis por 1,8 milhões de mortes anualmente, a maioria crianças com menos de cinco anos. Milhões de outras ficam permanentemente debilitadas.
No concernente a redes deficientes de saneamento básico, o relatório lista 27 nações onde a cobertura é bastante fraca, incluindo São Tomé e Príncipe (24 por cento/12º lugar), Moçambique (27 por cento/16º lugar) e Timor-Leste, com 33 por cento de cobertura.
Assim vão aumentando as desigualdades sem que, aparentemente, os países ocidentais se preocupem. Não seria mais sensato investir em melhores condições de vida nestes países, criando condições para que as populações aí se fixassem, em vez de explorar a mão de obra que ruma à Europa em busca de melhores condições de vida, sendo abandonada quando já não faz falta?

Lixo!


Para vos falar com sinceridade, estou-me nas tintas para as guerras de dirigentes e agentes desportivos. Gosto muito de futebol, amo o meu clube, mas detesto imbecilidades.
O caso muda de figura quando um jornalista classifica de corajosas as declarações do presidente do Marítimo, em entrevista ao jornal “A BOLA”, onde lança uma série de acusações aos dirigentes do F.C. do Porto. Que acusações foram essas? Em concreto, nenhuma. Apenas insinuações de ameaças por parte de dirigentes do FC do Porto, lançamento de suspeições sobre sacos azuis e uma série de bacocadas sem sentido.
Curioso que, dias antes, numa peça do Telejornal em que ele fazia as mesmas acusações e insinuações, recusou-se a responder quando um jornalista, menos sectário do que Delgado, lhe pediu para dar um exemplo concreto.
Concluo pois ( sem surpresa, como é evidente…) que para Delgado as insinuações sejam uma prova irrefutável da culpa de quem é acusado. Assim vai o jornalismo… Em vez de dar notícias, alimenta suspeitas e encoraja os cobardes.
Gostaria de ver, nas páginas de “A BOLA”, uma entrevista a alguém que ousasse dizer mal do presidente do Benfica. Bem posso esperar sentado… porque em “A BOLA” e no serôdio jornalismo desportivo sulista, elitista e pacóvio, que não esconde o seu ódio ao FC do Porto, não há coragem para tanto. O único objectivo é denegrir o rival do norte, conspurcar o seu nome e desvalorizar o mérito das suas vitórias.
Posto isto, desejo as maiores felicidades a todas as equipas portuguesas que hoje iniciam a disputa de mais uma eliminatória da Liga Europa. Recuso comportar-me como alguns benfiquistas e sportinguistas que estão a torcer pela eliminação do meu clube. O que me interessa é esta classificação feita por um organismo independente. O resto é conversa ....

Margem Esquerda


Margem Esquerda é um movimento de militantes do PS. Um dos nomes mais proeminentes que integra esta corrente é Fonseca Ferreira, ex-presidente da CCDR-LVT .
Ao contrário de Ana Benavente ou Carrilho que, ressabiados, vieram para os jornais tecer críticas a Sócrates, Fonseca Ferreira fez o que se pede a um militante de um partido democrático.Inconformado com a regra criada para o próximo congresso, que só permite a apresentação de moções políticas de orientação nacional, aos militantes que se candidatarem a secretário-geral do partido, Fonseca Ferreira apresentou um pedido de impugnação desta regra junto da Comissão Nacional de Jurisdição do PS, argumentando que “nunca existiu , na história do PS, uma proibição destas que viola preceitos básicos dos estatutos...”
Concorde-se ou não com a opinião de Fonseca Ferreira, há um ensinamento que se deve colher. Os problemas dos partidos devem ser resolvidos lá dentro e não com entrevistas ou artigos de opinião ressabiados na comunicação social.
Mais tarde ou mais cedo, quem recorre aos favores da comunicação social para amplificar a sua voz, vai ter de pagar o tributo. Não há promoções grátis. Ana Benavente e Carrilho deviam saber isso e aprender a lição.

Morning call (1)

Há coisas boas que todos devíamos saber, para levantar um pouco a auto estima. Como esta, por exemplo.
A partir de hoje vou tentar que o primeiro post da manhã, publicado ao rondar das 8, seja sempre uma "boa notícia". Pelo menos, fica a intenção...

Late night wander (39)

Os Bebés passam por quatro períodos de crise de crescimento. Ao anunciar a moção de censura ao governo, o BE entrou na primeira fase. Não é possível ainda confirmar se sobreviverá ao segundo período, que ocorrerá quando tiver de se apresentar de novo ao sufrágio dos portugueses.